F1 – Breves

Saída da F1 em aberto para a Renault

foto in: henry-thepodiumist.com
foto in: henry-thepodiumist.com

Segundo Cyril Abiteboul, chefe de operações da Renault Sport F1, a reputação da marca francesa não pode ser abalada por causa do estado dos seus motores na F1 e se isso acontecer, a marca pode sair do Grande Circo, para além de, os custos de desenvolvimento dos motores serem exorbitantes e pagos pelos franceses. Abiteboul foi um dos participantes da conferência de imprensa do GP da Malásia.

O rumor que a Renault pode comprar uma das equipas do meio da tabela no desporto, não foi descartado, pelo menos por Franz Tost, que afirmou que a compra da Toro Rosso pela Renault seria uma óptima oportunidade de dar um passo em frente. Já os directores da Lotus e da Force India, negaram categoricamente algum tipo de conversações entre eles e a marca de motores francesa, para a aquisição das suas equipas.

Para Christian Horner, director da Red Bull, se a Renault sair da F1 ou deixar de fornecer motores à equipa austríaca, o passo mais provável para a sua equipa, será a também saída do desporto. Horner tem a certeza que a Ferrari não venderá os seus motores aos Bull´s e a Mercedes já confirmou que também não o fará, levando a Red Bull, isto na pior das hipóteses, a não ser competitiva, logo a F1 não trará nenhum valor à marca Red Bull.

Equipas concordam em aumentar para 5 motores para 2015d5ed93081450f35f11b49fe5e6c390b1

Depois do GP da Austrália ter sido um flop para todos os envolvidos, as equipas chegaram a acordo em aumentar para 5 motores que poderão ser utilizados este ano. Até agora, o número de motores tinha sido reduzido para 4, para também reduzir os custos das equipas, mas depois de na Austrália algumas equipas terem sido obrigadas a trocar já de motores, logo na primeira ronda do Mundial, a decisão foi unânime.

A decisão das equipas tem ainda de ser ratificada pela FIA, mas não parece haver oposição da federação internacional, já que a resolução de ter apenas 4 motores, para além de cortar nos custos, foi pensada na fiabilidade que as unidades motrizes apresentariam este ano, sendo a segunda época com os motores híbridos, mas depois do que aconteceu na Austrália, a FIA tem de dar o braço a torcer. Foi realmente um passo atrás no desporto e algo terá de se fazer. Para já esta decisão vem dar algum fôlego às equipas.

Mercedes mais rápida na Malásia

10959314_1043699765646885_3355529182274494875_n

Depois das duas primeiras sessões de treinos na Malásia, a Mercedes apresenta-se, como era de esperar, mais rápida que a concorrência. A Ferrari parece ter continuado o bom trabalho desenvolvido neste inicio de época, já que em ambas as sessões foram sempre os segundo mais rápidos, com o denominador comum ser Kimi Räikkönen.

Destaque para um problema na unidade motriz do britânico Lewis Hamilton na FP1, mas que foi prontamente resolvido pela equipa, a tempo do campeão do Mundo se juntar aos restantes pilotos na FP2 e conseguir o melhor tempo.

A McLaren continua 3 segundos mais lenta, mas os pilotos estão confiantes num melhor resultado na Malásia. A Manor já se juntou ao pelotão, tanto na FP1 como na FP2.

Pedro Mendes

Advertisement

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.