WRC: Ogier "embala" concorrência e ganha confortavelmente

S. Ogier venceu o Rally da Polónia, sétima prova do mundial de ralis, depois de uma batalha intensa nos dois primeiros dias com o seu colega de equipa, o improvável S. Mikkelsen, que muito trabalho deu ao francês. A verdade é que este francês tem o poder de se  afastar dos azares e armadilhas que os ralis têm escondidos a cada curva e enquanto toda a concorrência de debatia com problemas nos carros pela dureza dos troços, Ogier seguia na frente sem que nada lhe afectasse.

A realidade é que nesta prova até os “resistentes” Polo R WRC tiveram problemas. Latvala não começou bem o rally, perdendo muito tempo no primeiro dia, começando depois a encetar uma boa recuperação que o levou a 3º na geral, mas um amortecedor partido no terceiro dia de prova, fez de novo o finlandês da Volkswagen cair na tabela classificativa. Mikkelsen, que até foi o grande oponente de Ogier nos dois primeiros dias, onde chegou inclusive a liderar a prova por diversas vezes, num dos últimos troços do terceiro dia teve problemas de travões, perdendo muito tempo e deixando o “intocável” Ogier com o caminho livre para mais uma vitória no WRC, a 5ª desta temporada. O francês somou ainda mais 3 pontos na “Power Stage”, numa especial onde a Volkswagen fez “hat trick” com Mikkelsen a ser segundo e Latvala terceiro. O poderio do construtor alemão face à concorrência é bem evidente.

Quem fez um boa prova de trás para a frente, foi mesmo T. Neuville, que até nem começou da melhor maneira a prova, mas ao longo do rally foi melhorando o andamento, marcando até tempos entre os mais rápidos, vencendo inclusive a SS17. O Hyundai passou em mais um teste e Neuville fez mais um pódio, numa rally nada fácil, muito rápido e completamente desconhecido para toda a gente.

As coisas não foram fáceis para ninguém, que o digam os homens da Ford, que tiveram um rally muito discreto, que ainda assim acabou por ser “composto” pelo menos mau 4º lugar de M. Hirvonen, que ao longo do rally foi aumentando o seu ritmo, subindo de forma progressiva na classificação, depois de nos dois dias iniciais ter sido demasiado calculista nas notas, o que se reflectiu nos tempos.

O jovem E. Evens também teve mais uma participação para esquecer, somando mais um abandono, mostrando pouco antes disso, apesar da sua juventude e talento inquestionável. Evens não está num bom momento, pena é que neste mundo dos ralis por vezes não se tem tempo para mostrar serviço…que o diga O. Tanak.

Sobre Robert Kubica pouco há a dizer. Poderíamos simplesmente fazer “copy past” de outros resumos da temporada para descrever o rally do piloto polaco, que desta vez até corria em casa. Capotou no primeiro dia, tendo a sorte de estar muito público naquela zona que rapidamente o colocaram a ver o mundo direito de novo, e seguiu viagem, não perdendo muito tempo. Mas no 3º dia de prova, mais do mesmo. Exagero numa secção de curvas rápidas e o Fiesta ficou sem a roda traseira direita, o que ditou mais um abandono de R. Kubica. Decididamente, já deixamos de ter adjectivos para qualificar os seus desempenhos.

A Citröen teve um rally bem complicado, mas que nem começou mal, com C. Meeke nos primeiros troços da prova a andar entre os mais rápidos, mas nas segundas passagens pelos troços foi caindo na geral. Quem começou a subir foi Ostberg, que sempre discreto mas sem perder muito tempo, estava a pouco menos de 20´s da liderança e a marcar tempos rápidos. Mas como o poder de se afastar dos azares somente a Ogier pertence, o piloto norueguês teve uma saída de estrada, capotando o seu DS3 WRC, e ficando de fora de uma prova até então imaculada.

A Citröen sai da Polónia com o 7º lugar de Meeke, resultado bem modesto, isto na semana em que foi garantido que a marca continuará a correr o mundial de ralis no próximo ano, estando em equação a continuidade até 2017.

A Hyundai acabou por ter uma boa participação na Polónia, colocando T. Neuville na terceira posição final, o segundo pódio da marca coreana nesta temporada de estreia e J. Hanninen fez esquecer o mau desempenho na Sardenha com um bom 6º lugar final e Paddon a fazer 8º. Mais do que os bons resultados finais, foi o facto de os três I20 WRC não apresentarem problemas de maior em termos de fiabilidade, o que denota nesse aspecto, alguma evolução. Nota claramente positiva.

