F1 – Breves

 

Niki Lauda: candidato para substituir Ecclestone?

Foto: autosport.com
Foto: autosport.com

Três vezes campeão do mundo e agora atual presidente não-executivo da Mercedes AMG Petronas é o nome avançado para substituir Bernie Ecclestone como a Voz máxima da modalidade – a notícia é avançada pelo jornal austríaco Osterreich. Ecclestone tem estado debaixo de fogo pelas mais recentes declarações anti-EUA e pró-Russia (e tudo antes do GP de Austin…), levando a que muitos investidores questionem o rumo seguido pelo inglês de 85 anos. A juntar a isto, o rumor da venda de parte da F1 no final de 2015 pode ser o momento decisivo para mudar o rosto da modalidade e lançar um novo homem forte.

 

Ecclestone quer forçar motores V8 em 2016

foto:Mark Thompson/Getty Images
foto:Mark Thompson/Getty Images

Agastado com o impasse actual com a Red Bull e Toro Rosso, Bernie Ecclestone afirma que a Formula 1 não pode estar dependente dos habituais construtores. Como tal, pretende forçar a (re) introdução de motores V8 já em 2016. “Não devemos pedir consentimento às equipas. Avançamos com a ideia e depois se elas não gostarem, podem sempre recorrer”, afirma o Líder Supremo da F1. O objectivo é colocar algumas equipas com motores V8, ou possivelmente V6 com sistema de KERS básico. A regulamentação para os métodos de propulsão diferentes ainda não está definida. Esta posição de força resulta da sua incapacidade (até ao momento) para quebrar o impasse de interesses existente: tanto a Mercedes como a Ferrari não querem reforçar a Red Bull com os seus motores, sob pena de criar um ‘monstro’ demasiado competitivo. Para além disso, estamos a falar de fornecer unidades a mais 4 monolugares para além da equipa-mãe e habituais clientes, algo que acaba por impactar o orçamento anual de cada construtor.

Idealmente, Ecclestone considera que um fornecedor independente resolveria este problema; alguém que privilegiasse a relação comercial e não tivesse interesses competitivos enquanto equipa. Para isto foram avançados os nomes da Renault e da Cosworth. O maior problema passa pela ‘tipologia’ do motor, regressando aos V8 atmosféricos. Reconheço que são muito mais fáceis (e menos onerosos) de fabricar que as actuais power units, mas acaba por ser um retrocesso ao nível de uma nova regulamentação, que teve um parto difícil e demorou a ser aceite. Os orçamentos de cada construtor foram revistos e a estratégia de grandes grupos como é o caso da FIAT e da DAIMLER foi revista, para que estas unidades complexas pudessem servir de base à tecnologia futura dos carros de estrada. Este esforço para promover o desenvolvimento de uma tecnologia futurista deu seus frutos, mas não sem antes fazer várias vítimas pelo caminho a nível competitivo, como foi o caso da Renault. Pedir a um construtor para abandonar esse projecto e abrir um novo departamento para construir um ‘simples’ V8 chega a ser caricato… No caso da Renault, a situação pode ter dois rumos: se finalizarem a compra da Lotus e tendo em conta o elevado investimento dos últimos anos, poderão considerar os atuais V6 a melhor opção. Se ficarem apenas como fornecedores independentes, os V8 poderão ser uma opção comercialmente mais interessante, visto que os preços serão mais atractivos para as equipas pequenas.

Com certeza que a Mercedes e a Ferrari, depois de vários milhões investidos, não vão ver com bons olhos o aparecimento de um novo concorrente a vender motores V8 mais baratos. Aliás, numa altura que tanto se apregoa a contenção de custos e energias mais green na disciplina máxima, não pode haver um contra-senso com algo que estava na moda há 6 anos atrás.

 

Abandono da Red Bull pode ter penalização legal

foto: Infiniti Red bull
foto: Infiniti Red bull

Questionado sobre o futuro da Red Bull e qual a sua posição sobre a quebra de contrato, Bernie Ecclestone sugere que uma acção legal é a resposta adequada: “Quando tivermos em tribunal a Red Bull vai dizer: Sim, nós tínhamos um acordo mas agora não temos motor.” E eu vou dizer: “Vocês assinaram um contrato para competir. Deviam se ter precavido para a situação de não ter motor” ”. Tanto a Red Bull como a Toro Rosso têm contratos definidos até final de 2020, pelo que a indemnização por quebra antecipada deve rondar os 500€M (100€M/ano para as 2 equipas).

 

Sobreposição Le Mans/F1 não foi coincidência

 © Copyright: Moy / XPB Images
© Copyright: Moy / XPB Images

Quem o diz é Gerard Neveu, responsável pelo campeonato mundial de Endurance (WEC). O calendário da F1 foi ratificado pelo Concelho do Desporto Motorizado da FIA, marcando o Grande Prémio inaugural de Baku (Azerbaijão) no mesmo fim-de-semana que se desenrolam as 24h de Le Mans. Depois da saborosa vitória em Le Mans no ano passado, Nico Hulkenberg só poderia defender o seu título se abdicasse do novo GP, algo que ele já descartou, pois a Formula 1 é a prioridade. Neveu vê esta decisão como um ataque ao WEC e ao crescimento meteórico da modalidade em termos de competitividade e captação de adeptos. O clássico francês tornou-se uma corrida aliciante para os pilotos da F1 e esta sobreposição vem evitar que os mesmos possam participar.

“Ter 5 corridas e 5 grandes prémios nos mesmos fins-de-semana até pode ser coincidência, visto que não corremos em Janeiro, Fevereiro e Agosto. Mas para Le Mans não foi.” Afirma Neveu peremptoriamente. “Estou desapontado. A FIA deveria ter protegido o WEC um pouco mais. Le Mans consegue atrair 250.000 espectadores e 2000 jornalistas. Baku não deve ter mais de 50.000 espectadores e 200 jornalistas.” conclui com desalento. Para além de Hulkenberg, também Fernando Alonso demonstrou interesse em realizar a histórica corrida.

 

Marcos Gonçalves

2 pensamentos sobre “F1 – Breves

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.