Regra dos 107% – Uma regra que poderá complicar a vida dos pilotos.

Pelo que se tem visto nos testes da F1, a diferença de andamentos de umas equipas para outras é grande e em alguns casos alarmante. Há várias equipas como a Williams, a Mercedes a McLaren e a Force India que até já lideraram a tabela de tempos nos testes. Mas dos primeiros para o fundo da tabela, a diferença de tempos chega aos 8 e 9 segundos. É normal nesta fase, pois a revolução que se deu a nível técnico na F1, não é fácil de assimilar mas as equipas encontrarão forma de resolver os problemas mais tarde ou mais cedo.
No entanto, para o 1º GP, que é daqui a 12 dias, há um problema inesperado que surge. A regra dos 107%. Uma regra que foi implementada para retirar da pista os carros mais lentos, poderá retirar da pista mais carros do que se esperaria.
A regra diz que todo o carro que fizer mais que 107% do melhor tempo feito na 1ª sessão de qualificação ( Q1), é excluído automaticamente. Ou seja, explicando de forma simples, se o melhor tempo da Q1 for de 100 segundos (1:40:00), todos os carros que fizerem mais que 107 segundos (1:47:00) são automaticamente excluídos, não podendo participar na corrida.

Em termos práticos, e usando o melhor tempo da semana passada, que foi de Rosberg, como tempo para a Pole Position, isso significaria que apenas 14 carros poderiam correr, ficando 8 carros de fora ao abrigo da regra dos 107%. Seria certamente um escândalo se isso acontecesse.


É verdade que no passado já foram aplicadas excepções a essa regra e caso acontecesse em Melbourne, por certo que se fecharia os olhos à situação. Mas não deixa de ser caricato.
Os novos regulamentos são muito exigentes (há quem diga que demasiado exigentes) e há muitas equipas que precisariam de mais tempo para estar preparadas. A Red Bull já avisou que vai à Austrália em modo sobrevivência. A Caterham está muito em baixo tal como a Lotus e a Toro Rosso, embora em crescendo ainda é uma grande incógnita.

Veremos como corre o 1º GP, mas há muitas incertezas no ar. Contudo, ao contrário dos arautos da desgraça, não creio que este problema seja o “fim do mundo”. Há equipas que se prepararam melhor e outras pior. A competição é mesmo isto. Quem está melhor, está na frente e quem não se preparou, tem de correr atrás do prejuízo. O mundo da F1 é frio e muito competitivo. Acredito que no meio da época as coisas estarão mais equilibradas. Acredito também num campeonato muito competitivo. As mudanças são difíceis. Mas não se deve ter medo delas.

Link com uma calculadora para testar vários cenários:

https://www.allars.co.uk/calc/f1/qualifying.php

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.