F1 – GP da Austrália: O mundo ao contrário. Qualificação cheia de surpresas, onde a chuva veio ajudar ao espectáculo.

Finalmente! Depois da espera, das inúmeras mudanças e dos testes, chegou a competição a sério. O GP da Austrália marca o início de uma nova era. Muita gente olhava (e ainda olha) com desconfiança para esta nova realidade, mas o melhor mesmo é adaptar-nos. E o resultado desta revolução, para já, foi uma qualificação emocionante, como há muito não se via.

Na hora de treinos que antecedeu a qualificação, a tendência foi similar à das duas primeiras sessões, com Rosberg a figurar no topo da tabela, seguido de Button e Alonso. Os Force India mostravam-se em bom plano, Magnussen mantinha-se discreto e Vettel  só aparecia no 12º lugar. Caterham e Lotus mantinham-se com os problemas das primeiras sessões.
Na qualificação, tudo mudou com chegada da chuva. Foi a primeira vez que estes monolugares enfrentaram a chuva em pista. Os carros, com tanto binário nas saídas de curva, tornaram-se muito difíceis de conduzir, mas produziram imagens espectaculares.
Na Q1, ainda com piso seco, ficou confirmado que a Lotus e Caterham continuam com muitos problemas… Excepto Kobayashi, que surpreendentemente conseguiu passar à Q2, para alegria da equipa. Maldonado nem chegou a sair para a pista, com problemas no monolugar e Grosjean, claramente desagradado com o carro, tentou lutar mas o sistema de travagem era impossível de dominar. Gutierrez, com problemas de caixa, teve de regressar mais cedo e como tal não pode melhorar o tempo que fez. Na Marussia, Chilton ficou na frente do seu colega de equipa e falhou por pouco a passagem a Q2 (primeira surpresa).
A Q2 marcou a chegada da chuva e com isso o baralhar das contas. Ricciardo mostrava-se em grande forma, fazendo frente aos Mercedes, Button até vinha a mostrar bom andamento, tal como o seu companheiro de equipa e Alonso também andava pelos lugares de cima, algo que o Kimi teve mais dificuldade a fazer. Mas nos últimos minutos, já com novos pneus colocados e com a pista ainda molhada, a tabela ficou virada do avesso, com Ricciardo e os Mercedes ainda na frente, mas com Button a ficar de fora, com Raikkonen a ficar também eliminado, tendo perdido o controlo do F14T, embatendo contra um muro e provocando bandeiras amarelas, que prejudicaram quem ia na última volta lançada (como foi o caso de Button). Vettel não conseguiu também passar à Q3, com problemas no carro (para gáudio do muito publico presente). Kobayashi conseguia ficar num excelente 15º, à frente de Perez, e Sutil também ficava por esta fase, sem carro para mais.
Para a Q3, passavam de forma absolutamente surpreendente os dois carros da Toro Rosso, e Magnussen com uma última volta muito boa, ele que andava tímido nos treinos livres.
A Q3 trouxe uma pista mais molhada e com muitos carros a saírem com pneus de chuva, em vez dos intermédios. Mais uma vez, a batalha pela frente foi entre Mercedes e Ricciardo. Kvyat ainda conseguiu figurar por uma vez no topo da lista e os Williams, nunca conseguiram mostrar ritmo para chegar de facto aos lugares da frente.
A última volta lançada foi digna de um filme de suspense. Rosberg foi  1º a passar pela bandeira de xadrez, ficando com o1º lugar, sendo destronado de imediato por Ricciardo. Mas Hamilton, com uma volta soberba, conseguiu ficar com a pole, mesmo tendo quase perdido o carro a meio da sua volta. 
Magnussen fazia um excelente 4º, seguido de Alonso, cuja performance desiludiu, Jean Eric Vergne em 6º (o francês em pista molhada é excelente), Hulkenberg, Kvyat (com uma excelente primeira sessão de qualificação) e por fim os dois Williams.

