F1 – GP da Bélgica: Regresso das férias com vitória de Hamilton

A tarde na Bélgica foi bem passada, com o regresso esperado do mundial de F1 e logo a um dos mais preferidos circuito de todo o mundo, o circuito de Spa-Francorchamps. Algumas dúvidas reinavam nas nossas cabeças: será que chove e baralha as contas da corrida? Qual das equipas poderá surpreender a Mercedes ou então, rivalizar com a Ferrari?

foto: Sahara Force India Formula One Team
foto: Sahara Force India Formula One Team

A Force India e a Lotus tinham estado em destaque na qualificação de ontem, mas logo na volta de aquecimento, Nico Hulkenberg avisou a equipa via rádio que não tinha potência e a ordem que veio foi simples: Box para abandonar. Alguns segundo depois, a equipa arrepende-se da ordem dada e indica ao piloto que deve seguir para a grelha. Já colocado na grelha, Hulkenberg faz sinal aos comissários que não vai fazer o arranque, pelo que a partida é abortada e recomeçam os procedimentos para nova partida, com outra volta de aquecimento. Nessa segunda volta, e já sem o piloto da Force India, Carlos Sainz Jr. também sentiu problemas com o seu monolugar e encaminhou-se para a sua garagem, com a equipa sob pressão para colocar de novo o carro em pista, depois de iniciada a corrida.

Na largada, Lewis Hamilton consegue manter a liderança, numa altura que muitos pilotos sentiram dificuldade para fazer uma boa largada. Nico Rosberg foi um deles, perdendo 4 posições antes da primeira curva, com Sérgio Pérez a ficar com a segunda posição, defendendo-se de Daniel Ricciardo que também arrancou bem.

Pérez ficou tão perto de Hamilton que quase conseguia ultrapassar o britânico na recta de Kemmel, mas não o conseguiu. Sebastian Vettel que era 6º, ultrapassou Valtteri Bottas na curva 1 na segunda volta e começava a subir na classificação, mostrando que a Ferrari veio das férias ainda bem melhores que a Williams.

Ricciardo foi o piloto que estreou os pit stop, logo na volta 8. O australiano conseguiu sair à frente de Pérez que parou na volta seguinte, deixando Rosberg na 2ª posição, com Hamilton muito mais à frente.

CNGBL40WcAENanGNa primeira paragem de Bottas, a equipa voltou a falhar, dando mostra de muito amadorismo, ao trocar um dos pneus novos. O piloto saiu para a pista com uma pneu médio e 3 soft. Como é óbvio, o finlandês foi obrigado a cumprir um drive through e possivelmente, o responsável pela troca deverá ter os dias contados dentro da estrutura da equipa. Foi muito mau, em plena competição existir este tipo de erros infantis que fazem custar pontos a uma equipa que deles necessita.

A meio da corrida, surgiam as dúvidas quanto à possibilidade de chuva, com a Ferrari a deixar Vettel muito mais voltas do que o normal, com o mesmo jogo de pneus. Romain Grosjean dava nas vistas, com duas ultrapassagens boas. Mais ou menos na mesma altura, Ricciardo teve problemas com o Red Bull e teve de abandonar, deixando o carro na entrada da recta da meta, o que obrigou ao Virtual Safety Car.

Na volta 30, o top 10 era composto por estes pilotos: Hamilton, Rosberg, Vettel, Grosjean, Pérez, Massa, Räikkönen, Versttapen, Kvyat e Bottas.

fonte: skysports F1
fonte: skysports F1

Perto do final, as vantagens tanto de Hamilton (para Rosberg) como de Vettel (para Grosjean) começavam a baixar, por motivos bem diferentes. Hamilton tinha a corrida controlada e poupava o carro, Vettel tinha algumas dificuldades para aguentar o mesmo jogo de pneus. A ideia da Ferrari era boa: esperar para ver se chovia e se não chovesse, Vettel deveria ter ainda vantagem para terminar à frente de Grosjean. O francês da Lotus acreditou sempre que conseguiria chegar ao pódio e foi recompensado quando o pneu traseiro direito do Ferrari rebentou e deitou por água abaixo as esperanças de Vettel. O alemão segurou bem o carro, mas teve de abandonar, já que não conseguia chegar às boxes nas condições mínimas de segurança e tinha já perdido muitas posições na penúltima volta da corrida.

Destaque positivo para o comboio de pilotos que se formaram nas últimas voltas e que agitaram a corrida com algumas lutas bem bonitas. Os piloto eram Massa, Kvyat, Räikkönen e Versttapen.

Lewis Hamilton foi o grande vencedor da tarde, com Rosberg em 2º a manter alguma pressão na classificação geral do campeonato. O alemão pode agora ir para junto da sua esposa para assistir ao nascimento do seu filho. A Lotus, que em princípio ficará com os dois carros apreendidos devido ao processo judicial de Charles Pic, teve tempo para comemorar o primeiro pódio de um dos seus pilotos. Romain Grosjean foi o melhor piloto do dia e mereceu, pela sua entrega, o pódio.

Classificação do GP da Bélgica:

fonte: Total
fonte: Total

Pedro Mendes

Um pensamento sobre “F1 – GP da Bélgica: Regresso das férias com vitória de Hamilton

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.