Dakar 2014 – Dia 3

Motos

O dia foi horrível para as cores portuguesas. Tudo correu mal a praticamente todos os nosso concorrentes e os resultados estão à vista. Mas já lá vamos. O vencedor da etapa de hoje foi Barreda que confirma assim a sua candidatura para vencedor da prova. O espanhol ficou a mais de 4 minutos de Despres e 6 minutos de Coma. Duclos da equipa Sherco continua a impressionar fazendo o 4º melhor tempo.

Na geral Barreda mantém-se líder agora com 13 minutos de vantagem sobre Despres.  Coma é terceiro e Duclos é 4º.

·         BARREDA BORT (ESP)
HONDA
09:56:44
·         DESPRES (FRA)
YAMAHA
10:09:48
00:13:04
·         COMA (ESP)
KTM
10:10:40
00:13:56
·         DUCLOS (FRA)
SHERCO
10:13:22
00:16:38
·         LOPEZ CONTARDO (CHL)
KTM
10:15:23
00:18:39
·         CASTEU (FRA)
KTM
10:19:00
00:22:16
·         VILADOMS (ESP)
KTM
10:31:17
00:34:33
·         PAIN (FRA)
YAMAHA
10:33:17
00:36:33
·         PRZYGONSKI (POL)
KTM
10:34:38
00:37:54
10º
·         SVITKO (SVK)
KTM
10:36:53
00:40:09
Mas vamos ao que nos interessa. O dia dos portugueses foi do pior que já se viu. Rúben Faria teve uma queda violenta que obrigou a ser evacuado por helicóptero para um hospital próximo. As últimas noticias dão conta que não é nada de grave e que o piloto apenas se encontra em observação no hospital. Mas é o fim da aventura para Faria que seguia num bom ritmo.

Paulo Gonçalves que também estava bem encaminhado para um bom resultado parou para ajudar Rúben Faria e perdeu também muito tempo.

Foi um dia muito mau que comprometeu o meu resultado na prova. Cometi um pequeno erro a seguir outros pilotos, acabámos por descer a montanha e quando vi que era o caminho errado já não conseguia subir para a pista certa. Tentei subir várias vezes, caí muitas vezes a tentar subir e danifiquei bastante a mota, ficando sem road-book e instrumentos de navegação.”

“Assim que vi o Ruben caído parei de imediato a prova e chamei a assistência médica, ficando com ele até à chegada do helicóptero. Não me pareceu ter nada de grave, já sei que está bem e que vai ter de ficar um ou dois dias internado apenas para observação.”

Com este atraso o português tem agora outros objectivos bem mais modestos


“Amanhã o objetivo é tentar chegar ao bivouac e a partir daí será ajudar o meu companheiro de equipa Joan Barreda a manter a liderança da prova”

Hélder Rodrigues também teve problemas com a sua moto o que o obrigou a ficar parado muito tempo para concertar a moto e voltar à pista.


Bianchi Prata também teve um dia para esquecer, fazendo a prova debilitado fisicamente por causa de um problema gástrico.

“Passei uma noite terrível. Devido a um pedaço de carne que ingeri ao jantar fiquei com o esófago obstruído e tive mesmo que ir de urgência ao hospital durante a noite. Nunca me senti tão mal na minha vida e tive que ser submetido a uma endoscopia para que o esófago fosse novamente ‘limpo’. Estive durante seis horas no hospital, uma delas a ser submetido a essa mesma endoscopia e quando regressei ao ‘bivouac’ apenas consegui dormir duas horas.”

“A etapa revelou-se muito dura, técnica e mesmo perigosa. Foi um dia muito complicado mas consegui chegar ao final e ganhar mesmo posições na classificação. Um resultado complicado de atingir mas que me dá moral para continuar.”

Mário Patrão também teve um dia difícil com a sua moto a dificultar-lhe a vida.


 “Foi uma etapa verdadeiramente difícil. A moto ficou sem bateria e tive de controlar o road-book à mão, o que não foi de todo fácil. Acabei por seguir um percurso na lateral de uma montanha que quanto mais tentava seguir mais descia até ao vale. Sair de lá não foi nada fácil, acabei sozinho no meio do percurso e sem instrumentos de navegação para chegar ao fim”

Neste momento Hélder Rodrigues é o melhor dos portugueses em 14º seguido de Paulo Gonçalves que caiu para a 28ª posição. Mário Patrão que estava no top 20 caiu para 36º, Pedro Oliveira é 37º e Bianchi Prata é 40º.