Um final estonteante, imagens fenomenais, com os pilotos a terem de se esforçar mesmo muito para segurar os carros e um resultado completamente inesperado. Se isto for a nova F1 estamos contentes por isso.

Resultado da Qualificação:

Destaques:

Mercedes: 
O favoritismo confirmou-se. Estes Mercedes estão fortes e hoje provaram porquê. Hamilton consegue a primeira pole da época, de forma espectacular e Rosberg com o 3º lugar tem grandes hipóteses de terminar no pódio. Nota-se um deteriorar da relação entre Rosberg e Hamilton e se a luta pelo titulo for entre eles a situação não melhorará. No meio de tantas surpresas, esta pole foi o que menos surpreendeu.
Red Bull: 
Quem viu o carro no Bahrain e viu na qualificação em Melbourne, pode pensar que estava a ver uma época diferente. A Red Bull deu um passo de gigante em frente, mostrando que nunca é sensato descartar os Bull´s dos lugares da frente. O carro é muito bom em curva, mas a unidade motriz ainda é o calcanhar de Aquiles do RB10. Vettel, com falta de potencia, não conseguiu melhor que 12º, ele que já não se lembrava o que era ficar de fora na Q2 e Ricciardo deu espectáculo. Lutou como ninguém esperaria pela pole, na sua terra Natal e foi o melhor Red Bull. Uma entrada de sonho. Se terá carro para aguentar as 58 voltas é outra história, mas o australiano pode ficar contente com a sua prestação.
McLaren: 
Button viu se arredado da Q3 devido às bandeiras amarelas mostradas aquando do acidente de Raikkonen. Button mostrou –se sempre muito confortável com o carro e esperávamos que conseguisse um lugar no top 3. Mas a última volta na Q2 foi fatal para as aspirações do britânico. Magnussen é que surpreendeu toda a gente. O ritmo dos treinos não foi nada de estrondoso, mas na qualificação o jovem dinamarquês mostrou que tem talento para dar e vender. Conseguiu o 4º lugar e sai de uma posição privilegiada para atacar o pódio. Este Magnussen ainda vai dar muito que falar.
Ferrari: 
Novo ano, novo carro a história de sempre. Falta de performance do carro. Alonso não fez melhor que 5º, embora nos pareça que podia ter feito melhor, e Kimi com problemas no seu carro, nunca conseguiu fazer uma volta “à Kimi”. O Ferrari é difícil de conduzir, pouco estável e os pilotos pagaram por isso. Kimi estava claramente agastado com a situação e Alonso disse que não tinha ilusões sobre o andamento do carro e que ainda era necessário melhorar. Uma das desilusões do dia. Têm de fazer melhor.

Toro Rosso: 
Quem apostou que a Toro Rosso ia passar a Q3, foi decerto convidado a vestir um colete de forças. Mas a verdade é que conseguiram, com uma grande ajuda da chuva. Vergne em piso molhado é dos melhores e Kvyat mostrou talento, embora tenha perdido controlo do carro na última volta, o que podia ter custado caro ao russo. Em corrida suspeitamos que não conseguirão manter posições, pois o carro tem muitos problemas a resolver. Mas para quem estava a ter um fim de semana tão mau. 5º e 8º na qualificação é excelente.
Force India: 
Outra das desilusões do dia. Esperávamos ver a Force a lutar pelo top5, mas na qualificação isso nunca pareceu possível. Perez esteve francamente mal e apenas Hulkenberg mostrou qualidade para mais. O carro não mostrou ainda os argumentos do Bahrain, mas esperamos ver algo mais em corrida. Destaque negativo para Perez. Gostamos muito do mexicano, mas tem de começar a mostrar mais. Do outro lado da garagem está um piloto cada vez mais maduro e com muita qualidade que o pode ofuscar definitivamente. Hulkeneberg está muito optimista em relação ao carro. Esperemos que este optimismo se confirme.
Williams: 
Outra das desilusões. Quem esperava ver um Williams no top 5 ( tal como nós) enganou-se. O carro é bom e pode dar mais, mas em piso molhado, Massa e Bottas tiveram de suar para segurar o carro que perdeu muita aderência. É provável que a corrida traga uma Williams mais forte, mas a qualificação deixou muito a desejar. Ainda assim o optimismo é palavra de ordem na Williams. Se a corrida for em piso seco, convém contar com eles para a luta pelo pódio. Bottas terá uma penalização, pois teve problemas de caixa e terá de trocar o componente.
Sauber:
Já se sabia que havia muito para resolver e que este fim de semana não seria o melhor. Sutil ainda conseguiu ir à Q2, mas dificilmente o carro daria para mais. Gutierrez, com problemas de caixa, teve de recolher mais cedo às boxes. Não estamos a ver a Sauber fazer mais que isto este fim de semana. Gutierrez, com o problema de caixa e a consequente penalização terá de largar da última posição.
Caterham: 
Seria sempre uma qualificação difícil, com tão poucas voltas feitas nos treinos. Mas Kobayashi voltou em grande e conseguiu  fazer um impressionante 15º. Quem diria! Já Ericsson com poucas experiência e poucas voltas dadas, não arriscou e fez o 20º. Mas o resultado de Kobayashi merece destaque e poderá dar novo animo à equipa.

