Toivonen – O rei sem trono.

Estávamos no rally da Córsega, decorria o ano de 1986, os monstruosos carros do grupo B, faziam entoar os seus potentes motores nas escarpas da ilha francesa do mítico rally. Era a 4º prova da temporada, Henri  havia começado a época a vencer de forma clara na prova Monegasca. Na segunda prova abandonou, no Rally da Suécia. Em Portugal, o piloto finlandês seguia o protesto de todos os outros pilotos do campeonato mundial e não participou no rally, devido ao acidente de Joaquim Santos na Serra de Sintra que causou várias mortes. Mas deixa história em Portugal, nesse mesmo ano na seção de treinos no autódromo do Estoril, Toivonen faz um tempo canhão, que equivalia a nada mais nada menos que o 6º lugar na grelha de partida no grande premio de Fórmula 1 nesse mesmo ano. Córsega era a próxima paragem…

Henri Toivonen , piloto irreverente na sua condução, por essa razão ainda não tinha atingido o tão desejado titulo mundial, era sem duvida o mais rápido de todos os pilotos que conduziram os monstruosos Grupo B, mas não era eficaz, não conseguia controlar tremenda vontade de vencer, e por norma terminava fora da estrada.
A época de 1986, adivinha-se como a sua conquista, Henri era o mais rápido, imbatível, inatingível a todos os outros pilotos. 

Começa o Rally da Córsega doente, com uma forte gripe, mas Henri, um lutador, insistiu em correr. Tomava medicamentos para a garganta, estava exausto…e liderava de forma clara até a 18ª especial. Era difícil manter o carro na estrada naquelas condições. Henri Toivonen, perdeu a vida numa curva sem protecção, onde o seu Lancia saiu de estrada e embateu com violência numa árvore, incendiando-se de imediato. Toivonen e o seu navegador Sérgio Cresto não tiveram como fugir…

Era o fim de uma história sem fim, era o fim de uma era…Henri Toivonen, para muitos o melhor piloto de todos os tempos, partia, sem nunca conquistar um título mundial, mas deixava um legado enorme de qualidade. Era sem dúvida um dos melhores que a história dos ralis viu. 
Era o fim dos carros do Grupo B. Após o acidente, poucas horas mais tarde, as máquinas do grupo B, foram banidas do mundial. Estudos comprovavam, que eram carros mais rápidos que os próprios reflexos dos pilotos. Toivonen foi talvez o que mais tentou contrariar os estudos, e foi talvez o que melhor o soube fazer. Talvez isso tenha matado este grande rei  sem trono, mas que reinou como ninguem…
 

Henri Toivonen e Sergio Cresto Corsega 1986, 27 anos depois…
Carlos Mota

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.