Um dia ingrato para os nosso motard portugueses.
Carros:

Nani Roma foi o vencedor da etapa com cerca de 1 min de vantagem para Krzystztof Holowczyc a surpresa do dia. Orlando Terranova e o seu navegador Paulo Fiuza fizeram 4º.
Na geral Nani Roma assumiu o comando com Terranova em 2º e Al-Attiyah  em 3º todos em Mini. Sainz em 4º é o primeiro “não Mini” da geral.

Hoje também tivemos acesso as declarações de Carlos Sousadepois da sua desclassificação de ontem ao não ter passado por alguns pontos obrigatórios tendo chegado ao Bivouac às 2 :30 da manhã. O português considera a desclassificação injusta.

“Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para cumprir integralmente o percurso, só que revelou-se impossível ultrapassar a zona de dunas, nos 30 quilómetros finais. Sem o auxílio do turbo, o carro não tinha potência suficiente para progredir na areia e nem com a ajuda do camião de assistência conseguimos superar este último obstáculo. Por isso, tomámos a única decisão possível, abandonando a pista e seguindo até ao bivouac por um caminho alternativo. Com isso, falhámos vários way points e a Organização acabou por excluir-nos da prova”

“Acho que é uma decisão demasiado radical e que contraria aquilo que é o espírito do Dakar. Se abandonámos a pista foi porque esgotamos todas as alternativas para chegar ao fim da especial pelos nossos próprios meios. Aceitaria toda e qualquer penalização, mas gostaria de ter continuado em prova. É um desfecho inglório após tantas e tantas horas de esforço.”


Saio daqui triste, muito triste mesmo. Em apenas 48 horas, fomos do céu ao inferno! Estava muito confiante que poderíamos lutar por um bom resultado este ano. O carro melhorou bastante e acho que poderíamos manter o andamento que evidenciámos logo na primeira etapa. Talvez lutar por um pódio fosse difícil face ao nível competitivo das outras equipas, mas acho que seríamos capazes de melhorar o resultado das últimas edições… Agora resta-nos esperar pelo próximo ano e perceber quais vão ser os planos da Great Wall para o futuro. Para já, ficou marcada uma reunião na China no próximo mês de fevereiro.

Classificação do dia de hoje:

1º Nani Roma (MINI), 02h58m52s
2º Krzystztof Holowczyc (MINI), 02h59m59s (+ 01m07s)
3º Leeroy Poulter (Toyota), 03h02m11s (+ 03m19s)
4º Orlando Terranova/PAULO FIÚZA (MINI), 03h03m46s (+ 04m54s)
5º Guerlain Chicerit (Corvette LS7), 03h55m04s (+ 03m19s)


Classificação Geral:

Pos.
Nom
Marque
Temps
écart
Pénalité
·         ROMA (ESP)
·         PERIN (FRA)
MINI
09:20:13
·         TERRANOVA (ARG)
·         FIUZA (PRT)
MINI
09:29:19
00:09:06
·         AL-ATTIYAH (QAT)
·         CRUZ (ESP)
MINI
09:30:13
00:10:00
·         SAINZ (ESP)
·         GOTTSCHALK (DEU)
SMG
09:32:15
00:12:02
·         PETERHANSEL (FRA)
·         COTTRET (FRA)
MINI
09:44:21
00:24:08
·         DE VILLIERS (ZAF)
·         VON ZITZEWITZ (DEU)
TOYOTA
09:46:36
00:26:23
·         LAVIEILLE (FRA)
·         GARCIN (FRA)
HAVAL
09:51:36
00:31:23
·         HOLOWCZYC (POL)
·         ZHILTSOV (RUS)
MINI
09:54:09
00:33:56
·         WEVERS (NLD)
·         LURQUIN (BEL)
HRX
10:04:52
00:44:39
10º
·         POULTER (ZAF)
·         HOWIE (ZAF)
TOYOTA
10:05:23
00:45:10

Para amanhã serão 353 Km cronometrados para as motos e 657Km para carros e camiões.

A prova vai ficando cada vez mais dura à medida que avança. Que a sorte proteja mais os nossos portugueses.

Fontes:
autosport.pt
dakar.com

Fotos:
Google.pt


Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.