Tudor United SportsCar Championship – Continental Tire Monterey Grand Prix Powered by Mazda

A quarta corrida do United SportsCar Championship decorreu em Laguna Seca. Todas as classes estiveram presentes, com os Prototype Challenge (PC) e os Grand Touring Daytona (GTD) de regresso desde Sebring. A corrida teve a duração de 2 horas 40 minutos.

Prototype (P)

©IMSA
©IMSA

A partida nos Prototypes foi de loucos. Jordan Taylor, no Chrevrolet Corvette DP (Dallara) (#10) estava lado a lado com Scott Pruett no Riley Mk XXVI (Ford) (#01) na descida para a primeira curva, e Michael Valiante, vindo do 3º lugar no Chevrolet Corvette DP (Coyote) (#90) meteu-se por dentro dos dois, os três carros tocaram-se na primeira curva e Valiante passou de terceiro para primeiro, enquanto que Pruett caia para 4º, atrás do Chrevrolet Corvette DP (Coyote) (#5) de João Barbosa (com Christian Fittipaldi).
Valiante e Jordan Taylor distanciaram-se do pelotão, ganhando uma vantagem de 10 segundos para João Barbosa.
Quando os líderes apanharam muitos carros mais lentos, Valiante viu-se bloqueado. Jordan Taylor arranjou espaço e conseguiu colocar-se lado a lado com Valiante por fora na curva 1, passando-o na curva 2, com Valiante a dar um pequeno toque no Chevrolet Corvette C7.R (#3).

Após um pião do Oreca FLM09 (Chevrolet) (#16) na curva 1, a bandeira amarela saiu. Jordan Taylor manteve-se ao volante, a paragem foi mais rápida e saiu na frente do pelotão, embora tivesse temporariamente o Mazda (#70) e alguns PC pelo meio, que não tinham parado.

Assim que Jordan Taylor passou o Mazda #70, logo a seguir a outro recomeço de outra bandeira amarela, ganhou uma vantagem de 10 segundos para a concorrência. Atrás, Richard Westbrook tinha passado para o volante do Chevrolet #90 e, após algumas tentativas falhadas pela defesa de posição robusta de Barbosa, o britânico passou para 2º na curva do “Saca-rolhas”, e tentava reduzir a diferença para Jordan e, depois de uma paragem programada, Ricky Taylor, mas de forma muito ténue.
Nesta altura, o Riley Ford #01 tinha ido para as boxes, sem a 5ª velocidade. Voltou para terminar em 8º na classe.
Quem estava a fazer progresso era o Ligier JS P2 (Honda) (#60) de Oswaldo Negri, Jr. e John Pew. Negri, Jr. estava ao ataque e passou os dois Chevrolet Corvette DP (Coyote) da Action Express Racing, chegando ao 3º lugar.

Os Prototypes precisavam ainda fazer uma paragem para combustível. O primeiro a parar foi Ricky Taylor no Chevrolet #10, a 37 minutos do final.
Westbrook ficou em pista, mas foi um pouco atrasado pelo tráfego. Apesar de tudo, o britânico fez voltas bem rápidas, numa tentativa de ganhar cinco segundos em pista ao carro #10.
Oito minutos depois, Westbrook parou o Chevrolet #90 nas boxes. A paragem foi rápida, e Westbrook saiu das boxes na frente de Ricky Taylor, ficando na liderança da corrida com menos de 30 minutos para o fim.

© IMSA
© IMSA

Ricky Taylor manteve sempre contacto com Westbrook, e nas últimas duas voltas as coisas ficaram mais apertadas, com ambos os carros a ficarem presos no tráfego, mas apesar de um toque com o Audi R8 LMS (#48), Westbrook manteve a compostura e conseguiu vencer a corrida, juntamente com Michael Valiante, e assumem a liderança do campeonato.
Os irmãos Taylor terminaram em 2º no Chevrolet #10, e o pódio ficou completo com o Ligier Honda #60 de John Pew/Oswaldo Negri, Jr., que depois de ter dominado os treinos livres, podia ter lutado pela vitória, não fosse a incapacidade de passar alguns protótipos na fase inicial da corrida, para além de um contacto com o Chevrolet DP #31 que causou pequenos danos aerodinâmicos.

João Barbosa e Christian Fittipaldi no Chevrolet #5, voltaram a ter uma corrida difícil, longe dos primeiros, terminando no 4º lugar, somando pontos importantes para o campeonato.

Prototype Challenge (PC)

Na classe dos Oreca FLM09 (Chevrolet), as posições na grelha não se alteraram muito no arranque. O carro #11 de Chris Cumming/Bruno Junqueira manteve a liderança.

Na segunda ronda de paragens nas boxes, o carro #11 perdeu algumas posições com uma penalização, quando um dos mecânicos saltou o muro demasiado cedo, mas pouco depois, Chris Cumming já as tinha recuperado, passando para a frente e começava a criar uma vantagem enorme para a concorrência, que chegou a ser de 50 segundos.