Sebastien Ogier vence assim desta maneira mais uma prova do mundial de ralis, cimentando ainda mais a sua liderança do mundial de ralis, que começa a estar completamente inclinado para o francês. Como sempre, calculista e frio, esperou pelo melhor momento de atacar e dar o golpe final, contando ainda, com o azar de Mikkelsen, para vencer sem ter de andar verdadeiramente a fundo. Somou mais 3 pontos da “power stage”, para dissipar todas as dúvidas…

A. Mikkelsen fez possivelmente sua melhor prova desde que chegou ao WRC, e mostrou ter de facto rapidez para vôos mais altos do que ser apenas o terceiro piloto. O norueguês foi um osso bem duro de roer para Ogier. Um problemas de travões impediu-o de entrar no último dia de prova em posição de atacar a liderança do seu companheiro. Sai motivado para a Finlândia.

T. Neuville acabou por ter uma boa prova culminando com mais um pódio, depois de também ter sido terceiro no México. É um facto que este Hyundai ainda não é constantemente rápido, mas a verdade é que começa a passar nos testes da fiabilidade. Ainda assim em alguns troços já se começa a aproximar dos mais rápidos. Boas perspetivas daqui em diante para uma marca que parece dar os primeiros sinais de evolução. Neuville parece ser o piloto certo para este carro, sem pressa de fazer as coisas, porque quer fazê-las bem.

M. Hirvonen não começou bem o rally, com um ritmo demasiado calculista, mas nem por isso eficiente, lá foi percebendo que nesta prova não é preciso travar tanto e foi galgando terreno na geral. Sai com um 4º lugar, que visto bem as coisas, poderia ter sido um pódio, não fosse os dois primeiros dias a andar demasiado devagar. Valeu, e venha a “sua” Finlândia.

J. M. Latvala não teve um fim-de-semana nada fácil, com vários problemas no carro e não só. Se no primeiro dia de prova não acertou com a condução neste tipo de troços cedendo muito tempo, depois de “afinar” a peça entre o volante e “baquet”, o finlandês fez bons tempos subindo na geral, até partir um amortecedor, perdendo muito tempo até ao final do dia. Caiu para 5º na geral e ai ficou até final da prova. Vê desta forma Ogier fugir-lhe quase de forma irrecuperável,


J. Hanninen depois do azar da Sardenha, o piloto da Hyundai lá conseguia redimir-se com um bom resultado para si e para a marca. Alguns bons tempos assinalados, principalmente no primeiro dia onde chegou a andar no top3. Piloto que chegou tarde ao WRC.

C. Meeke foi o único dos Citröen a terminar a prova, num modesto 7º lugar para o britânico. Numa prova em que praticamente só se deu por ele no primeiro dia, dai em diante foi sempre a cair na classificação. Sem ritmo para os homens da frente, começa a perder fulgor dentro do pelotão do WRC.

H. Paddon foi mais um dos Hyundai a terminar a prova, numa clara demonstração de fiablidade do I20 WRC. Bons ventos e boas marés para aqueles lados.

H. Solberg voltou ao mundial de ralis, depois de duas presenças no mundial de Rally Cross. O irmão mais velho de Petter Solberg, foi 9º na classificação, ele que já nem se lembrava o que era andar sozinho em estrada…o Mundial WRX é uma boa opção para ele.

M. Prokop igual a si próprio, embora tenha tido um azar nesta prova, poucos abandonos ditaram apenas um 10º lugar final para si.

M. Ostberg quando seguia na terceira posição a fazer um bom rally, perto até dos homens da frente, teve uma saída de estrada que ditou o seu abandono. Este piloto tem muita qualidade, mas por vezes tem destas coisas. Melhores dias virão concerteza.

R. Kubica capotou no primeiro dia, arrancou uma roda do seu Fiesta no terceiro…está tudo dito.

Ogier venceu, Mikkelsen convenceu e Kubica bateu, confira agora a classificação geral final do Rally da Polónia:

Pos
Piloto
Pts. Rally
1.
Sebastien Ogier
28
2.
Andreas Mikkelsen
20
3.
Thierry Neuville
15
4.
Mikko Hirvonen
12
5.
Jari-Matti Latvala
11
6.
Juho Hanninen
8
7.
Kris Meeke
6
8.
Hayden Paddon
4
9.
Henning Solberg
2
10.
Martin Prokop
1

Classificação do mundial:

