WRC – Rally Da Argentina (Resumo Final). Latvala a mais, para concorrência a menos.

O piloto Finlandês J. M. Latvala da Volkswagen venceu a 5ª prova do mundial de ralis, prova essa realizada na Argentina, que por tradição apresenta a pilotos e máquinas uma dureza de troços bem acentuada, e este ano as coisas não foram diferentes, com os difíceis estradões argentinos a fazerem estragos em vários pilotos, que saíram de cena ainda mal o rally havia começado.
Que o digam Hirvonen, Ostberg e mesmo Tanak em WRC2, que logo nos primeiros quilómetros do 1º troço do segundo dia, já estavam de fora de prova, e com os seus carros bem danificados, a roçar o destruído. É certo que todos eles regressaram ao abrigo do “rally 2”, mas já com as aspirações a um bom resultado final completamente arruinadas. Mikko Hirvonen, que vinha de uma boa prestação em Portugal, não deu assim continuidade a este bom momento. Ostberg, que em Portugal foi 3º, também aspirava a uma boa classificação final, e o azar logo no segundo dia comprometeu a sua prova.
Também no segundo dia mais vitimas. Sordo, Neuville e Mikkelsen, todos eles com problemas na última especial do dia, ficaram assim arredados da luta pela vitória, pois viriam a regressar no dia seguinte, mas já com uma penalização de 5minutos, irrecuperável em circunstâncias normais. Sordo, seria destes três o único a não terminar a prova, pois viria a ter de novo problemas no seu I20 WRC.
Enquanto isto tudo sucedia, Latvala assumia a liderança que nunca mais iria largar, ampliando a mesma ate final do 3º dia de prova, com Ogier a assumir que não tinha ritmo para acompanhar o seu colega de equipa, ao mesmo tempo que também sofria com alguns problemas a nível de pneus, com um grande desgaste, e sem argumentos para arriscar mais em busca de Latvala, deitando a toalha ao chão quanto à luta pela vitória na prova, passando a fazer uma gestão da sua posição, que nunca foi colocada em perigo por Meeke, que seguia na 3º posição, mas bem longe dos dois homens da Volkswagen.
O britânico fez o que tinha prometido na antevisão da prova, andar de forma controlada, aprender o carro, aprender o rally e terminar a prova sem percalços. Mas os percalços alheios levaram o piloto da Citroen ao lugar mais baixo do pódio, e quanto a nós, um lugar merecido, não pela rapidez de Meeke nesta prova, que de facto não a teve, porque desde o início nada arriscou, mas por toda uma carreira de sucesso, de qualidade. Este bom piloto chega a este nível mundial, injustamente tarde, este pódio é sem dúvida um premio mais do que justo, para um bom piloto, ao qual, apreciamos muito.
Outra das novidades desta prova, foi a postura de R. Kubica, que havia prometido outra abordagem relativamente à0s provas, mais controlado e com o desejo de terminar. O polaco de facto cumpriu à risca isso mesmo, levou o seu Fiesta RS WRC ao final de prova, sem grandes sustos (comparado com o que já se viu). R. Kubica não foi rápido é certo, mas levou a água ao seu moinho, fechando a sua prestação na Argentina com um 6ª lugar final e os primeiros 8 pontos da temporada.
Na última especial a “Power Stage”, vencida sem contestação por Ogier, com uma vantagem de 10´s sobre Hirvonen. Latvala a controlar o andamento, sem correr riscos na derradeira especial, onde se pode pôr em causa uma vitória já anunciada, ainda assim foi 3º, somando mais um ponto, vencendo no total, 5 pontos face ao seu colega de equipa Ogier.
Classificação Final:
POS # DRIVER TIME DIFF PREV DIFF 1ST