Mais atrás, o carro #52 de Mike Guasch e Tom Kimber-Smith, que tinham vencido as duas primeiras corridas da temporada, sofria problemas elétricos e tinha problemas na pressão de combustível. Eles viriam a terminar em 7º e último lugar da classe.

©IMSA
©IMSA

O carro #54 recuperava várias posições com uma estratégia de paragens diferente. Colin Braun colocou o pé a fundo e após a última ronda de paragens, chegava ao 2º lugar. Mas o tempo perdido em tráfego e a recuperar posições no arranque custou-lhes demasiado tempo.
Bruno Junqueira passou para o volante do carro #11 e ficou com uma liderança de mais de 30 segundos, que facilmente a manteve até ao fim. Junqueira e Chris Cumming venceram a corrida, com 30 segundos de vantagem para o carro #54 de Colin Braun/Jon Bennett.
A fechar o pódio ficou o carro #38 de James French e Mike Hedlund, a umas distantes duas voltas de distância.

Grand Touring Le Mans (GTLM)

©IMSA
©IMSA

Os BMW Z4 GT3 fizeram um bom jogo de equipa e mantiveram o 1º e 2º lugar da classe no arranque da prova, com o carro #25 de Dirk Werner a liderar na frente do carro #24 do seu compatriota alemão, Lucas Luhr. Algumas voltas depois, Luhr passou para a liderança.

Nas paragens nas boxes, o BMW #24 manteve a liderança, com o Ferrari 458 Italia GT2 (#62) e os Porsche 911 (991) RSR (#912 e #17) a ficarem na frente do BMW #25.
Também nas paragens, o Chevrolet Corvette C7.R (#3), que teve o ligeiro toque com o Chevrolet DP (#90) que causou pequenos danos na frente, atingiu um pneu nas boxes, atrasando mais este carro, que tinha sido obrigado a passar por alguns GTD no arranque da corrida. O Chevrolet acabou em 7º na classe.

A luta pelo 2º lugar foi bem animada nos recomeços após as duas bandeiras amarelas, mas o BMW #25, com Bill Auberlen, conseguiu ao fim de algumas voltas chegar ao 2º lugar, embora o BMW #24, com John Edwards ao volante, já tivesse construído uma vantagem muito boa para a concorrência. A diferença chegou perto dos 30 segundos.
Michael Christensen, que esteve ao volante dos dois Porsches (#911 e #912), também recuperava posições, deixando o Porsche 911 (991) RSR (#911) no 3º lugar, tentando manter-se com o BMW #25, mas o ritmo do BMW, com Bill Auberlen ao volante, era demasiado forte.

John Edwards manteve 20 segundos de vantagem para Bill Auberlen até ao final da corrida. Edwards e Luhr vencem a corrida nm BMW Z4 GTE #24, com Bill Auberlen e Dirk Werner a levarem o outro Z4 GTE (#25) ao 2º lugar, marcando uma dobradinha para a Rahal Letterman Lanigan Racing.
Michael Christensen e Patrick Pilet levaram o Porsche #911 ao lugar mais baixo do pódio. A sua tarefa de terminar em 3º ficou muito mais fácil com uma saída de pista de Pierre Kaffer, no Ferrari 458 Italia GT2 #62 que dividiu com Giancarlo Fisichella. Eles terminaram em 4º.

Grand Touring Daytona (GTD)

Durante algumas centenas de metros, o Porsche 911 (997) GT America (#73) liderou a classe, mas Marc Miller foi muito rápido a passar para a frente com o Dodge Viper GT3-R (#93), ganhando uma boa vantagem. O outro Dodge Viper, na segunda volta, saiu largo na curva 5 e danificou a suspensão quando rodava no 3º lugar, perdendo várias voltas em reparações.

©IMSA
©IMSA

Nas paragens nas boxes, na primeira bandeira amarela, o Dodge #93 fez uma paragem lenta, saindo apenas em 7º. O Audi R8 LMS (#45) não parou e liderou a corrida, mas apenas por meia volta, porque acabou por fazer um pião, deixando de novo o Porsche #73 na frente da classe, com Spencer Pumpelly a ter a honra de terminar a corrida.
Pumpelly rapidamente viu o Audi R8 LMS (#48) de Christopher Haase (com Dion von Moltke) aproximar-se nos seus retrovisores, mas Haase nunca esteve em posição de fazer manobras ao Porsche.

Haase tocou no Chevrolet DP de Richard Westbrook na penúltima volta, e esse pequeno toque fê-lo cometer um pequeno erro, acabando aí com as hipóteses de apanhar Pumpelly que, juntamente com Patrick Lindsey, venceu a corrida no Porsche 911 (997) GT America (#73).
Haase e Dion von Moltke terminaram em 2º no Audi R8 LMS (#48), com o pódio a ficar completo com o Porsche 911 (997) GT America (#23) de Ian James e Mario Farnbacher, que chegou a andar no último lugar na corrida.
A próxima prova será em Belle Isle, Detroit. Prototype, Prototype Challenge e Grand Touring Daytona estarão em pista. Os Grand Touring Le Mans regressam em Watkins Glen.

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.