Opinião: Um balde de água fria!

foto: Getty Images
O último grande prémio de fórmula 1 deve ter sido um balde de água fria para o “grupo dos bota abaixo a F1”. Vence sempre o mesmo, os pilotos já não são precisos, os carros quase se conduzem através do pit Wall… são quase sempre estas as queixas! Já ninguém os atura. Claro que eu também gosto de ouvir mais o motor do carro, gosto de um piloto carismático, que me faça odiar os seus rivais e não gosto dos narizes dos F1 de 2014, mas uma coisa é certa, quando não gosto de algo, não o faço (fica a dica para tentarem não ver F1, caso não gostem!). Não ando a gritar por ai que o queijo não vale nadinha e no entanto, detesto queijo! Acho que deu para entender.

foto: Clive Mason/Getty Images
Voltando à questão da F1 e deixando os meus gostos para outra altura, o balde de água fria veio em Spa, Diego Armando Maradona de ter marcado o célebre golo à Inglaterra com a mão? Ele de certeza que não! Nem os argentinos, os irlandeses, os alemães e todos os que não gostam dos “brits”.  

mas tem vindo a ser servido aos poucos. Os membros do grupo acima citado, esqueceram-se de um pormenor: enquanto Ecclestone não colocar ciborgues a pilotar os monolugares do Grande Circo, o humano vai tentar, sempre, em todas as ocasiões, ganhar. Está no nosso ADN, como seres, até à última gota, dar tudo por tudo. Ainda está mais entranhado nos genes dos pilotos da F1. Quero eu dizer que, não culpo Rosberg por ter batido acidentalmente ou não em Hamilton. Não gostei nem percebi o que se passou na sua cabeça, mas não o culpo! Ter tentado ganhar a posição ao seu principal adversário no campeonato? Quem de vós, caros leitores, culpa

O componente da competição está sempre presente na cabeça dos pilotos, mesmo que não esteja em questão o campeonato, o piloto da frente vai ter dúvidas se deixa ou não passar o carro de trás. A não ser que estejam apenas em turismo. É por isso que Toto Wolff, Niki Lauda e Paddy Lowe terão sérias dificuldades em separar os rapazes deles.
o queijo que detesto!
Lembram-se daqueles intervalos na escola, quando alguém gritava “Porrada!” e toda a gente se aglomerava à volta de dois putos abraçados um ao outro, a tentar bater um no outro? Toda a gente gosta disso, por isso toda a gente gosta de Hamilton e Rosberg aos encontrões e em mandarem bocas um ao outro. De certeza que Hamilton aumentou o número de fãs apenas em dois dias, por isso o britânico vai tentar manter-se na crista da onda, como tal, nenhuma palavra que digam os seus patrões, vai fazer sentido na cabeça dele. É piloto! Imaginem Toto a dizer-lhes que não podem continuar com esta atitude e Hamilton a pensar “Em Monza vais levar com o meu pó!”, enquanto isso Rosberg : “Então ele não disse que ia tratar do assunto como o Senna? Eu fiz o mesmo!”
Brilhante! Esta época de F1 não me desilude, no entanto desagrada-me imenso o cheiro e o sabor do queijo, por isso não o como. Percebido? 

Pedro Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.