Marussia fora de combate… definitivamente.

Foto: XPB Images
Foto: XPB Images

É uma triste noticia e algo inesperada. A Marussia anunciou o fim da equipa devido a falta de fundos para continuar o projecto. A equipa entrou em falência há 2 semanas, mas muitos (nós incluídos) acreditavam que a equipa conseguiria dar a volta mais facilmente que a Caterham, pois a evolução muito positiva, num curto espaço de tempo mostrava que a estrutura tinha potencial para continuar.

Mas hoje fomos apanhados de surpresa com a noticia que a equipa iria terminar definitivamente, com cerca de 200 pessoas a perderem os seus postos de trabalho. A equipa anunciou que tentou encontrar investidores, mas estes não foram encontrados a tempo e como tal a equipa cessará funções, não  participando nas últimas rondas do campeonato.

É um desfecho triste para uma equipa que sempre lutou muito contra as adversidades e não foram assim tão poucas. Aliadas às dificuldades inerentes de viver num mundo de muitos milhões, com apenas tostões e de ainda assim tentar evoluir e crescer, ainda tiveram de sofrer dois enormes reveses com os acidentes de Maria de Villota e de Jules Bianchi.

Mas ainda assim, a equipa foi avançando e conseguiu este ano os primeiros pontos na F1, o que assegura por enquanto o 9º lugar do campeonato de construtores, a melhor posição de sempre da equipa. Com a Sauber sem capacidade para pontuar e a Caterham com grandes dificuldades financeiras, depois da saída de Tony Fernandes, tudo estava encaminhado para esta “vitória”. Mas a situação insustentável da F1, com uma péssima distribuição do dinheiro levou a esta situação.

Foto: XPB Images
Foto: XPB Images

Para além da perda ao nível desportivo, há que pensar nas 200 famílias que vão sofrer com o despedimento dos trabalhadores, que por certo muito deram à equipa. Este é um alerta grave para a F1. Todas as medidas que foram anunciadas tem de começar a ser implementadas, senão mais equipas e mais pessoas irão sofrer com esta situação.

Para já o futuro da estrutura é incerto, havendo vários interessados em comprar a equipa mas nada estando certo ainda.  Numa época tão boa ao nível desportivo, acabar assim é muito mau. Ver a Caterham a ter de recorrer ao Crowfunding para tentar ir à última corrida do ano é um cenário que tem definitivamente mudar. As entidades responsáveis tem de assumir as culpas e melhorar as condições. A F1 precisa também das equipas pequenas.

 

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.