DTM – Audi sagra-se campeã de construtores.

Foto: XPB Images
Foto: XPB Images

A Audi guardou o último trunfo para a derradeira corrida. A casa de Ingolstadt jogou bem com a estratégia e conseguiu colocar 5 carros no top 10, garantindo assim o título de construtores. Para a BMW foi um fim de semana negro, sem capacidade de resposta para a Audi.

Mattias Ekstrom foi o grande vencedor da prova, sendo seguido de Mike Rockenfeller e Jamie Green.

Foi uma corrida emotiva, com muita luta mas com a Audi a controlar sempre as operações e com a BMW muito longe da performance que devia ter apresentado neste fim de semana.

Miguel Molina teve uma má largada, apenas superada pela largada de Mortara, que com problemas na embraiagem, deitou tudo a perder.

Foto: XPB Images
Foto: XPB Images

Jamie Green assumiu a liderança da prova e apenas viria  a perder a mesma a 2 voltas do fim. Mattias Ekstrom começou com as borrachas duras, mas imprimiu um grande andamento durante essa fase. Quando trocou para as borrachas macias subiu muitas posições, anulando por completo a vantagem ganha pelo britânico durante grande parte da corrida. Ekstrom ficou com a vida facilitada com a entrada do “Safety Car” nas últimas voltas. Isso reagrupou o pelotão e Green, com os pneus duros, não teve argumentos para segurar Ekstrom e Rockenfeller que também fez uma boa corrida.

Di Resta, com final de corrida excelente, conseguiu subir ao 4º lugar ficando bem perto do pódio. O actual campeão do DTM, Witmann, foi o melhor BMW em 5º e António Félix da Costa conseguiu um ponto, alcançando o 10º lugar.

Foto: XPB Images
Foto: XPB Images

A corrida de Félix da Costa não foi muito boa, revelando mais uma vez dificuldades em manter o ritmo com os pneus duros. Quando “calçou” os macios, a distância para os homens da frente já era grande e mesmo assim não conseguiu ter andamento suficiente para subir mais.

A Audi consegue assim o único troféu que restava ganhar este ano, vencendo a competição por marcas e compensando assim a derrota no campeonato de pilotos. A BMW perdeu a hipótese de fazer a dobradinha, mesmo chegando à ultima corrida com 21 pontos de vantagem. A Mercedes continuou o seu processo de evolução e podia ter tido um resultado melhor, não fosse o Drive Through de Wehrlein que foi penalizado por um “unsafe release”.

 

Acaba assim o DTM, do qual faremos uma análise mais pormenorizada em breve.

Top 10:

Mattias Ekstrom

Mike Rockenfeller

Jamie Green

Paul DiResta

Marco Witmann

Timo Scheider

Martin Tomczyk

Robert Wickens

Miguel Molina

António Félix da Costa

 

 

 

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.