Pos
Piloto
Món.
Sué.
Méx.
Por.
Arg.
Sar.
Pol.
Total
1.
Sebastien Ogier
27
8
28
28
21
26
28
166
2.
Jari-Matti Latvala
13
27
20
2
26
17
11
116
3.
Andreas Mikkelsen
6
18
0
12
12
15
20
83
4.
Mads Ostberg
12
18
2
16
0
18
0
66
5.
Mikko Hirvonen
0
13
5
18
4
0
12
52
6.
Thierry Neuville
0
0
15
6
10
0
15
46
7.
Kris Meeke
16
1
0
0
15
0
6
38
8.
Elfyn Evans
8
0
12
0
6
10
0
36
9.
Martin Prokop
0
0
10
8
4
8
1
31
10.
Henning Solberg
6
10
6
2
24
11.
Bryan Bouffier
18
0
18
12.
Juho Hanninen
0
4
0
8
12
13.
Robert Kubica
0
0
0
0
8
4
0
12
14.
Ott Tanak
10
0
0
0
0
0
10
15.
Benito Guerra Latapi
8
8
16.
Chris Atkinson
6
6
17.
Pontus Tidemand
4
4
18.
Hayden Paddon
0
4
4
19.
Jaroslav Melicharek
4
0
4
20.
Nasser Al-Attiyah
2
1
0
3
21.
Lorenzo Bertelli
2
2
22.
Matteo Gamba
2
2
23.
Craig Breen
2
2
24.
Yuriy Protasov
1
0
1
0
0
0
2
25.
Jari Ketomaa
0
1
0
0
1
26.
Khalid Al Qassimi
1
1

No WRC 2, a viória foi para O. Tanak que finalmente conseguiu impor a sua rapidez, e traduzir isso em vitórias. Desta vez sempre com o carro na estrada, o piloto estónio provou ser um piloto completamente à parte neste campeonato. Tem um nível superior a toda a gente e se ganhar consistência, está aqui um caso muito sério.

A dupla portuguesa B. Sousa e H. Magalhães ficaram em 5º na categoria, numa prova nada fácil, com vários problemas no carro a nível de motor, queixando-se B. Sousa de alguma falta de potência. Ainda assim ao longo da prova foram evoluindo de forma positiva, com alguns tempos bem interessantes e próximos dos mais rápidos.

Venha a próxima etapa para esta dupla que muitas alegrias poderão dar ainda aos portugueses.

Classificação do WRC2:

Pos
Driver
Món.
Sué.
Méx.
Port.
Arg.
Sar.
Pol.
Total
1.
Lorenzo Bertelli
18
8
18
12
25
81
2.
Yuriy Protasov
25
10
25
0
0
15
75
3.
Jari Ketomaa
18
18
0
18
54
4.
Nasser Al-Attiyah
25
25
0
50
5.
Karl Kruuda
25
12
12
0
49
6.
Ott Tanak
12
4
4
25
45
7.
Nicolas Fuchs
8
0
18
0
8
34
8.
Bernardo Sousa
10
10
10
30
9.
Max Rendina
10
15
0
0
0
4
29
10.
Yazeed Al-Rajhi
12
0
15
27
11.
Robert Barrable
15
8
23
12.
Valeriy Gorban
6
4
0
12
22
13.
Seb. Chardonnet
18
0
18
14.
Abdulaziz Al-Kuwari
0
6
10
0
16
15.
Pontus Tidemand
15
15
16.
Diego Dominguez
15
15
17.
Frederik Ahlin
15
0
15
18.
Gianluca Linari
4
10
0
0
14
19.
Armin Kremer
12
12
20.
Jourdan Serderidis
8
0
2
10
21.
Juan Carlos Alonso
6
2
1
8
22.
Miguel Zaldivar
8
8
23.
Quentin Gilbert
0
0
8
8
24.
Augusto Bestard
6
2
8
25.
Martin Kangur
1
6
0
7
26.
Jaroslav Koltun
6
6
27.
Subhan Aksa
2
2
28.
Ramon Torres Fuentes
1
1
0
2

O mundial de ralis pára agora quase um mês, regressando no dia 27 de Julho até 3 de Agosto, com o mítico rally da Finlândia, para quem gosta de bons saltos e de muito e muito espectáculo.

Acompanhe tudo o que se passar no mundo dos desportos motorizados na nossa pagina de Facebook “Chicane Desportos Motorizados” e no nosso blog.

Até lá…If in doubt flat out.


Fotos:
google.pt

Carlos Mota

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.