NASCAR Sprint Cup Series – Ford EcoBoost 400

CUdY_xtUkAAyJE7Ao fim de dez longos meses de competição, o grande dia chegou. Este domingo, em Miami, foi o dia de todas as decisões. Kevin Harvick (#4), Jeff Gordon (#24), Kyle Busch (#18) e Martin Truex, Jr. (#78) estavam a correr para o título. Destes quatro, aquele que terminasse na melhor posição sagrava-se campeão da NASCAR Sprint Cup Series.

Kevin Harvick era o favorito à vitória. Harvick, que defendia o título de 2014, tinha-se sagrado campeão precisamente nesta pista com uma vitória, 12 meses antes. O piloto da Stewart-Haas Racing assinou três vitórias este ano e poderia ter vencido muito mais corridas, porque este ano ficou doze vezes no segundo lugar… mas a sua chegada até à final não foi fácil, porque a sua Chase foi algo inconsistente, e esteve em perigo de ser eliminado por duas vezes, mas na primeira resolveu a questão com uma vitória em Dover, e na segunda, quando tinha o seu carro com grandes problemas mecânicos, originou um acidente em Talladega que acabou com a corrida e que o manteve dentro da Chase. A NASCAR não considerou o acidente intencional.

Jeff Gordon fez a sua 797ª e última corrida, pelo menos a tempo inteiro, na Sprint Cup Series. Gordon teve um campeonato frustrante com acidentes nas primeiras corridas, mas conseguiu manter a calma e foi marcando vários Top-10 que lhe permitiram a entrada na Chase pelos pontos. Durante a Chase esteve tranquilo mas a partir da segunda fase de eliminação os seus resultados melhoraram bastante, e chegou à final com uma vitória muito popular em Martinsville. Gordon já tinha vencido nesta pista em 2012 e procurava aqui conquistar o seu quinto título da carreira. Apesar de saber o que é preciso para ser campeão, Gordon não era campeão há 14 anos.

Kyle Busch teve uma grande história nesta temporada. Falhou as primeiras 11 corridas do campeonato depois de um acidente em Daytona na Xfinity Series, onde partiu a perna direita e o pé esquerdo. Quando voltou teve dois acidentes em três corridas, mas a vitória em Sonoma deu-lhe um grande impulso, e depois venceu três corridas consecutivas, e ainda conseguiu chegar aos 30 primeiros no campeonato, que lhe deu o acesso à Chase. Nas duas primeiras fases teve alguma pressão com dois maus resultados mas conseguiu qualificar-se e esteve a bom nível na última fase, com três Top-5.

xj4dlVmMartin Truex, Jr. era o “outsider” para o título. Truex, Jr. teve uma temporada sensacional, com um arranque muito bom do campeonato, com muitos resultados no Top-10, e o seu grande momento chegou na primeira corrida de Pocono, com uma vitória, a sua primeira em dois anos. A partir daqui perdeu alguma consistência mas durante a Chase esteve em boa forma e foi vendo os seus adversários a cairem, mas também foi tendo azares, sobretudo nas boxes que o deixaram em posição complicada em várias corridas. Com pezinhos de lã passou para a grande final.

Denny Hamlin (#11) assinou a pole position para esta corrida, com Joey Logano (#22) ao seu lado, dois bons pilotos que poderiam estar na luta pelo título caso tivessem mais sorte.
Os pilotos que lutavam pelo título ficaram nas seguintes posições: Kyle Busch em 3º, Jeff Gordon em 5º, Martin Truex, Jr. em 11º e Kevin Harvick apenas em 14º, apesar de ter assinado a volta mais rápida do fim de semana na primeira ronda de qualificação.
Matt Kenseth (#20), que regressou depois de duas corridas de suspensão por ter atirado Joey Logano contra o muro em Martinsville, qualificou-se em 19º. Entretanto, o seu substituto neste período, Erik Jones, garantiu o título na Truck Series.

Pela segunda semana consecutiva, a chuva atrapalhou os planos da NASCAR. À hora da corrida chovia copiosamente e a partida foi adiada. A bandeira verde só foi mostrada às 16:50 locais, uma hora e 35 minutos depois do previsto.

Quando a bandeira verde foi agitada para a última corrida da temporada de 2015, Joey Logano colocou-se no interior para as curvas 1 e 2 e bateu Denny Hamlin para liderar a corrida, com Kyle Busch em 3º e Jeff Gordon a subir ao 4º lugar.

