História do rallycross

foto: in erc24.com
O rallycross foi criado pela primeira vez em 1967, em Lydden Hill, Inglaterra, especificamente para transmissões televisivas. Esta nova modalidade era uma combinação das corridas de rali com um percurso fechado. O rallycross provou ser um sucesso e as corridas foram sendo realizadas regularmente nos circuitos de Lydden Hill, Croft e Cadwell Park.
A primeira corrida rallycross europeia realizou-se em 1969 na Holanda. A modalidade espalhou-se mais tarde pelo norte da Europa onde ainda hoje continua a ser popular.

Em 1973, o rallycross europeu era conhecido como “Embassy European Rallycross Championship“, e em 1976 a FIA criou as primeiras normas e premiou o primeiro campeonato europeu oficial, que foi vencido pelo austríaco Franz Wurz ao volante de um Lancia Stratos.
Em 1978, a FIA introduziu duas classes: Touring Cars and Grand Touring Cars. No entanto, naquela época, o vencedor seria o piloto que marcava o maior número de pontos em ambas as divisões. Em 1979, o norueguês Martin Schanche ganhou o título do Campeonato Europeu.
Em 1982 as classes foram divididas por divisões. Divisão 1 para carros de duas rodas motrizes e Divisão 2 para os carros “Rallycross Specials”, carros com tracção integral.
foto: in rallycrossworld.com
Em 1986 o WRC proibiu a classe Grupo B pelos vários acidentes graves na história dessa divisão. Estes carros “proibidos” iriam fazer o seu caminho até ao campeonato europeu de rallycross, o ERC na temporada de 1987. A divisão 1 continuou a usar carros com 2 rodas motrizes mas devido a estes carros do Grupo B banidos do WRC a divisão 2 foi capaz de obter uma lista de carros como o Peugeot 205 Turbo 16 E2, Ford RS 200 E2, Lancia Delta 54 e Audi Sport Quattro S1.
 
Em 1993 foi criada uma terceira divisão, a 1400 Cup, para carros de duas rodas motrizes com motores de 1400 de cilindrada. Também nesse ano, a Divisão 1 estava aberta para todos os carros de tracção integral mas sobre os regulamentos do Grupo N. A Divisão 2 foi colocada sob os regulamentos do Grupo A, mas permitiu várias modificações extras, como mudar o motor, adicionar um turbo, e converter os carros a tracção integral.
foto: in erc24.com
Em 1997 as divisões trocaram. A divisão 1 era agora a divisão principal com carros do grupo A. A Divisão 2 ficava assim sobre os regulamentos do Grupo N.
Em 1999 carros com os regulamentos de WRC e SuperTouring foram autorizados a entrar na Divisão 1. Divisão 2 continuava sobre os regulamentos do Grupo N e foi permitido desde ai motores no máximo de 2.0 litros nesta divisão.
Em 2001 a 1400 Cup mudou para a Divisão 2A e em 2003 reclassificada como Divisão A1 Grupo A limitada a motores 1600.
foto: s/f
O formato de divisões que vemos actualmente surgiu em 2003, Divisão 1 que consistia em carros de quatro rodas motrizes com turbo, do Grupo A, Divisão 2 com motores de 2.0 litros de duas rodas motrizes e a Divisão A1 com motores 1600 de tração frontal.
Desde 2011 até hoje as divisões são referidas como: SuperCars, Touring Car e Super1600.
 
Em 2013 a IMG, uma grande promotora do mundo do desporto, moda, e média, assumiu a promoção do ERC. O objectivo era actualizar a imagem da modalidade para, eventualmente, levá-lo para uma escala global.
O IMG mudou o nome de Europeu de Rallycross para RallycrossRX. E depois de um ano bem sucedido sob a nova gestão, IMG propôs à FIA a criação de um Campeonato do Mundo de Rallycross (World RX) com uma extensão da série europeia (Euro RX). A proposta foi aprovada pela FIA, em setembro de 2013, com planos para começar a nova série em 2014.
foto: in http://diarioatual.com/
O campeonato do mundo de rallycross foi aprovado com a condição de que devia haver 11-12 eventos, e que um evento iria decorrer no continente americano e um seria realizada na Ásia ou na África. Cinco das corridas na Europa incluiria também o campeonato europeu (EuroRX).
No campeonato mundial houve também a novidade com a chegada de uma nova divisão, a RX Lites, uma divisão desenvolvida por Andreas Eriksson e a sua empresa Olsberg MSE.
Campeonato mundial esta actualmente na sua décima prova a decorrer neste fim-de-semana em Franciacorta em Itália e conta com nomes mundialmente conhecidos como Petter Solberg, ex-campeão do mundo de ralis, Mattias Ekström campeão de DTM, Timmy Hansen, filho de Kenneth Hansen como muitos outros.

 

 

 

Miguel Cabo

 

Um pensamento sobre “História do rallycross

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.