DTM: Moscow Raceway. Maxime Martin implacável, fez esquecer o rotulo de rookie e venceu de forma brilhante na Rússia.

Foi um fim de semana em grande para Maxime Martin. O homem da BMW dominou por completo as operações e quem o viu não se lembrou que se tratava de um rookie, tal a qualidade do seu desempenho.

O início da corrida foi bastante movimentado do 3º lugar para baixo, com os homens que largaram da frente a manter as posições, enquanto que atrás havia muita mudança, com Rockenfeller a cair 4 lugares, devido à escolha dos pneus duros para o início da prova. Tambay, Ekstrom, Wittmann e Glock aproveitaram as primeiras voltas para subir na classificação (todos com macios). Destaque para Vietoris que subiu 12 posições.
Félix da Costa era 13º e o seu andamento não era o melhor, com os pneus duros, numa estratégia claramente virada para 2º stint com pneus macios.
Green e Di Resta eram obrigados a abandonar a corrida mais cedo, enquanto Martin continuava a cavar o fosso para Spengler que não tinha argumentos para o belga.
A meio da corrida o Audi de Scheider parou a meio da recta da meta o que levou à entrada do Safety Car. Embora pudessem parecer boas noticias para os pilotos que escolheram fazer a segunda parte da corrida com os pneus macios, a verdade é que seriam prejudicados por atrasar a entrada para as boxes, ficando com menos voltas com os pneumáticos mais rápidos para recuperar o tempo perdido.
Na saída do SC de pista e logo na 3ª curva, Rockenfeller cometeu um erro que lhe poderá ter custado a corrida para o titulo. Depois de uma corrida gerida de forma inteligente, o alemão apertou com Tambay e o Audi do francês fez um pião levando consigo Rockenfeller. Desistência para ambos e contas muito mais complicadas no campeonato. 
Nova entrada do SC que demorou uma eternidade a sair da pista. A corrida foi retomada com Martin de novo em grande, mesmo com os pneus duros. Mais atrás Farfus, Molina e Da Costa trocavam para os pneus macios e iniciavam o último ataque, mas com a demora do safety car, tinham muito pouco tempo para fazer render a estratégia. 
Com o tempo de corrida esgotado, o número total de voltas ficou por cumprir, prejudicando quem apostou tudo na última parte da corrida. Vitória para Martin, seguido de Spengler e Ekstrom que volta ao pódio depois de Norisring (e de ter vencido a prova do WRX).

Classificação final:

Pos Driver Team/Car Time/Gap

 1. Maxime Martin           RMG BMW            1h15m09.422s
2. Bruno Spengler Schnitzer BMW +4.259s
3. Mattias Ekstrom Abt Audi +9.454s
4. Marco Wittmann RMG BMW +9.591s
5. Nico Muller Rosberg Audi +10.740s
6. Timo Glock MTEK BMW +15.632s
7. Christian Vietoris HWA Mercedes +16.553s
8. Pascal Wehrlein HWA Mercedes +19.300s
9. Edoardo Mortara Abt Audi +20.987s
10. Augusto Farfus RBM BMW +21.110s
11. Antonio Felix da Costa MTEK BMW +21.636s
12. Miguel Molina Abt Audi +21.668s
13. Martin Tomczyk Schnitzer BMW +27.181s
14. Robert Wickens HWA Mercedes +28.109s
15. Daniel Juncadella Mucke Mercedes +28.625s
16. Gary Paffett HWA Mercedes +29.039s
17. Joey Hand RBM BMW +29.759s
18. Vitaly Petrov Mucke Mercedes +39.933s

Retirements:

Adrien Tambay Abt Audi 27 laps
Mike Rockenfeller Phoenix Audi 27 laps
Timo Scheider Phoenix Audi 22 laps
Paul di Resta HWA Mercedes 8 laps
Jamie Green Rosberg Audi 6 laps

BMW:

Um fim de semana em cheio. A Rússia sorriu e de que maneira aos homens de Munique que conseguiram diminuir o fosso que tinham para a Audi e mantiveram o líder do campeonato na frente. Martin está a crescer e pode tornar-se um caso sério. As prestações do belga não passam despercebidas a ninguém. Spengler não teve ritmo para Martin mas conseguiu o 2º posto (subindo para 3º da geral) e Wittmann em 4º, manteve uma distância confortável para o 2º classificado. O 4º lugar caiu lhe no colo mas a sorte dos campeões também é um factor a ter em conta. Destaque para a boa corrida de Glock, em 6º com muita luta e boas ultrapassagens. A BMW sai claramente a ganhar da Rússia e se Audi volta a cometer erros assim o campeonato pode muito bem estar entregue a Wittmann e o de construtores pode ainda mudar.

