MotoGP: Análise aos pilotos do MotoGP e a Miguel Oliveira

foto: Yamaha MotoGP
Os Deuses do Motociclismo quiseram-nos dar um presente: um circuito lindo e a abarrotar de gente, com o nome de uma das melhores promessas italianas, Marco Simoncelli (que infelizmente nos deixou, muito cedo) e o regresso às vitórias do melhor piloto de sempre do MotoGP, Valentino Rossi.
“The Doctor” passou um atestado à concorrência e alegrou-nos o dia! O mais incrível foi ouvir a reacção do público à vitória do italiano… simplesmente fantástico!

Valentino Rossi (1º)
foto: Yamaha MotoGP
O maior de todos os tempos nem teve muita dificuldade em levar de vencida a concorrência, até podemos

afirmar que desde que passou para a frente, nunca teve o lugar em risco, mas a frieza que demonstrou e a ferocidade com que passou para primeiro, fez-nos lembrar do Rossi de antigamente. Quase que apostamos, que quando Rossi acordou no Domingo de manhã, pensou: “Hoje sou eu que venço!”. Parece que mesmo que Márquez ficasse em 2º, não conseguiria alcançar Rossi… isso já somos nós a dizer!

No fim, Valentino Rossi mostrou aos outros pilotos, porque é o piloto do Mundial com mais fãs! Ver um fã do italiano de joelhos, a agradecer ao piloto, como se ele fosse um deus, quase nos fez chorar…
Lembramos que “the Doctor” não vencia um G.P. desde Assen em 2013, há 24 corridas.
foto in: motogp.com
Jorge Lorenzo (2º)
Lorenzo, embora conquiste mais um pódio e tenha conseguido a pole position em Misano (a primeira no circuito italiano, que venceu nos três anos anteriores), não foi o mesmo piloto dos últimos dois G.P.´s. Parecia mais apático, talvez por causa da sua escolha de pneus. O espanhol da Yamaha foi o único dos da frente a ir para a corrida escolhendo para o pneu dianteiro o composto duro. Apenas o piloto e a equipa é que podem analisar se escolha foi a melhor. A verdade é que, se no início ainda deu luta a Márquez, depois do piloto da Honda o passar, Lorenzo apenas controlou a corrida e nunca conseguiu atacar ou pressionar nem Márquez nem Rossi, quando o homem da Honda caiu e perdeu a posição.
Apenas um reparo… não entendemos alguns dos assobios do público para Lorenzo. Deve ter acontecido algo que não sabemos.
foto in: motogp.com
Dani Pedrosa (3º)
O melhor da Honda no final da corrida. O espanhol nem devia estar à espera de acabar à frente do colega de equipa, mas foi o que aconteceu. E Pedrosa mereceu o pódio. Foi um dos pilotos que mais lutou durante toda a corrida. A batalha pelo 4º lugar (antes da queda de Márquez) entre Pedrosa e o homem da Ducati, Dovizioso, foi intensa e abrilhantou a corrida, com algumas tentativas de Iannone se juntar à festa. A Honda conseguiu assim juntar pontos à custa do número 2 da equipa, já que com Márquez apenas conseguiu 1 ponto.
foto in: motogp.com
Andrea Dovizioso (4º)
Mais uma vez o melhor da Ducati e mais uma vez, perto do pódio. Parece um milagre para a Ducati colocar os seus homens junto das Honda e das Yamaha, quando na primeira metade da época, levavam banhos de 20s de diferença dessas motos. Dovizioso continua sendo o melhor da marca mas tem Iannone cada vez mais perto. Para 2015 a Ducati estará mais forte, assim como para estas últimas corridas.



foto in: motogp.com
Andrea Iannone (5º)
O “outro” Andrea da Ducati (Pramac Racing) conseguiu igualar o melhor resultado da época, mas pode ter sabido a pouco, já que largou de 2º e perdeu, logo no inicio, posições para Rossi, Márquez, Pedrosa e Dovizioso. Mas lutou muito para manter a sua posição. Tentou várias vezes ficar à frente de Dovizioso e até de Pedrosa e manteve Pól Espargaró atrás. Até de Aleix Espargaró se teve de defender. No final terminou muito atrás de Dovizioso mas ficou o registo de mais uma boa corrida do italiano da equipa satélite da Ducati.
foto in: insella.it
Marc Márquez (15º)

O jovem Campeão do Mundo tremeu e cometeu um erro, algo pouco usual no espanhol, mas quem não tremia em San Marino, com 55 mil pessoas a puxarem por Rossi? O pior para o espanhol não foi ter errado, mas sim ter perdido mais uma corrida. Se na primeira metade da época Márquez não deu hipóteses a ninguém, com vitórias em todas as provas, na segunda metade já perdeu por duas vezes. Claro que mantém 74 pontos de vantagem para Pedrosa e 75 para Rossi, mas já mostrou que não é imbatível. Ainda faltam 5 corridas para o fim da época.
foto in: facebook.com/migueloliveira44/photos
Miguel Oliveira (Moto3, 22º lugar)
O piloto português da Mahindra teve outra prova para esquecer… ou talvez não! Oliveira tem uma moto melhor do que a do início do ano. Consegue estar no grupo da frente da qualificação e em San Marino até rodou em 3º até que caiu. Segundo o piloto, devido a um problema no pneu traseiro. Lá está: o piloto não é mau, até é bem bom, mas a máquina, mais que uma vez, deixa muito a desejar. Miguel para quando uma equipa melhor?
O português conseguiu bater Miller no braço, o que quer dizer duas coisas: a KTM ficou parada no desenvolvimento da montada, enquanto as outras marcas melhoraram e que Oliveira é, se tiver condições, melhor piloto que muitos que lá estão!
As fotos foram retiradas de motogp.com e motorsport.com
Pedro Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.