António Félix da Costa – Um talento que quer e pode voar alto.

Félix da Costa tem sido nestes últimos dias motivo de interesse para o mundo da F1. O piloto da Red Bull Junior Team, provou mais uma vez as suas capacidades ao volante do RB9, em Silverstone, nos testes para jovens pilotos.
Este ano os testes decorreram em moldes diferentes, sendo permitida a participação dos pilotos titulares das equipas. Mas a Red Bull confiou no talento do jovem português para conduzir o carro que obviamente foi alvo de modificações e acertos de forma a preparar o resto do campeonato.
Já desde o ano passado apontado como o “the next big thing” na F1, Félix da Costa tem conseguido mostrar-se aos poucos no sempre difícil mundo da Formula 1. Se no ano passado tinha dado muito boa conta de si no testes para jovens pilotos em Abu  Dhabi onde pilotou o RB8 e mostrou muito bom andamento, este ano confirmou as suas qualidades, ficando em 3º na tabela de tempos no 1º dia, tendo feito 82 voltas e ficando atrás de Magnussen, seu adversário na WSR, e DI Resta piloto titular da Force India. De referir que da Costa usou apenas pneus duros nos testes, enquanto os 2 primeiros usaram médios, o que pode explicar a diferença de 0.2 seg.  em relação a Magnussen.  Hoje, fazendo apenas a parte da manhã, conseguiu o 7º melhor tempo, mas com poucas voltas rodadas e já com a equipa a pensar na parte da tarde onde iria rodar Ricciardo, o possível substituto de Webber no próximo ano.
No final do 1º dia em declarações à Sky F1 Félix da Costa não escondeu a sua ambição de chegar a categoria rainha do automobilismo:
“Não o escondo, o meu objetivo é estar na Fórmula 1 no próximo ano, mas isso só acontecerá se fizer um bom trabalho na World Series, portanto é aí que o foco deve estar. Temos que elevar o nível. As coisas estão bem, mas não excelentes, pelo que temos de vencer corridas e depois se vê se o passo é dado ou não.”

“O meu foco neste momento é a World Series. É natural que se fale muito em Fórmula 1, principalmente nestes dias depois do teste, mas neste momento estou concentrado em dar tudo na World Series para no futuro vir a merecer um lugar na F1”.

Sobre o teste disse ainda:

“É fácil começar ir reduzindo as diferenças para os grandes nomes da F1, mas o último meio segundo é que é a parte difícil. Aí, precisamos de forçar bastante. É complicado olhar para os tempos de volta, quando todos estão rodando com diferentes cargas de combustível e pneus. A equipa está feliz e eu estou feliz, pois conseguimos realizar todo o programa” 


Quando confrontado com a pergunta, se estaria pronto para a F1 respondeu:

“Sim, certamente. Quando saí do carro após a última volta de hoje, pensei: Estou pronto, eu quero mesmo isto. Mas como disse ontem, tudo vai depender do resto da minha temporada na World Series by Renault. Temos que merecer um lugar na F1 e eu quero merecê-lo. O momento é bom e eu acredito que se fizer o meu trabalho corretamente, então poderei consegui-lo”

Interessa pois conhecer melhor o jovem português e fazer uma retrospectiva rápida da sua carreira até agora.


António Maria de Melo Breyner Félix da Costa, nasceu a 31 de Agosto de 1991, em Cascais. A sua primeira aparição em pista foi com 9 anos, onde logo desde cedo mostrou grande à vontade, mesmo competindo com pilotos mais velhos.

De 2000 a 2006 cresceu nos Karts, nos campeonatos nacionais. Em 2006 começa a evidenciar-se, sendo Vice- campeão na World Series Karting e 3º no Open Master de Italia.

Em 2007 surgiu o convite da prestigiada equipa de Karting Tony Kart, por onde também passaram nomes como Schumacher e Vettel. Recebe nesse ano os prémios Piloto Revelaçãoda Autosport e Jovem Promessa da Autohoje.

Depois de muito boas prestações nos Karts, dá finalmente o salto para os monolugares em 2008, entrando na equipa Motopark Academy, na Formula Renault 2.0, tornando-se no português mais novo a competir nos monolugares. Sagra-se Vice Campeão Norte Europeu de Formula Renault 2.0 com 11 pódios e melhor Rookie Campeonato Norte Europeu. Faz também dois top 5, em 3 corridas no Campeonato da Europa, também em Formula Renault 2.0.

Em 2009 sagra-se campeão do Campeonato Norte Europeu com 9 vitórias em 14 corridas e faz 3º classificado no Campeonato da Europa com 3 vitórias tudo isto na Formula Renault 2.0

2010 traria 7º lugar, agora na categoria Formula 3 Euroseries com 3 vitórias (melhor rookie). Seria em 2010 que Félix veria o seu sonho de perto, quando foi convidado pela Force India para fazer o teste de jovens pilotos, em Abu Dhabi. Aí fez 3º melhor tempo atrás dos Red Bull e McLaren, começando a despertar o interesse dos grandes da F1.

