Rookies para 2014

A silly season tem sido recheada de notícias e boatos relacionados essencialmente com a saída de Kimi Raikkonen da Lotus para a Ferrari (cenário que agora ganha mais força) ou para a Red Bull (segundo as informações que correm, já não será muito provável isso acontecer).
Toda a tinta derramada em relação a este assunto está a pôr de parte outro que também tem interesse para o futuro da modalidade… A entrada de novos pilotos, os chamados rookies. É este sangue novo que pode trazer algo de diferente para a Formula 1. Este ano por exemplo Bottas e Bianchi já mostraram que podem ser a médio prazo pilotos de referência. O sangue novo que entra no grande circo é fundamental para a continuação da modalidade.
Para o próximo ano há, a nosso ver, 5 pilotos que podem vir a ingressar na F1. Vamos então fazer uma breve referência aos pilotos em questão.
António Félix da Costa:
É o mais falado por nós, uma vez que é português, o que faz com que sigamos a carreira do piloto de Cascais com muita atenção. Já fizemos um post com um breve resumo da sua carreira até agora, como tal não nos alongaremos muito sobre ele. É neste momento o nome que mais hipóteses tem de subir a categoria rainha, uma vez que os boatos que dão Ricciardo como piloto da Red Bull, são cada vez maiores. Assim com o lugar vago na Toro Rosso, Félix da Costa poderá ser a escolha óbvia, uma vez que vem da Red Bull Júnior Team e todos os pilotos que subiram à F1 pela Júnior Team passaram pela Toro Rosso. O ano de 2013 do Formiga não tem sido o melhor, com muito azar à mistura mas acreditamos que tem valor mais que suficiente para singrar na F1. E estamos ansiosos para ler a notícia da confirmação da subida à Toro Rosso. Esperemos que assim seja. Até lá vamos aguardando novidades.
Kevin Magnussen:

O dinamarquês de 20 anos, pertence aos quadros da McLaren, no programa de jovens pilotos da equipa de Woking. Corre actualmente na DAMS na World Series by Renault (onde corre Félix da Costa) e tem tido desempenhos brilhantes, liderando o campeonato até agora. Esteve presente no teste para jovens pilotos em SIlverstone e deu muito boa conta de si. É certamente a par de Félix da Costa o jovem que mais entusiasma pela qualidade e consistência demonstrada até agora.
Em 2008 correu na Formula Ford dinamarquesa onde ganhou o campeonato.
Em 2009 correu na Formula Renault onde ficou em segundo no Campeonato da Europa do Norte ficando atrás de Félix da Costa.
Correu na Formula 3 germânica e na Formula 3 britânica em 2010 e 2011 respectivamente. Corre desde 2012 na WSR onde tem demostrado que pode ser um caso sério na F1. Uma vez que os lugares na McLaren já estão ocupados para a próxima época, fala-se que Magnussen poderá ter um lugar na Marussia, para ir ganhando experiência em alta competição. Seja como for é um nome a ter em conta para o futuro.
Sergey Sirotkin:

O jovem russo de apenas 17 anos, parece ter já o lugar garantido na F1, na equipa Sauber. Peter Sauber teve de recorrer a investidores russos para manter a sua equipa e uma das exigências para que esse investimento fosse feito foi a inclusão de um piloto russo, neste caso Sirotkin. Corre actualmente no WSR, competição que se está a tornar claramente na antecâmara para a F1, ocupando a 9ª posição.
A competir desde 2010 (Formula Abarth, 2010 e 2011 e Formula 3 italiana) o piloto já mostra alguma qualidade mas é quanto a nós demasiado novo para subir à F1. O nível de exigência é tremendo e tendo em conta que apenas tem esta época de WSR deveria ficar mais um ou 2 anos para conseguir maturar as suas capacidades e então dar o salto de forma mais solida. Mas a força do dinheiro poderá valer ao piloto um lugar que ainda não fez por merecer e para o qual poderá não estar preparado, mesmo tendo em conta o potencial que revela. Veremos caso suba como consegue lidar com a pressão.
James Calado:

