Estado da Nação – Pilotos nacionais lá fora

A época terminou para a grande maioria dos campeonatos internacionais, exceptuando alguns casos pontuais, como a Fórmula E, que ainda só vai para a ronda 2. Nos campeonatos internacionais são muitos os portugueses a competirem, uns melhor dos que os outros, mas a verdade é que estão lá. Como é óbvio não conseguiremos abordar todos os portugueses que estiveram em acção, mas a intenção é tentar colocar os bons resultado e os menos bons, em pratos diferentes da balança e reflectir.

foto:XPB images
foto:XPB images

Começamos pelo WTCC, que terminou no fim de semana passado, com uma excelente exibição de Tiago Monteiro em Macau. Tiago, um dos mais experientes pilotos nacionais (como sabem foi o único piloto português a terminar uma corrida de F1 no pódio), teve a vitória na mão na segunda corrida, mas um problema com o Honda Civic, deitou por terra o trabalho do piloto. Monteiro terminou o campeonato na 5ª posição, perdendo o 4º lugar mesmo na última prova do ano, tendo sido durante toda a época, até Macau, o melhor não-Citroën, que como sabemos, dominaram por completo.

 

 

Na SEAT LEON Eurocup, tivemos dois pilotos nacionais, com a importância acrescida de termos também uma equipa portuguesa. Manuel Gião e José Monroy foram os participantes lusos, com Monroy a correr pela Veloso Motosport (equipa portuguesa). Gião chegou à última corrida ainda com esperanças da vitória final, mas ficou a apenas 7 pontos do primeiro lugar, terminando em 2º. Monroy terminou em 26º, na primeira edição da LEON Eurocup. Parece-vos bem?

Nas motos também temos um belíssimo piloto: Miguel Oliveira. Terminou em 10º no Moto3, mas já rumou para umas das principais equipas daquela classe, a KTM Ajo, onde se luta pelo título. Este ano, um dos pilotos daquela equipa esteve até à última corrida com a possibilidade de vencer o campeonato. Em 2015 podemos ver mais bandeiras portuguesas no pódio!

No Internacional GT Open são vários os pilotos lusos que pelo menos uma corrida fizeram: Miguel Ramos, César Campaniço (Novadrive) e a dupla Patrick Cunha/Tiago Mesquita (Veloso Motosport). No final da temporada, Miguel Ramos terminou em 2º, a 10 pontos da liderança e Campaniço, em 13º.

foto in:facebook.com/bernardosousarally
foto in:facebook.com/bernardosousarally

No WRC 2, tivemos Bernardo Sousa e o navegador Hugo Magalhães, que em sete ralis que participaram (num total de 13 provas), terminaram o ano em 8º.

No European Le Mans Series, Filipe Albuquerque foi o nosso piloto… e que piloto! Terminou o ano em 2º com 4 pontos para os primeiros. Para além disso, correu nas míticas 24h de Le Mans pela Audi (carro #3) e foi considerado o rookie do ano na prova, mesmo nem tendo participado na corrida, já que um dos seus colegas de equipa se viu envolvido num acidente logo no inicio da prova de resistência.

No DTM, António Félix da Costa, a promessa do automobilismo nacional, não foi tão feliz quanto esperava no campeonato alemão de turismos. Terminou o ano em 21º, num dos mais competitivos campeonatos do Mundo. Vai ainda competir na Fórmula E, para além de ter acumulado a função de piloto de reserva na F1 da Red Bull.

Álvaro Parente, correu no Blancpain Endurance Series e no ADAC GT Masters. Parente é piloto da Mclaren e para onde a marca britânica se quer mostrar, o piloto lá vai. Com bons resultados.

Estes são alguns exemplos de portugueses em acção pelo planeta fora, em campeonatos que já terminaram. Vamos então reflectir: haveria possibilidade de colocarmos mais pilotos nacionais nas pistas mundiais?

foto in: lusomotores.com
foto in: lusomotores.com

Sim. E com qualidade! O dinheiro não abunda, logo os patrocínios não são os melhores, ainda assim, com pouco já se fez muito, agora pensem o que se poderia fazer com mais dinheiro. Mais testes, mais treinos, carros mais bem preparados…igual, a melhores resultados nos melhores campeonatos. Vejam o exemplo de um português que não coloquei em cima: João Barbosa.

João Barbosa “emigrou” para os Estados Unidos para ser campeão do TUDOR United Sportscar Championship. Um português campeão em terras do Tio Sam, com um protótipo americano puro… parece fácil, mas não é! Deram a Barbosa todas os incentivos para ser campeão. Não cá em Portugal, mas lá, nos States.

Temos dos melhores pilotos, as equipas por onde passam dizem que são bons, nós também achamos, mas somos parciais e mesmo assim faltam patrocínios nacionais ou então, capacidade de fazer pressão. Pior que a falta de investimento é não conseguirmos criar lóbis, de tentar influenciar as decisões.

Por exemplo, Parente, Albuquerque e Félix da Costa, já tiveram muito próximos da F1 (Félix ainda é possível, mas já é uma possibilidade remota), mas à última hora foram deixados de lado. Jos Verstappen conseguiu influenciar a decisão da Red Bull em contratar o seu filho, mesmo ele sendo muito bom, como dizem por aí. Carlos Sainz deu bastantes entrevistas e “meteu lenha na fogueira” quando existiu a possibilidade do seu filho, Carlos Sainz Júnior, ir para a F1. Pode ir, como pode não ir, mas a pressão está lá!

Foto in:lemansportugal.com
Foto in:lemansportugal.com

Concluindo, falta dinheiro (já toda a gente sabe disso) mas falta principalmente quem coloque os portugueses numa montra para se valorizarem em relação a outros pilotos que surgem com mais dinheiro. Na F1 e alguns outros campeonatos, até podem entrar pilotos que apenas trazem notas no bolso, sem sal nem pimenta, mas ainda assim, algumas grandes equipas preferem qualidade e têm de ser essas equipas os alvos. O dinheiro vai fazer falta sempre, é o fado dos portugueses, mas os “kit de unhas”, estão cá para durar.

Pedro Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.