Logano não conseguia sacudir a pressão de Hamlin, que começou a deitar muito fumo do seu Toyota, e incluiu ainda um princípio de incêndio. Deu a ideia que Hamlin poderia ter o motor a partir. Como deixou líquidos na pista, a primeira bandeira amarela foi mostrada na volta 13, e Hamlin foi para a garagem para reparações no seu carro.
Exceto Joey Logano, Ryan Blaney (#21), Aric Almirola (#43) e Kyle Larson (#42), todos aproveitaram para parar nas boxes. Kyle Busch saiu na frente de Martin Truex, Jr., que ganhou 10 posições ao trocar apenas dois pneus.

Recomeço na volta 19. Blaney arrancou mal, Logano ficou na frente e Kyle Busch passou para 2º e Martin Truex, Jr. a ser destemido e a passar para 3º.
Na volta seguinte, Busch passou facilmente por Logano para chegar à liderança. Logano, com pneus usados, estava com dificuldades em manter-se com os primeiros.
Com dois pneus novos, Truex, Jr. também passou por algumas dificuldades e caiu para 6º. Harvick ao 3 lugar e Gordon ao 4º.

A bandeira amarela de “competição” foi dada na volta 30. Todos pararam nas boxes e o primeiro a sair foi Kyle Busch, com Carl Edwards (#19), Jeff Gordon e Kevin Harvick a seguir.

Recomeço na volta 36. Jeff Gordon passou Carl Edwards e Kyle Busch no interior e ficou na liderança da corrida para causar festa nas bancadas.
Jimmie Johnson (#48) começou a ajudar Gordon e pressionou Busch até que este cometeu um erro e caiu para 4º, e Harvick passou Johnson e subiu ao 2º lugar.
Kasey Kahne (#5) furou um pneu e causou a bandeira amarela na volta 40.

19253089-largeRecomeço na volta 45. Harvick arrancou bem, manteve-se no exterior e passou para a liderança, e na volta seguinte, Kyle Busch levou a melhor sobre Gordon.
Na volta 47 a bandeira amarela foi mostrada com um acidente na reta oposta. Clint Bowyer (#15) toca em Ty Dillon (#3), fica atravessado na pista, toca depois em Dale Earnhardt, Jr. (#88) Aric Almirola não consegue evitar Bowyer e, também envolvidos, ficaram Casey Mears (#13), Sam Hornish, Jr. (#9) e David Ragan (#55).
Para Clint Bowyer foi uma enorme desilusão, ao abandonar na sua última corrida com a Michael Waltrip Racing, equipa que fez em Homestead a última corrida antes de fechar portas. O outro carro da equipa, de David Ragan, também, ficou com danos mas conseguiu continuar em prova.
Os mecânicos de Jimmie Johnson tentaram modificar o guarda-lamas do carro e foram apanhados. Johnson teve que fazer uma paragem para reparar o carro por ordem da NASCAR e um drive through em bandeira verde.

Bandeira verde na volta 54. Harvick defendeu-se bem de Busch, Truex, Jr. meteu-se por dentro e subiu ao 4º lugar e isto distraiu Gordon, que caiu para 9º.

Harvick estabeleceu-se confortavelmente na liderança da corrida, apesar da pressão de Kyle Busch, que vinha a menos de um segundo. Truex, Jr. era 9º e Gordon tinha dificuldades no 11º lugar.

As paragens em bandeira verde começaram na volta 90, com Truex, Jr. a ser o primeiro.
Harvick parou na volta 93, em resposta a Joey Logano e Kyle Busch, que pararam uma volta antes, e no final deste ciclo de paragens, foi Logano a recuperar a liderança, seguido por Kyle Busch, ambos a aproveitarem bem a aderência dos pneus novos para suplantarem Harvick, que caiu para 3º.