1. 2 FINJ. LATVALA 4:41:24.8
2. 1 FRAS. OGIER 4:42:51.7 +1:26.9 +1:26.9
3. 3 GBRK. MEEKE 4:47:19.5 +4:27.8 +5:54.7
4. 9 NORA. MIKKELSEN 4:47:43.1 +23.6 +6:18.3
5. 7 BELT. NEUVILLE 4:49:50.6 +2:07.5 +8:25.8
6. 10 POLR. KUBICA 4:51:32.8 +1:42.2 +10:08.0
7. 6 GBRE. EVANS 4:51:57.0 +24.2 +10:32.2
8. 21 CZEM. PROKOP 4:53:28.7 +1:31.7 +12:03.9
9. 5 FINM. HIRVONEN 5:01:19.6 +7:50.9 +19:54.8
10. 40 QATN. AL-ATTIYAH 5:04:35.0 +3:15.4 +23:10.2
11. 41 PERN. FUCHS 5:10:10.7 +5:35.7 +28:45.9
12. 42 PRYD. DOMINGUEZ 5:10:25.5 +14.8 +29:00.7
13. 37 ITAL. BERTELLI 5:17:48.4 +7:22.9 +36:23.6
14. 44 QATA. AL-KUWARI 5:25:52.4 +8:04.0 +44:27.6
15. 46 PRYM. ZALDIVAR 5:31:24.7 +5:32.3 +49:59.9
16. 72 ARGJ. ALONSO 5:38:28.8 +7:04.1 +57:04.0
17. 38 ESTO. TANAK 5:41:05.3 +2:36.5 +59:40.5
18. 74 ECUP. ZEA VELASCO 5:41:49.8 +44.5 +1:00:25.0
19. 34 PRYA. BESTARD 5:41:56.3 +6.5 +1:00:31.5
20. 47 CHLR. TORRES 5:42:09.4 +13.1 +1:00:44.6
Classificação Final WRC2:
POS # DRIVER TIME DIFF PREV DIFF 1ST
1. 40 QATN. AL-ATTIYAH 5:04:35.0 +3:15.4 +23:10.2
2. 41 PERN. FUCHS 5:10:10.7 +5:35.7 +28:45.9
3. 42 PRYD. DOMINGUEZ 5:10:25.5 +14.8 +29:00.7
4. 37 ITAL. BERTELLI 5:17:48.4 +7:22.9 +36:23.6
5. 44 QATA. AL-KUWARI 5:25:52.4 +8:04.0 +44:27.6
6. 46 PRYM. ZALDIVAR 5:31:24.7 +5:32.3 +49:59.9
7. 72 ARGJ. ALONSO 5:38:28.8 +7:04.1 +57:04.0
8. 38 ESTO. TANAK 5:41:05.3 +2:36.5 +59:40.5
9. 34 PRYA. BESTARD 5:41:56.3 +6.5 +1:00:31.5
10. 47 CHLR. TORRES 5:42:09.4 +13.1 +1:00:44.6
11. 35 FINJ. KETOMAA 5:43:00.3 +50.9 +1:01:35.5
12. 43 ITAG. LINARI 5:53:26.9 +10:26.6 +1:12:02.1
13. 33 ITAM. RENDINA 6:11:09.6 +17:42.7 +1:29:44.8
Latvala: fez uma grande prova, este finlandês, que finalmente conseguiu o que ainda ninguém tinha feito nestas últimas duas temporadas… Dater Ogier no braço, sem precisar que o francês tenha tido azares para vencer o rally. Finalmente conseguiu ganhar consistência, sem ceder à pressão. Latvala é daqueles pilotos como há poucos, se não sair de estrada é muito difícil de bater. Se Ogier vacilar, ele está mais perto na classificação….Teremos campeonato reaberto?
Ogier: prova complicada para o francês, onde a sorte também não esteve do seu lado, e pior que isso, teve de se bater com um “Super Latvala”, muito rápido e sem erros, complicando a vida do francês. Venceu a “Power Stage”, minimizando assim as perdas, mas ainda assim sai da Argentina com o seu colega de equipa mais perto de si no mundial de pilotos. Na sardenha não pode falhar…
Meeke: finalmente Meeke a dar um ar da sua graça. É certo que precisou de azares alheios para ascender à 3ª posição, mas a verdade é que estava lá no momento certo e na hora certa. Ainda teve de suster a pressão de Mikkelsen, mas ainda assim consegue este justo e merecido pódio. Lá diz o ditado “devagar se vai ao longe…”
Mikkelsen: o terceiro piloto da Volkswagen, fez 4º na geral final, depois de um problema mecânico no último troço do2º dia, descendo 5 minutos em “rally2”. Regressou ainda tempo de colocar em “cheque” o 3º lugar de Meeke. De notar a evolução deste jovem piloto, que até venceu uma especial. De volta à confiança, Mikkelsen começa a ser uma seta apontada…
Neuville: Não fosse o azar da última especial do segundo dia, e teria a feito uma prova imaculada. Claro que o Hyundai ainda não vale o que “os outros” valem e perante isso, este top5 num rally tão duro como da Argentina, só pode ser considerado positivo para Neuville. Foi ainda a tempo de vencer um especial (SS10). Sai decerto mais motivado, e claramente leva nota positiva.

