NASCAR Sprint Cup Series – Coca-Cola 600

foto:  facebook da joe gibbs racing
foto: facebook da joe gibbs racing

Foi um fim de semana de corridas grandiosas. Para finalizar um belo fim de semana faltava apenas a corrida mais longa da NASCAR: a Coca-Cola 600.

Matt Kenseth (#20) fez a sua segunda pole da temporada e tinha a seu lado Joey Logano (#22). Kenseth liderou na primeira curva, e Carl Edwards (#19) fez um bom arranque do 3º lugar e desafiou Kenseth durante quatro voltas. Eventualmente, Kenseth conseguiu controlar a situação.

A primeira bandeira amarela surgiu na volta 25. Era uma bandeira amarela de competição. Kenseth ficou na frente de Logano e de Edwards, que tinha as suas botas a derreter nos pedais com o calor dentro do cockpit do seu Toyota.

Brad Keselowski (#2) foi penalizado porque a lata do combustível parou na box de outro piloto.

Kenseth arrancou por fora e perdeu para Logano. Denny Hamlin (#11) não tardou a atacar a liderança e passou Kenseth e Logano, liderando a corrida poucas voltas depois.

Kenseth começava a perder algum andamento, e em sentido inverso vinha Kevin Harvick (#4), que passava carro após carro. Na volta 64, Harvick passou por Hamlin para chegar à liderança. Segundos depois, Logano era segundo.

Jimmie Johnson (#48), a tentar encontrar a melhor afinação no seu carro, teve um susto na volta 90, ao fazer um pião na curva 4, sem consequências, trazendo uma bandeira amarela.

foto: Rainier Ehrhardt/Getty Images North America
foto: Rainier Ehrhardt/Getty Images North America

Apesar de terem acontecido paragens nas boxes poucas voltas antes, praticamente toda a gente parou, exceto Keselowski, que ficou na frente, tentando recuperar de forma forçada posições após a penalização. Harvick perdeu posições nas boxes.

Na bandeira verde, Keselowski teve dificuldades para encontrar aderência e foi passado por Logano. Duas voltas depois, na volta 98, Kurt Busch (#41) passou Logano e liderou a corrida.

Martin Truex, Jr. (#78) começava a dar nas vistas e chegou ao 2º lugar nesta altura.

Na volta 136, Justin Allgaier (#51) bateu no muro. Nas boxes as coisas não mudaram drasticamente, com Kurt Busch na frente de Truex, Jr. e de Dale Earnhardt, Jr. (#88), que também tentava encontrar a melhor afinação no carro, apesar de ser prejudicado com uma vibração a certa altura.

Kyle Busch (#18), a fazer a sua primeira corrida pontuável para o campeonato, andava de forma muito positiva e já ameaçava entrar nos cinco primeiros.

Houve mais um período de bandeira verde até chegarmos a mais uma ronda de paragens, agora em bandeira verde. Truex, Jr. reduziu a diferença para Kurt Busch antes de parar na volta 189. Este, juntamente com Earnhardt, Jr. e Harvick pararam uma volta depois. A táctica de Truex, Jr. pagou dividendos e passava a ser o novo líder.

Nas boxes, Harvick passava Earnhardt, Jr. para o 3º lugar.

foto:  Brian Lawdermilk/Getty Images North America
foto: Brian Lawdermilk/Getty Images North America

Truex, Jr., que tinha o seu rádio em más condições de funcionamento, aumentou a liderança para a concorrência, que seria reduzida na volta 230, quando Trevor Bayne (#6) raspou no muro de forma prolongada, mas a NASCAR aproveitou para fazer sair a bandeira amarela.

Mais uma vez, não houve mudanças gigantescas nas boxes, mas Kurt Busch cedia o 2º lugar a Harvick e Kyle Busch passava agora para o 4º lugar. Ryan Newman (#31) excedia a velocidade limite nas boxes e foi penalizado.

O #78 voltou a liderar, mas Kurt Busch fez um belíssimo arranque e passou de terceiro para primeiro num ápice. Vinte e cinco voltas depois (volta 263), Truex voltou para a frente, aproveitando um erro de Busch na curva 4.

Jimmie Johnson estava em recuperação, mas não por muito mais tempo. Na volta 274 repetiu o pião, também na curva 4, mas desta vez bateu com a frente no muro das boxes, e foi para as garagens, onde perdeu 27 voltas em reparações.

Após mais uma ronda de paragens, sem grandes mudanças, Truex liderava o recomeço. Atrás dele havia confusão, com Hamlin a subir a 2º e Earnhardt, Jr. a passar de 7º para 3º, numa situação de quatro carros lado a lado. O seu 3º lugar foi temporário, porque rapidamente perdeu as posições que tinha conquistado.

Ryan Blaney (#21) bateu no muro logo após o recomeço para dar mais uma bandeira amarela.

Nesta amarela começaram as táticas nos homens da frente. Harvick, Logano, Keselowski, Kurt Busch e Newman decidiram fazer uma paragem normal.

foto: Streeter Lecka/Getty Images North America
foto: Streeter Lecka/Getty Images North America

Truex mais uma vez liderou o recomeço, ainda com Hamlin atrás de si. Kyle Busch passava entretanto de 4º para 2º. Quem chegava ao 4º lugar, em pouco mais de 10 voltas era Harvick, após a sua paragem.

