WRC – Rally de França. Análise aos pilotos:

foto: McKlein
J. M. Latvala: Prova quase perfeita para o piloto da Volkswagen, que começou da melhor maneira, com a liderança e com os problemas de Ogier. Acabou por demonstrar ser de longe o piloto mais rápido em prova e sem dúvida capaz de bater Ogier “no braço”. Vence a prova, soma ainda mais um ponto da “power stage”, reentrando de novo na luta pelo que o próprio já havia assumido como uma miragem, o título mundial de pilotos. Sai um Latvala muito motivado rumo á Catalunha, e tocou o alarme para Ogier. Quanto a nós temos campeonato até ao fim. Boa!


foto: McKlein
Mikkelsen: O termo bem português “já a formiga tem catarro” aplica-se que nem uma luva a este norueguês cheio de talento. Mikkelsen quer sair da sombra dos seus lideres e a rodar assim bem pode começar a causar “crise de urticaria” tanto a Ogier como a Latvala. Acabou por não forçar o andamento em busca do seu colega de equipa, protegendo assim o seu segundo lugar, que diga-se, é bem merecido. Mikkelesen anda ai para as curvas, e nós gostamos disto, mas vai abrir-se um problema dentro da marca pois não vemos Mikkelsen a sujeitar-se ao “3º plano” por muito mais tempo.

foto: McKlein
Meeke: Já tínhamos apontado o piloto britânico como um dos favoritos aos lugares do pódio, e de facto acaba por não ser surpresa este seu 3º lugar final. Meeke cedo percebeu que não podia chegar aos dois mais rápidos, da mesma maneira que percebeu que ninguém conseguia chegar ao seu 3º posto. Fez uma prova de gestão, sem arriscar somando assim o seu 4º pódio da temporada. Terá a guia de continuidade para 2015 bem encaminhada.

Sordo: No seu piso de eleição o piloto espanhol fechou na 4ª posição, sendo o melhor do Hyundai, numa prova clara que este I20 WRC tem ainda muito trabalho pela frente para disputar taco a taco as provas com os Volkswagen e Citroen. Acaba por sair moralizado rumo ao “seu rally”, pois a Espanha…é já ali.

Hirvonen: Mais do mesmo é o que se pode dizer do homem da Ford, a rodar sem erros, à espera das falhas alheias que voltaram a acontecer, não fora isso este 5º lugar final seria uma miragem. Mas como nos ralis a regularidade é uma virtude, mérito a quem o tem e isso ninguém lhe tira. Mais um 5º lugar, mais uns pontinhos, e mais…nada.
foto: McKlein

Evans: Claramente em forma crescente, e mostrar que a aposta de M. Wilson pode dar frutos brevemente. O piloto britânico rodou sempre entre os 5 mais rápidos até ter um problema no alternador do seu Fiesta RS WRC, que o remeteu para a nona posição. Fez uma bela recuperação que culminou com um 6º lugar final, beneficiando é certo do abandono de Kubica na última especial da prova, a mesma especial que lhe deu dois pontos extra para o campeonato, com um brilhante segundo lugar na “power stage”. A dar passos curtos mas certos, promete este miúdo.

Ostberg: Este resultado não surpreende, pois é sabido as dificuldades que Ostberg apresenta a rodar em pisos de asfalto, o que fará com que nunca seja de ponta. A qualidade em troços de terra e neve, não chega para o piloto da Citroen um dia ser um verdadeiro candidato ao título. Um resultado modesto, de um piloto que anseia pela fim da temporada com certeza, pois este 7º lugar apesar de não surpreender também não revela o real valor de Ostberg.

foto: McKlein
Neuville: As coisas não começaram da melhor maneira para o piloto belga da Hyundai, com vários problemas no motor do seu Hyundai, a fazerem-no perder muito tempo. Conseguiu ainda assim melhorar a sua posição na geral fechando num nada habitual 8º lugar, que acaba por ser um mal menor depois de ter rodado grande parte da prova em 11º. Longo caminho a percorrer ainda.

Bouffier: O piloto francês foi contratado para isto mesmo, correr as provas em asfalto sobretudo a correr em casa era de esperar melhor rendimento por parte do piloto francês. Passou completamente ao lado de todo o rally, numa prova que fica bem aquém do esperado.

foto: McKlein
Kubica: É certo que nos desportos motorizados, especialmente nos ralis a sorte é um factor importante, mas a verdade é que quando a falta dela começa sempre a cair na mesma pessoa, deixa de ser falta de sorte e passa a, e desculpem o termo, “aselhice”. Mais uma vez o piloto polaco não chegou ao fim de uma prova, o que até aqui nem seria nada de estranhar, mas o facto de Kubica ter feito um excelente prova rodando em 5º na geral, ameaçando ainda ao lugar de Sordo, no decorrer da última especial do rally em plena “power satge” sai de estrada e estraga tudo o que de bom tinha feito até ali, quando já nada havia a disputar em termos de lugares na geral. O “mais do mesmo” voltou a acontecer, mas desta vez em directo e a cores para todo o mundo ver. Incrível.


Ogier: Aquilo que podia ter sido um sonho virou um pesadelo e com contornos dramáticos. A Ogier tudo correr mal neste fim-de-semana, problemas no carro, penalizações, e tempo perdido até dizer chega. Foi ainda a tempo de vencer a ultima especial amealhando 3 pontos, enquanto Latavla “retirou” dali mais um ponto. O francês vê o seu colega de equipa aproximar-se na classificação do mundial, quando faltam duas prova para o final. Parece que o francês tem um problema em lidar com a pressão, que esta cada vez mais do lado dele, é que na garagem do lado existe um finlandês cheio de vontade de voltar a molhar a sopa. Reabriu a época “caça ao título”.
Carlos Mota

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.