Audi:

Os favoritos fizeram questão de complicar a sua vida no campeonato. Rockenfeller com um erro tremendo pode ter hipotecado as hipóteses de revalidação do titulo, levando com ele Tambay que estava também muito bem colocado. Mortara esteve longe do que já fez este ano e o 9º lugar é manifestamente pouco, Molina não conseguiu traduzir em resultados o bom andamento que tem mostrado. O único com motivos para sorrir é Ekstrom que parece de regresso à boa forma, depois de um ano penoso. O piloto voltou a subir ao pódio e consegue assim assumir a vice liderança do campeonato. Mas muita coisa  a rever na Audi. Não se pode dar assim um tiro no pé, nesta corrida que podia ter marcado a aproximação a Wittmann. Carros da mesma marca atirarem-se para fora de pista é algo que deve ter irritado bastante os chefes da Audi.

Mercedes:

O grande destaque vai para Vietoris e Wehrlein. Ambos nos pontos, fizeram uma excelente corrida e conseguiram contrariar a falta de andamento dos C Coupé com muita qualidade na condução. Somos cada vez mais fãs de Wehrlein. O jovem mostra muita qualidade e tem ainda uma grande margem de progressão. Vai ser um caso sério. Já Vietoris fez uma recuperação tremenda e pode considerar este 7º como uma vitória. Os restantes Mercedes ocuparam sem surpresa a maior parte dos últimos lugares da classificação. 

Félix da Costa:

Há fins de semana assim. O facto de não ter rodado na 2ª sessão de treinos atrapalhou a afinação do BMW, o que o fez pagar caro na qualificação. Em corrida apostou tudo no 2º stint, onde atacaria com tudo mas os safety car encurtaram lhe o tempo disponível para fazer o ataque. 11º lugar é pouco e fica de novo fora dos pontos. Notou-se que podia ter feito mais se tivesse mais tempo, mas as corridas são mesmo assim. Voltamos a colocar a questão. Fará sentido o piloto andar dividido por tantas categorias? Vai falhar as 2 primeiras corridas da Formula E, que coincidem com corridas do DTM, ou seja partirá logo em desvantagem. Assim nem se concentra numa modalidade a 100%. Será esta gestão a melhor? Desconfiamos que não.

Geral dos pilotos:


Position Driver Team Points Hockenheim Oschersleben Hungaroring Norisring Moskau Raceway Red Bull Ring Nürburgring Lausitzring Guangzhou Hockenheim
1 Marco Wittmann BMW Team RMG 70 25 25 8 12
2 Mattias Ekström Audi Sport Team Abt Sportsline 50 18 2 15 15
3 Bruno Spengler BMW Team Schnitzer 41 8 15 18
4 Edoardo Mortara Audi Sport Team Abt 41 15 12 12 2
5 Mike Rockenfeller Audi Sport Team Phoenix 35 12 18 1 4
6 Maxime Martin BMW Team RMG 33 8 25
7 Christian Vietoris Original-Teile Mercedes AMG 31 25 6
8 Adrien Tambay Audi Sport Team Abt 28 15 1 10 2
9 Miguel Molina Audi Sport Team Abt Sportsline 26 8 18
10 Robert Wickens FREE MAN´S WORLD Mercedes AMG 25 25
11 Jamie Green Audi Sport Team Rosberg 24 6 18
12 Timo Glock BMW Team MTEK 18 10 8
13 Augusto Farfus BMW Team RBM 15 4 10 1
14 Pascal Wehrlein gooix Mercedes AMG 14 10 4
15 Paul Di Resta Mercedes AMG 12 12
16 Nico Müller Audi Sport Team Rosberg 10 10
17 Timo Scheider Audi Sport Team Phoenix 9 2 6 1
18 Martin Tomczyk BMW Team Schnitzer 8 6 2
19 Joey Hand BMW Team RBM 7 1 6
20 António Félix da Costa BMW Team MTEK 4 4
21 Gary Paffett EURONICS Mercedes AMG 4 4

Geral construtores

Position Manufacturer Points Hockenheim Oschersleben Hungaroring Norisring Moskau Raceway Red Bull Ring Nürburgring Lausitzring Guangzhou Hockenheim
1 Audi 223 47 48 49 52 27
2 BMW 196 54 12 52 14 64
3 Mercedes-Benz 86 41 35 10
:
Próxima corrida dia 3 de Agosto na Red Bull Ring. 
Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.