Verizon IndyCar Series – Chevrolet Indy Dual in Detroit – Corrida 2

foto in: news.yahoo.com
foto in: news.yahoo.com

Para esta segunda corrida, a respetiva qualificação foi interrompida a meio, devido à chuva forte. A grelha ficou decidida pela posição do campeonato de pilotos, pelo que Juan Pablo Montoya (#2) ficou na pole, com Will Power (#1) ao seu lado.
A chuva manteve-se à hora da corrida, mas as condições eram bem mais aceitáveis do que na qualificação.

No arranque, Power foi muito mais forte e passou Montoya na curva 1, por fora. A grande surpresa era Josef Newgarden (#67), que passava de 6º para 3º no arranque.
Montoya respondeu duas voltas depois entre as curvas 3 e 4, com uma ultrapassagem bem medida, voltando à frente da corrida. O colombiano começou imediatamente a ganhar terreno para a concorrência.

James Jakes (#7) arriscou a colocar pneus slick logo na volta 2, e a aposta saiu furada, perdendo demasiado tempo. Na volta 11 voltou a colocar pneus de chuva e perdeu uma volta.

Na volta 6, Carlos Muñoz (#26), o vencedor da corrida de ontem, a rodar em 5º após partir de 10º, abandonou com muito fumo a sair do motor Honda.

A partir da volta 13, a chuva voltou a molhar um pouco mais a pista.
Com o regresso da chuva, Power voltava a aproximar-se de Montoya, embora tenha cedido depois um ou outro segundo. Estes dois estavam numa classe à parte, com uma vantagem de quase 20 segundos sobre Newgarden, que estava agora a defender-se de Scott Dixon (#9).

As posições não se alteraram entre os dois primeiros nas paragens, mas houve troca na 3ª posição, com Dixon a superar Newgarden, e no 5º lugar, Sébastien Bourdais (#11) passava Hélio Castroneves (#3).

foto: AP/Dave Frechette
foto: AP/Dave Frechette

Na volta 27, Power começou a perder tempo com um problema no comando da caixa de velocidades, e Scott Dixon aproveitou para chegar ao 2º lugar.
Na volta seguinte, Power parou nas boxes, depois de perder mais duas posições em pista, e trocou o volante para tentar resolver a situação. Quando regressou estava em 13º, a quase 50 segundos do líder.

Isto deixou Montoya com 12 segundos de avanço para Dixon em 2º. Newgarden e Bourdais debatiam-se pelo 3º lugar.

Dixon começou a partir daqui a diminuir, lentamente mas com consistência, a diferença para Montoya.

Marco Andretti (#27) arriscou na volta 37 a mudar para pneus slick. A situação de corrida ajudou-o logo a seguir, quando Rodolfo González (#18) bateu numa barreira de pneus na curva 4, trazendo a primeira bandeira amarela da corrida. Foi surpreendente terem sido feitas 37 voltas sem interrupções com a chuva.
Quase todos os pilotos pararam nesta bandeira amarela e também mudaram para slicks, exceto Dixon e Castroneves, que mantiveram pneus de chuva. Dixon até saiu em primeiro, na frente de Bourdais e de Montoya, que quase perdia o controlo do seu Dallara (Chevrolet) na saída das boxes.

Conor Daly (#5), Ryan Hunter-Reay (#28) e Will Power não pararam e ficaram na frente, ainda com pneus de chuva.

No recomeço, na volta 42, Castroneves, com pneus de chuva, passou facilmente por Graham Rahal (#15), no 8º lugar, mostrando que os pneus de chuva ainda eram os mais rápidos. Luca Filippi (#20) perdeu o controlo do seu carro na saída da curva 2 com pneus slick, danificando ligeiramente o seu carro.
Na curva 3, Stefano Coletti (#4) aquaplanou a meio da curva, também com slicks, e bateu na barreira de pneus. Bandeira amarela. Ambos os pilotos regressaram à corrida.

foto: AP/Paul Sancya
foto: AP/Paul Sancya

A corrida recomeçou na volta 45. Castroneves, ainda com pneus de chuva, passava Newgarden, que tinha pneus slicks, mas do composto duro.
Durante alguns momentos, os pilotos com pneus de chuva eram mais rápidos, com Conor Daly, na liderança, a fugir de toda a gente, mas não por muito tempo. Os pneus slick começavam finalmente a dar resultado.
Primeiro, Scott Dixon começava a ter dificuldades e perdia várias posições para Bourdais, Montoya, Rahal e Sato (estes dois últimos tiveram um contacto sem consequências), sendo obrigado a parar para colocar slicks, e caía para o 12º lugar.
Hélio Castroneves também parou na volta seguinte, tal como Hunter-Reay, que era 2º. Ambos ficaram em 13º e 11º, respetivamente.
Na volta 50, Power, em 3º, após ter sido passado por Bourdais, que estava ao ataque, também trocou para slicks e caia para o 10º lugar.

Josef Newgarden tinha acabado de fazer uma paragem, trocando o composto slick mais duro pelo mais macio, mas com pneus frios perdeu o controlo na saída da curva 2 e bateu violentamente no muro, causando mais uma situação de bandeiras amarelas.
Conor Daly ainda não tinha parado e continuava na frente, mas teve mesmo que parar na bandeira amarela, na volta 51, e cedia a liderança para Bourdais. Daly caiu para o 15º lugar.
O francês liderava e tinha Montoya, Rahal, Sato e Simon Pagenaud (#22) atrás.