Logano manteve-se na frente da corrida, com Kyle Busch não muito distante, e a situação não se alterou muito até à ronda de paragens seguinte, que começou na volta 137.
Martin Truex, Jr. parou nas boxes e teve um princípio de incêndio no combustível. Felizmente nem os mecânicos nem o carro tiveram danos e a equipa não perdeu muito tempo, mas Truex, Jr. não ficou com o carro totalmente atestado.
Harvick parou na volta 139, tentando inverter a situação da paragem interior, mas a aposta falhou porque estava demasiado distante dos dois primeiros.
Assim, Logano manteve-se na frente de Kyle Busch. Brad Keselowski (#2), um dos primeiros a parar, subiu ao 3º lugar, Kyle Larson (#42) perdeu uma posição (tinha subido a 3º depois de um final do turno anterior muito bom) e caiu para 4º e Harvick era agora 5º.

Nov 16, 2014; Homestead, FL, USA; NASCAR Sprint Cup Series driver Kevin Harvick (4) passes Denny Hamlin (11) ahead of Ryan Newman (31) and Brad Keselowski (2) during the Ford EcoBoost 400 at Homestead-Miami Speedway. Mandatory Credit: Jerome Miron-USA TODAY Sports
Nov 16, 2014; Homestead, FL, USA; NASCAR Sprint Cup Series driver Kevin Harvick (4) passes Denny Hamlin (11) ahead of Ryan Newman (31) and Brad Keselowski (2) during the Ford EcoBoost 400 at Homestead-Miami Speedway. Mandatory Credit: Jerome Miron-USA TODAY Sports

A bandeira amarela apareceu na volta 150 por detritos na reta oposta. Todos pararam nas boxes e os três primeiros, Logano, Kyle Busch e Keselowski, iriam manter a posição se Carl Edwards tivesse parado nas boxes. Edwards era o novo líder.

Novo recomeço na volta 155. Carl Edwards e Joey Logano deram luta a Busch, mas este fez uma ultrapassagem destemida no meio deles e passou para a frente.
Edwards caiu no pelotão, Harvick passou para 2º, Keselowski para 3º e Logano 4º. Mais atrás, Truex, Jr., que foi prejudicado pelo mau arranque de Edwards, lutava agora com Gordon pelo 10º lugar.

Nova bandeira amarela na volta 167. Josh Wise (#32) bateu no muro e logo a seguir furou um pneu.
Todos voltaram a parar e foi Truex, Jr. que saiu na frente. Truex voltou a trocar dois pneus para recuperar posições de forma forçada. Keselowski subiu ao 2º lugar. Kyle Busch caiu para 3º e Harvick era 4º.

Recomeço na volta 172. Truex teve algumas dificuldades no arranque e foi passado por Keselowski.
Truex, Jr. não desistiu e criou dificuldades aos seus rivais, Busch e Harvick, mas acabaria por perder posições até cair para 12º.
Na frente, na luta pelo 2º lugar, os dois candidatos ao título, Busch e Harvick, tinham um duelo interessante, com Harvick a tentar encontrar uma forma de passar pelo Toyota e Busch a ter defesas sólidas.

Mais uma ronda de paragens em bandeira verde, a partir da volta 215. Truex, Jr. tentou parar mais cedo do que os rivais mas estes reagiram.
Harvick parou na volta 216, Busch parou na volta 217, tal como Keselowski, e as posições mantiveram-se entre os primeiros, com Kyle Larson a consolidar o 3º lugar depois de voltar a fazer um final de turno muito forte, sempre encostado ao muro. A ordem era, a 50 voltas do fim, Keselowski, Kyle Busch (virtualmente campeão), Larson e Harvick. Jeff Gordon era 11º e Martin Truex, Jr. era 13º, mas ambos pareciam não ter hipótese de chegar ao título.

Keselowski continuava tranquilamente na liderança, com Kyle Busch em 2º, e parecia que Busch iria ser campeão pela primeira vez.
Logo atrás, Kyle Larson dava espetáculo com o desgaste dos pneus, e sempre agarrado ao muro, e Harvick parecia cada vez mais sem opções para apanhar Busch.

A 14 voltas do fim, Larson, apesar de ter batido no muro depois de uma hesitação a passar Ryan Preece (#98), passa facilmente por Kyle Busch, que lhe abre a porta. Busch não queria ter problemas e sabia que só tinha que se manter consistente até ao fim para levar a melhor sobre Harvick, que estava a quase 10 segundos de atraso.

Larson continuava a atacar, a atirar o carro para o muro, e a pressionar Keselowski. A diferença era inferior a um segundo quando, a 11 voltas do fim, aparece um imprevisto: uma bandeira amarela, que muda tudo. Uma bandeira amarela por “detritos”.
Todos pararam e Keselowski saiu na frente, com Kyle Busch em 2º e Larson a cair para 3º.