Marussia: 
Bianchi teve problemas electrónicos no carro que impediram de lutar de igual para igual com Chilton, que ficou contente com a sua qualificação, iniciando a época na frente do seu colega de equipa. Não acreditamos que se irá repetir muitas vezes. A Marussia parece estar ligeiramente melhor que a Caterham a nível da fiabilidade, mas Kobayashi fez a diferença hoje.
Lotus: 
Um carro na garagem e outro impossível de conduzir. Um fim de semana extremamente frustrante para a Lotus. O carro parece muito instável em travagem e as saídas de pista foram recorrentes. Uma unidade motriz já “ardeu”  e as perspectivas futuras não são as melhores. É uma pena ver a Lotus assim. Esperemos que melhorem no próximo GP. Se acabarem este será uma enorme vitória.
Ultima nota:
Ver estes carros a dançar e de lado nas curvas, mostra bem que este ano o talento do piloto será um factor fundamental. O pé direito terá de estar muito afinado e a concentração sempre no máximo. O talento já era importante mas este ano será ainda mais.

Fica o grid para amanhã:
1. Lewis Hamilton Mercedes 1m44.231s
2. Daniel Ricciardo Red Bull-Renault 1m44.548s +0.317s
3. Nico Rosberg Mercedes 1m44.595s +0.364s
4. Kevin Magnussen McLaren-Mercedes 1m45.745s +1.514s
5. Fernando Alonso Ferrari 1m45.819s +1.588s

6. Jean-Eric Vergne Toro Rosso-Renault 1m45.864s +1.633s
7. Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 1m46.030s +1.799s
8. Daniil Kvyat Toro Rosso-Renault 1m47.360s +3.129s
9. Felipe Massa Williams-Mercedes 1m48.079s +3.848s
10. Jenson Button McLaren-Mercedes 1m44.437s +2.173s

11. Kimi Raikkonen Ferrari 1m44.494s +2.230s
12. Sebastian Vettel Red Bull-Renault 1m44.668s +2.404s
13. Adrian Sutil Sauber-Ferrari 1m45.655s +3.391s
14. Kamui Kobayashi Caterham-Renault 1m45.867s +3.603s
15. Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1m48.147s +3.916s (5 posições)
16. Sergio Perez Force India-Mercedes 1m47.293s +5.029s
17. Max Chilton Marussia-Ferrari 1m34.293s +4.118s
18. Jules Bianchi Marussia-Ferrari 1m34.794s +4.619s
19. Marcus Ericsson Caterham-Renault 1m35.157s +4.982s
20. Romain Grosjean Lotus-Renault 1m36.993s +6.818s

21. Pastor Maldonado Lotus-Renault Sem tempo

Fontes:
autosport.pt
autosport.com
planetf1.com
f1today.net
Fotos:
retiradas de google.pt

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.