A corrida recomeçou na volta 55, mas não por muito tempo. Havia muita confusão no meio do pelotão, com os pilotos que estiveram nas primeiras posições a tentarem recuperar lugares rapidamente, e Sage Karam (#8) tocou em Jack Hawksworth (#41) e este acaba também por tocar em Stefano Coletti. Estes dois fizeram um pião, e Karam não teve espaço para passar. Bandeira amarela.

foto: AP/Carlos Osorio
foto: AP/Carlos Osorio

Mais um recomeço, a 13 voltas do fim. Power, Dixon e Castroneves recuperavam posições e estavam à porta do Top 10. Quando se chegaram a Charlie Kimball (#83), Power passou-o na curva 3 por fora, e Kimball chegou-se para a esquerda, sem ter visto Scott Dixon ao seu lado, atirando-o contra a barreira e para fora da corrida a 12 voltas do fim, provocando nova situação de bandeiras amarelas.

Recomeço a nove voltas do fim. Tony Kanaan (#10), em 8º, perde a posição para Tristan Vautier (#19), mas rapidamente devolve o favor. Castroneves toca em Kimball e tira-o da frente na curva 1, sem consequências.
Jack Hawksworth é tocado por Sage Karam na curva 3 (parecia uma repetição do que tinha acontecido algumas voltas antes) e faz um pião.
Há detritos entre a curva 4 e 5 (provavelmente deixados por Will Power, que tinha parte da asa dianteira partida) e sai mais uma bandeira amarela.

Mais um recomeço a seis voltas do fim, numa altura onde se ficou a saber que Bourdais e Montoya não teriam combustível suficiente para chegarem ao fim.
Montoya perdeu imediatamente duas posições para Sato e para Rahal no arranque.
Na curva 2, Power perde o controlo fora da trajetória ideal, uma vez que tinha sido forçado a ir para lá porque Tristan Vautier estava por dentro, o carro atravessa-se em pista e acaba por bater em Castroneves, retirando ambos os pilotos da corrida.
A bandeira vermelha é mostrada para limpar a pista.
Quando os carros voltam para a pista, a direção de corrida coloca um tempo limite para a corrida ser terminada: 5 minutos e 20 segundos.

Com 3 minutos e 20 segundos a corrida recomeça. Tony Kanaan e Simon Pagenaud em 5º e 6º tiveram que fazer uma paragem para combustível e acabaram em 13º e 14º, respetivamente.
Conor Daly subia entretanto a 7º, mas melhor estava Tristan Vautier, que era agora 5º.

Bourdais não deu hipótese a Sato e a Rahal, e apesar de estar com pouco combustível, cruzou a linha de meta para assinar a sua primeira vitória esta temporada. Bourdais é o 7º piloto diferente a vencer este ano, em oito corridas.
Takuma Sato manteve o 2º lugar dos ataques de Rahal, que foi 3º.

Atrás deles, Montoya perdia posições e acabou mesmo por ficar sem combustível, deitando fora o 4º lugar, e ficou classificado em 10º, mantendo a liderança no campeonato.
Assim, Tristan Vautier ficou num excelente 4º lugar (melhor resltado de carreira na IndyCar), Marco Andretti foi 5º, Conor Daly terminou também no seu melhor resultado de sempre, no 6º lugar, após liderar 12 voltas, deixando Jack Hawksworth em 7º, apesar de todos os seus contratempos com Sage Karam, Ryan Hunter-Reay foi 8º e Gabby Chaves foi 9º, na frente do já referido Montoya.

A próxima corrida da IndyCar será na oval do Texas que, provavelmente, será menos acidentada e confusa do que esta dupla jornada complicada em Detroit.

Resultado corrida 2:

Pos. Carro # piloto construtor voltas Running / Reason Out
1 11 Sebastien Bourdais Chevrolet 68 Running
2 14 Takuma Sato Honda 68 Running
3 15 Graham Rahal Honda 68 Running
4 19 Tristan Vautier Honda 68 Running
5 27 Marco Andretti Honda 68 Running
6 5 Conor Daly (R) Honda 68 Running
7 41 Jack Hawksworth Honda 68 Running
8 28 Ryan Hunter-Reay Honda 68 Running
9 98 Gabby Chaves (R) Honda 68 Running
10 2 Juan Pablo Montoya Chevrolet 68 Running
11 83 Charlie Kimball Chevrolet 68 Running
12 8 Sage Karam (R) Chevrolet 68 Running
13 10 Tony Kanaan Chevrolet 68 Running
14 22 Simon Pagenaud Chevrolet 68 Running
15 7 James Jakes Honda 67 Running
16 4 Stefano Coletti (R) Chevrolet 67 Running
17 20 Luca Filippi Chevrolet 66 Running
18 1 Will Power Chevrolet 64 Contact
19 3 Helio Castroneves Chevrolet 64 Contact
20 9 Scott Dixon Chevrolet 58 Contact
21 67 Josef Newgarden Chevrolet 49 Contact
22 18 Rodolfo Gonzalez (R) Honda 35 Contact
23 26 Carlos Munoz Honda 5 Mechanical

(fonte:indycar.com)

Jorge Covas

Um pensamento sobre “Verizon IndyCar Series – Chevrolet Indy Dual in Detroit – Corrida 2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.