O último e decisivo recomeço foi dado a sete voltas do fim. Kyle Busch arriscou tudo e passou Keselowski por fora, e Harvick conseguiu também tirar Keselowski da frente. Agora, e com seis voltas para o final, Kyle Busch e Kevin Harvick estavam na luta pelo título, mas depressa se percebeu que Harvick não tinha carro suficiente para chegar à vitória.

A pressão para ganhar era enorme mas Busch manteve a calma até ao final…

Kyle Busch venceu em Miami e, ao fim de 12 temporadas na Sprint Cup, venceu o seu primeiro título. Esta é uma grande história para Kyle Busch. Apesar de ter falhado 11 corridas, conseguiu sagrar-se campeão. Foi um regresso das cinzas para Busch. Este foi um autêntico conto de fadas e muito dificilmente alguém irá vencer um título com uma temporada semelhante à de Busch.
Não foi apenas Kyle Busch que teve motivos para festejar. Pela primeira vez, a Toyota vence um título com um piloto na NASCAR, e para a Joe Gibbs Racing este foi o primeiro título desde 2005, com Tony Stewart na altura.

Kevin Harvick terminou em 2º mas o seu carro foi perdendo eficácia com a chegada da noite e o seu esforço foi infrutífero para revalidar o título.
Brad Keselowski terminou no lugar mais baixo do pódio.

Joey Logano terminou em 4º e Kyle Larson ficará frustrado pela bandeira amarela a 11 voltas do fim, quando estava em posição de assinar a sua primeira vitória na Sprint Cup Series. Terminou em 5º.

Na sua 797ª e última corrida a tempo inteiro na Cup Series, Jeff Gordon terminou no 6º lugar. Não foi uma corrida boa para ele, rapidamente percebeu que não iria chegar ao título, mas acaba por ser um resultado positivo. É o fim de uma era na NASCAR, mas esperemos que se mantenha na competição ao mais alto nível noutras categorias. Apesar de ter 44 anos, certamente pensa que ainda terá muito para dar noutros sítios.

A fechar os 10 primeiros ficaram o regressado Matt Kenseth, Kurt Busch (#41), que ficou contente pelo seu irmão, e assim, pela segunda vez na história, dois irmãos vencem campeonatos na Cup Series depois dos irmãos Labonte (Terry e Bobby), Jimmie Johnson, que fez os possíveis para recuperar da penalização em bandeira verde e Denny Hamlin a acabar em 10º, depois de ter reparações rápidas e de ter recuperado duas voltas em “lucky dogs”.

Finalmente, Martin Truex, Jr. fez tudo o que podia, tentou todas as estratégias possíveis mas não foi além do 12º lugar. Apesar de tudo, este é o seu melhor resultado de sempre na Cup Series, com o 4º lugar. Esta também foi a última corrida onde a sua equipa, a Furniture Row Racing, usou um carro da Chevrolet. Eles vão passar para a Toyota em 2016.

Uma última nota para a Michael Waltrip Racing, que fez a última corrida. Clint Bowyer já tinha abandonado mas David Ragan chegou ao fim para acabar em 27º.

practice (1)Recapitulando os campeões de 2015: de pilotos Kyle Busch, de donos de equipa (equipa=carro) Joe Gibbs, no carro #18, e de Construtores foi a Chevrolet.
O melhor “rookie” esta temporada foi Brett Moffitt e, numa pequena nota de rodapé, nos vários pilotos que não são elegíveis para marcar pontos porque estão a pontuar noutras categorias, o melhor foi Ryan Blaney, com um 4º lugar na primeira corrida de Talladega.

Assim fica fechada a temporada de 2015 da NASCAR Sprint Cup Series. O campeonato regressa em 2016. A 13 de fevereiro temos o Sprint Unlimited, cinco dias depois o Can-Am Duel e, a 21 de fevereiro, a primeira corrida a contar para o campeonato, as 500 Milhas de Daytona.

Parabéns para Kyle Busch, que é o grande campeão, e, da parte de todos aqui no Chicane Motores, o nosso muito obrigado a Jeff Gordon por tudo o que fez no desporto.

Classificação final: http://www.jayski.com/stats/2015/pdfs/36hms2015results.pdf

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.