Keselowski subia também ao 7º lugar, mas este teve um momento difícil com detritos na grelha do seu Ford, mas após mais uma ronda de paragens em bandeira verde, a partir da volta 315, Keselowski resolveu o problema e subia ao 5º lugar.

Michael Annett (#46) fez um pião e trouxe a penúltima bandeira amarela da corrida na volta 327. Nas paragens nas boxes (mais uma vez ninguém queria arriscar a ficar em pista), os mecânicos de Hamlin foram impecáveis e deixaram-o na liderança da corrida, na frente de Truex, Jr.
Seis voltas depois a corrida recomeçou. Na volta 336, o momento decisivo do dia: Ricky Stenhouse, Jr. (#17) bateu no muro na curva 4 e trouxe aquela que seria a última bandeira amarela da corrida.

Neste momento, cinco pilotos, onde se incluiam Earnhardt, Jr., um discreto e cauteloso Jeff Gordon (#24), que tinha vindo de avião desde Indianápolis horas antes, Matt Kenseth, Carl Edwards (estes dois precisavam de ajuda porque estavam a perder andamento) e Greg Biffle (#16), que fazia uma corrida muito boa, decidem parar nas boxes, mas se quisessem chegar ao final sem parar, teriam que fazer poupança de combustível, que não era suficiente para chegarem até ao fim.

Hamlin manteve-se na frente no recomeço, a 59 voltas do fim, mas nem ele, nem o seu carro estavam nas melhores condições. O seu escape tinha uma fuga, e os gases entravam dentro do cockpit, deixando-o com dores de cabeça. Para piorar as coisas, começou a sentir vibrações e fez uma paragem não programada a 38 voltas do fim. A causa foi uma roda mal apertada.

Com o azar de Hamlin, Truex, Jr. recuperava o comando, mas ele, tal como quase toda a gente, teriam que parar.

Keselowski também estava ao ataque e passava de 5º para 3º, e atacava Harvick para o 2º lugar.

foto: Streeter Lecka/Getty Images North America
foto: Streeter Lecka/Getty Images North America

Joey Logano, em 9º, abriu a ronda de paragens em bandeira verde a 23 voltas do fim. Na volta seguinte, Truex parou nas boxes e colocou quatro pneus. Os pilotos da frente copiaram a estratégia de pneus de Truex.

Truex saiu das boxes atrás de Hamlin, que tinha aproveitado os pneus novos para ganhar posições.

Harvick e Keselowski pararam uma volta após Truex. Keselowski ganhou uma posição.

Os pilotos que tinham parado na volta 336 ficavam na frente da corrida. Carl Edwards na frente de Biffle, Earnhardt, Kenseth e Newman, com Truex a passar facilmente por Hamlin e chegava ao 6º lugar.

Truex rodava três segundos mais rápido do que os pilotos à sua frente, mas as voltas passavam demasiado depressa. Truex apenas conseguiu passar Newman para chegar ao 5º lugar.

Na frente, e com o credo na boca, Edwards mantinha Biffle a uma distância de um segundo e meio, com Earnhardt mais distante.

Na última volta, a diferença de Edwards disparou e finalmente consegue a primeira vitória ao serviço da Joe Gibbs Racing, e é também a primeira vitória da carreira na Cup Series sem ser aos comandos de um Ford e da equipa Roush. Edwards acaba com um jejum de 31 corridas sem vencer, passa a ser o 9º piloto diferente a vencer esta temporada, e está provisoriamente na Chase Grid.

E por falar na equipa Roush, Greg Biffle foi absolutamente impecável durante a segunda parte de corrida, após um começo mais instável, e faz o melhor resultado da temporada, com um 2º lugar, para dar encorajamento à sua equipa, que precisa de bons resultados.

Na luta pelo 3º lugar, Kenseth deu o seu melhor, mas não conseguiu passar Dale Earnhardt, Jr., que fechou o pódio.

foto: Jerry Markland/Getty Images North America
foto: Jerry Markland/Getty Images North America

Truex terminou em 5º, na frente de Ryan Newman, que também jogou com a estratégia do combustível. Atrás deles ficaram, provavelmente frustrados com a tática com sucesso dos pilotos à frente deles, Keselowski em 7º, Hamlin em 8º (um bom esforço com dores de cabeça), Harvick em 9º e Kurt Busch em 10º, na frente do seu irmão Kyle, que andou bem e mostra estar plenamente recuperado das suas lesões.

Outros destaques: Kasey Kahne (#5) foi 12º após ter sido penalizado e ter perdido uma volta, mas é um mau resultado numa pista que gosta de pilotar;

Joey Logano foi um pouco abaixo e caiu para 13º;

Paul Menard (#27) foi 14º, à frente de Jeff Gordon, que na última paragem nas boxes, a 18 voltas do fim, colocou apenas dois pneus, mas não surtiu grande efeito;

Chase Elliott (#25), em mais uma corrida de aprendizagem para o futuro, terminou em 18º;

Kyle Larson (#42) não esteve muito bem em Charlotte, ao ser apenas 25º;

Finalmente, Jimmie Johnson, após reparações, foi 40º.

A próxima corrida também será exigente, na oval demolidora de Dover.

 

Jorge Covas

Um pensamento sobre “NASCAR Sprint Cup Series – Coca-Cola 600

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.