O britânico de 24 anos corre actualmente no GP2 sendo 5º classificado. Fez testes com a Force India em Silverstone e mostrou bom andamento. A competir desde 2008 já tem no seu currículo títulos na Formula Renault 2.0 britânica e portuguesa em 2008, 2º lugar na Formula 2.0 britânica em 2009, 2º na Formula 3 britânica e no GP3 em 2010. Compete desde 2011 no GP2 e curiosamente fez sempre 5º lugar. Está na calha para um lugar na Force India, uma vez que os dirigentes da equipa ficaram agradados com a sua prestação em Silverstone e pelos vistos já houve conversações entre as partes interessadas, embora seja para a posição de 3º piloto por enquanto. Poderá ter mais sorte caso Di Resta saia da equipa.
Davide Valsecchi:

De todos os possíveis reforços é o mais velho com 26 anos. O título de rookie pode ser um pouco exagerado neste caso pois já é piloto de reserva da Lotus tendo já ocupado o cargo em 2011. É o campeão em título do GP2, pela DAMS. Deu nas vistas em Abu Dhabi em 2010 pela Hispania onde fez menos 2 seg. que Bruno Senna, um dos pilotos principais da equipa nessa época. A competir desde 2003, passou pela Formula Renault 2.0 italiana (2003, 2004), Formula 3 italiana (2004,2005), Formula Renault 3.5 (2006, 2007), Le Mans Series (2006) e GP2 desde 2008 tendo vencido a Serie Asiática em 2009/2010 para além do título já referido em 2012. Um piloto com larga experiência mas que não se conseguiu impor de forma clara em toda a sua carreira no GP2. Mas o último ano rendeu lhe vários elogios e a sua prestação no teste para jovens foi vista como muito positiva. Caso Kimi saia da Lotus a equipa deverá querer contratar um piloto que garanta resultados imediatos ( os boatos apontam para Hulkenberg e nos ultimos dias tem se falado da troca entre pilotos com Kimi a ir para a Ferrari e Massa para a Lotus) e não parece que Valsecchi possa fazer isso. Mas se a crise financeira se agravar e nenhum dos pilotos falados se concretizar, poderá ter hipóteses de conduzir na F1 e mostrar o seu valor. É uma hipótese remota.
Estas são as nossas apostas para ingressarem na F1 no próximo ano. Haveria mais pilotos com valor para subir como Robin Frijns, um holandês com um talento enorme que foi campeão de Formula BMW europeia (2010) , Formula Renault 2.0 e Formula Renault 3.5 ( 2011 e 2012 respectivamente). Corre actualmente em GP2 e é piloto de testes da Sauber. Manifestamente só não está na F1 por falta de patrocínios, pois talento não lhe falta. Infelizmente nem sempre os mais talentosos sobem à categoria rainha. Stoffel Vandoorne é também um jovem a seguir com muita atenção. O jovem belga de 21 estreou – se este ano na WSR 3.5 e tem brilhado, estando actualmente no 2º posto. Já foi campeão da F4 Eurocup 1.6 (2010), Formula Renault 2.0 (2012), competindo desde 2010. Mais um talento do programa de jovens pilotos da McLaren que certamente irá brilhar caso tenha a sorte de subir para a F1. Deverá ganhar maturidade por mais um ano na WSR 3.5, pois Magnussen está à frente na hierarquia para um lugar no grande circo. Há ainda Daniel Juncadella, actual piloto da Mercedes no DTM (Mucke Motorsport) com 20 pontos no bolso em 12º, que foi apontado como um potencial reforço para a Williams. Di Resta também passou do DTM para a F1 com os resultados que se conhecem.

Só no final do ano poderemos confirmar se as nossas apostas se mostram correctas. Até lá e porque ainda há muitas decisões por tomar, cabe a cada piloto dar o melhor de si para poder almejar um lugar na F1. Como já dissemos nem só de talento é feito o bilhete de entrada, sendo necessária por vezes grandes quantidades de dinheiro, mas esperemos que os mais talentosos possam ter a sorte de correr na F1 e poder brilhar e tornar a modalidade cada vez melhor.

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.