WRC – Epílogo da época 2013. Parte 1 – Análise da época.

A temporada do WRC terminou. Tempo de rever tudo o que foi feito por pilotos e marcas. As desilusões, as surpresas, as confirmações, quem poderá ficar sem “assento” na próxima temporada, as trocas e quem poderá regressar ao grande mundo do WRC, onde só há espaço para os melhores. Tudo isso a ser dito a partir de agora.
A Volkswagen e Ogier foram os grandes vencedores da temporada, arrecadando todos os “louros”, fazendo a dobradinha com a conquista do mundial de pilotos e construtores, neste que foi o ano de estreia da marca alemã no campeonato do mundo de rally´s. 
Ogier, que depois de perder espaço dentro da Citroen, sempre em conflito com o outro francês, S. Loeb, abandonou a marca francesa, encarando uma época “sabática” na Skoda, mas correndo pela Volkswagen Motorsport, pois o Fabia S2000 mais não era do que um Polo R WRC disfarçado. Sem poder pontuar na sua categoria, onde os limites de teste são regra, Ogier, privou-se durante uma temporada de lutar com os melhores. Por alguma razão o fez, pois sabia do potencial do Polo versão WRC, e mais do que isso, da grande aposta da marca nos rally´s. 
Deu-se bem. O francês apostou sem dúvida no “cavalo” certo, só ninguém imaginava que seria uma certeza logo na primeira temporada. Mas foi. Ogier foi campeão do mundo com um à-vontade tão grande que fez lembrar um outro “Sebastien” de outros tempos. 
Para além de Ogier, a Volkswagen fez uma grande aposta também em J. M. Latvala, indo “roubar” o menino da casa da M-Sport. O finlandês depois de tantos anos na Ford, onde foi lançado por Malcolm Wilson, abandonou a marca Americana, encarando este novo projecto como um grande desafio à sua versatilidade, pois este Polo era em tudo diferente do que tinha conduzido até então. Com início tremido, em processo de aprendizagem no Polo R WRC, Jari, lá deu os seus famosos “crashes”, mas ainda foi a tempo de vencer uma prova esta temporada. Grécia apadrinhou a sua estreia a vencer na sua nova “montada”.
E se J. M. Latvala não chegou a vice-campeão do mundial, muito pode culpar a nova atracção deste campeonato. T. Neuville de seu nome. O jovem belga, da Ford, foi a grande revelação da temporada. Ele que inicialmente seria o 3º piloto da M- Sport, com estatuto de piloto da “equipa júnior”, Neuville mostrou que poderá ser dos poucos pilotos actuais a poder bater no “braço” S. Ogier, fazendo uma época de grande nível, faltando apenas a tão desejada vitória num rally, que por um motivo ou outro, fugiram ao piloto belga. Compensou com a sua regularidade, que lhe valeu o 2º lugar no final da temporada. 
Se dentro da M- Sport Neuville foi a surpresa, Novikov e Ostbergforam desilusões. Ostentando estatuto de pilotos oficiais, tanto um como o outro não fizeram valer todas as esperanças que neles tinham sido depositadas pelo “boss” Malcolm Wilson. Época para esquecer, de dois pilotos que vinham de equipas privadas, com grandes referências pelos resultados obtidos anteriormente, inclusive uma vitória no Rally de Portugal de 2012 por parte de M. Ostberg. Terá pesado a “camisola”?

Se na M- Sport os resultados ficaram aquém do esperado, na Citroen não foi diferente. Com Loeb em apenas 4 provas esta temporada, ficaram encarregues de lutar pelas vitórias, Sordo e Hirvonen. Mas a verdade é que os dois, durante toda a temporada, apenas deram uma vitória à Citroen, e Loeb em 4 ralis venceu por duas vezes. Resultados modestos para uma equipa que há muitos anos estava habituada a vencer. Mas sem “Seb” nas fileiras, as coisas ficam de facto muito mais difíceis. 
Salvou-se a vitória de Sordo na Alemanha, naquela que marcou a sua primeira vitória numa prova do WRC. Com um 4º e um 5º lugar final na geral por pilotos, Yves Matton terá muito para pensar relativamente à próxima temporada, isto se quiser ter uma palavra a dizer na luta por vitórias em provas, ou mesmo no mundial de pilotos e construtores. É que Loeb andará pelo WTCC…
Fica assim feita a analise da época de WRC. A segunda parte fará uma análise aos pilotos que mais se destacaram pela positiva e pela negativa.
Carlos Mota

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.