Em 2011 disputou o GP3 Series,não tendo grandes resultados mas mostrando qualidade. Correu também na Formula 3 britânica onde teve boas prestações.
2012 foi o ano de sonho de Félix da Costa. Correndo pela Carlin no GP3, faz 3º classificado na série com 3 vitórias. Fez história, sendo o único piloto a ganhar 2 corridas no mesmo fim-de-semana. Foi neste ano que assinou pela Red Bull Junior Team, passando a correr pela Arden Caterham na Formula Renault 3.5. Conseguiu 4 vitórias, e conseguiu novamente ganhar 2 vezes no mesmo fim de semana.. Mesmo não estando presente nas 5 primeiras corridas, faz 166 pontos e fica a 23 do titulo.Esta performance permitiu lhe novo teste num F1, agora num Red Bull em Abu Dhabi como já referimos anteriormente.
Venceu também em Macau em Formula 3, nesta que uma das mais míticas e difíceis provas do automobilismo, dominando por completo a prova.

Foi considerado em 2012 o 8º melhor piloto do mundo pela prestigiada Autosport UK, ficando atrás de nomes como Alonso, Hamilton, Button Vettel, Raikkonen   Keslowsy (Nascar) e Loeb ( rally).


Trevor Carlin, patrão da Carlin, aquando do prémio disse as seguintes palavras sobre Félix da Costa:

 “Para mim o António é seguramente tão bom como o Sebastian (Vettel) era na mesma fase da sua carreira. O que destaca o António é a sua atitude, ele é uma pessoa extraordinária de se trabalhar. No início do ano tivemos alguns problemas com o carro na GP3 e ele foi sempre muito positivo e quem puxou a equipa para cima, motivando-nos a todos. Ele é um grande piloto, principalmente em corrida, onde talvez seja até um bocadinho melhor que o Sebastian”.

Restam poucas dúvidas sobre o talento do jovem português. O caminho para a F1 foi percorrido passo a passo, com sucesso e muitos especialistas vêm no português um potencial campeão. O que poderá então evitar a entrada de Félix da Costa na F1? Só vemos questões políticas e financeiras. Infelizmente nem sempre os melhores sobem à F1. Ainda recentemente vimos Sergey SIROTKIN ter a subida quase garantida à F1 para a Sauber depois de empresas russas terem investido na equipa de Peter Sauber , que esteve em grandes dificuldades financeiras nos ultimo tempos. O piloto russo não é mau mas comparado com Félix da Costa, Magnussen e Vandoorne que competem na mesma serie esta uns furos abaixo.Mas tem a sorte de ter patrocinadores com dinheiro. E dinheiro não é algo que o português possa garantir a uma equipa de F1, pois infelizmente os apoios em Portugal não existem, ainda mais nesta conjuntura de crise. A Red Bull garante que, se mostrar talento, Félix da Costa não tem de se preocupar com dinheiro. Mas sabemos que na F1 nem tudo é tão claro quanto parece.

Tiago Monteiro, que agora ajuda da Costa, foi considerado o rookie do ano em 2005 e mesmo assim não conseguiu ficar na F1, enquanto Narain Karthikeyan, seu colega de equipa nesse ano e piloto claramente inferior  a Monteiro, conseguiu ir ficando na F1 até o ano passado arrastando se nas pistas sem mostrar qualidade.

Uma coisa é certa. O talento do português é claramente visível, e se conseguir subir o rendimento na WSR para o resto da época, o lugar na Toro Rosso é mais que merecido. Acreditamos que Félix da Costa precisa apenas de uma hipótese para mostrar-se na F1. Se essa hipótese, surgir estamos em crer que podemos ter um português a brilhar ao mais alto nível na F1. Possa a sorte estar ao lado do português. Nós deste lado estamos a torcer para que isso aconteça. E que este país de futebóis possa ver o talento que existe fora das 4 linhas.
Carreira de Félix da Costa em números:
2008: 28 corridas; 1 vitoria; 11 pódios; 1 pole position; 1 volta mais rápida
2009: 28 corridas; 13 vitorias; 21 pódios; 6 pole position; 9 volta mais rápida
2010: 24 corridas; 3 vitórias; 4 pódios; 0 pole position; 1 volta mais rápida
2011: 25 corridas; 1 vitoria; 4 pódios; 0 pole position; 1 volta mais rápida
2012: 31 corridas; 10 vitoria; 15 pódios; 2 pole position; 10 volta mais rápida
2013: 9 corridas; 1 vitoria; 3 pódios; 1 pole position;  volta mais rápida ( época a decorrer)





Fontes:
Autosport.pt
Autosport.com
Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.