Talento no seu estado mais puro. É isto Félix da Costa


António Felix da Costa sobe de 4º para 2º numa excelente corrida. Lynn vence a prova e Derani em 3º.

Uma prova muito muito boa do nosso Formiga. Na saída pareceu ficar para trás mas recuperou para 3º logo na 1ª volta. Usou o Safety Car para subir para 2º e passar Derani por fora no Hotel Lisboa numa ultrapassagem brilhante. Tentou chegar a Lynn mas, nas rectas, faltou sempre algo ao carro. Lynn tambem esteve muito bem e não deixou escapar a vitória. Mais uma prova muito boa do nosso Formiga que nos enche de orgulho. Merece muito muito mais este talento lusitano.
De manhã cedo

7 da manhã e mais uma vez madrugar num Domingo para ver uma prova de velocidade. Mas esta não é uma prova qualquer… É Macau. O circuito da Guia. Martin Brundle disse há pouco tempo que era o circuito mais difícil do mundo. E ele sabe do que fala.

Embora goste de ver uma boa prova a minha atenção estava no carro 1 com as cores da Red Bull, na 4ª posição do grid. O Formiga tinha uma prova de fogo para mostrar o seu talento. Durante a semana que antecedeu a prova, tentou diminuir a pressão mas a verdade é que muita gente estaria com especial atenção à sua prova e se seria capaz de voltar a fazer um bom resultado.

A confusão da largada e o receio.

As luzes apagaram-se e a confusão da largada inicial fez temer o pior. Félix ficou para trás e muitos carros avançaram. Mas no final da última recta, antes da curva Lisboa, Félix aparecia em 3º lugar, atrás de um surpreendente Derani.

O Safety car entrou em pista enquanto se limpavam os destroços do 1º acidente da prova. Quando o Safey Car saiu, Félix atacou Derani e numa ultrapassagem de mestre conseguiu ficar em 2º na curva Lisboa também. Quem viu vibrou de certeza com este momento.

A partir daqui foi ver o Formiga voar atrás do britânico Lynn, que fazia uma prova perfeita. Mais atrás Marciello, o protegido da Ferrari, começava a subir e a atacar o brasileiro Derani. Félix começava a perder terreno para Lynn, numa clara gestão de pneus.

A esperança das ultimas voltas.

Marciello subiu para 3º passando por Derani e as coisas poderiam ficar muito complicadas para o português. O motor Mercedes era muito superior ao Volswagen que equipa o Carlin de Félix da Costa. Iria ser um final à Hitchcock. Mas o italiano tratou de sossegar os portugueses, falhando uma saída de curva e batendo violentamente contra as barreiras. Com Derani longe atrás, Félix podia concentrar-se no carro de Lynn. Na volta a seguir ao acidente do italiano, o português conseguiu ganhar tempo a Lynn. “é agora!”. Mas o raio do carro do britânico nas rectas afastava-se sempre do Carlin da Red Bull. Se na parte sinuosa Félix conseguia aproximar-se, nas rectas era impossível de alcançar. Ainda houve esperança que o possível Safety car que entraria devido ao acidente de Marciello, colocasse o português logo atrás do britânico para assim aproveitar o cone de ar, a única maneira de o Carlin ser mais rápido, mas o Safety Car não entrou e essa possibilidade esfumou-se.

O final chegou e a vitória de Lynn fora inteiramente justa. Mas o desempenho de Félix da Costa é qualquer coisa de brilhante. Conseguir superar pilotos com máquinas superiores e dar luta até ao final. É de um piloto com muito talento. Quem via os Onboards do português via que ia no limite e que deu tudo para ser 1º. Mais uma vez a máquina não o ajudou ( história que se repetiu vezes sem conta este ano).

E dizem que o rapaz não é consistente.

Conclusão? Este rapaz tem um talento brutal. Pegou num F3, que não conduzia há mais de um ano, adaptou-se ao carro e foi para a pista mais difícil do mundo fazer um brilharete. Peçam lá ao russo para fazer o mesmo.

Isto foi uma exibição para Helmut Marko e Franz Tost verem. Foi uma mostra de talento e de humildade. Só poucos predestinados conseguiriam fazer o que o Formiga fez. Estava na altura de alguém lhe por os olhos em cima a sério e chama-lo para onde já devia estar… Na F1.

Claro que hoje vai se falar mais de Futebol, ou até mesmo de F1 ou WRC. As pessoas poderão falar mais de Mortara que mais uma vez venceu em Macau sendo dos pilotos que mais vitórias tem no circuito, ou até de Lynn que venceu a prova em F3.

É provável que pouca gente fale sobre a prova do 2º classificado. E que como tal o feito seja subvalorizado. Mas quem viu a prova não pode ficar indiferente à prestação de Félix da Costa. Não é preciso ser um vidente do automobilismo para perceber a qualidade que ali está.O caminho de António Félix da Costa pode ainda ser longo, mas acredito que vá ser coroado de sucesso.

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.