Kubica: finalmente R. Kubica consegue terminar uma prova, e sem grandes sustos pelo caminho. Já havíamos dito que o piloto polaco teria de rever a sua carreira, e a melhor forma de o fazer foi mesmo esta: andar de forma controlada, olhar para a frente e não para os tempos. Kubica fecha esta etapa do mundial na 6ª posição, e com os primeiros pontos do campeonato. Que seja para continuar.
Evens: passou completamente despercebido pela Argentina. Piloto cheio de potencial, mas ainda a aprender o carro, o campeonato, e a tentar arranjar a fórmula para o fazer. Está a tentar dar os passos certos, apesar de o estar fazer a um ritmo mais lento. Sai com pontos, e certamente com a primeira lição de “tango” assimilada. Venha a Sardenha.
Prokop: mais do mesmo. O checo lá vai andando, devagar devagarinho, e acumula mais uns pontinhos. Discreto, sem andamento para este nível, mas com os bolsos cheios. O verdadeiro turista do WRC.
Hirvonen: não fosse a falha logo na 2ª especial da prova e teríamos o finlandês de novo entre os mais rápidos, mas a este nível os erros pagam-se bem caros. De facto, mais do que uma temporada complicada, uma fase da carreira difícil para Mikko. Destaque ainda para os 2 pontos ganhos na “Power Stage”.
N. AL-ATTIYAH: vence e convence no WRC2, de forma tão claro que nos perguntamos o que anda Nasser a fazer por aquelas bandas. Piloto de nível mundial, que domina a seu belo prazer sobre estes jovens pilotos, que passam mais tempo fora de estrada do que dentro da mesma. E o título de WRC2 começa a ser objectivo.
Vamos ás conta finais, com as classificações do mundial:
WRC

WRC2:
Está cumprida desta forma mais uma etapa do mundial de ralis, a Argentina despede-se da caravana do mundial, que se dirige agora para a ilha da Sardenha, em mais uma prova muito dura, onde o espectáculo e a incerteza quanto ao vencedor será uma constante. Ogier sai da América do Sul mais pressionado por Latvala na classificação geral, e o piloto Finlandes mais motivado, em busca quem sabe, de um título tão desejado por J. M. Latvala.
Marque na sua agenda, de 5 a 8 de Junho, rally da Sardenha.
Acompanhe antes disso todas as notícias sobre o mundo dos desportos motorizados na nossa página de facebook e no nosso blog “chicane Desportos Motorizados”.
Ate lá… if in doubt flat out!!!
Fotos:
Retiradas da página de Facebook “Doidos por Rally” com endereço em :


Fontes:
wrc.com


Carlos Mota

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.