F1 – Os Line Up´s para 2016

Com a confirmação do 2º piloto da Manor para 2016, fica assim encerrada a questão dos pilotos. Todas as equipas já sabem com que artistas contar para a época que começa já este fim de semana e nós vamos dar uma revisão à “matéria dada”.

 

Mercedes

Lewis Hamilton / Nico Rosberg
lewis-hamilton-nico-rosberg-press-confeence_3289479É a dupla que mais tem dado que falar desde 2014. A introdução da nova era dos Turbo-Híbridos catapultou a Mercedes para o topo e os seus pilotos lucraram muito com isso. Até agora, na luta Hamilton vs Rosberg, o “score” está em 2-0. Hamilton venceu os campeonatos de 2014 e 2015 e se em 2014 Rosberg deu muita luta ao britânico, no ano passado o campeonato foi um passeio para Lewis.  Não há dúvida que Hamilton é melhor, mas Rosberg já provou que consegue fazer frente ao tri-campeão. A luta entre ambos será dura mais uma vez e quem poderá sofrer com isso será a equipa, pois já no passado a convivência entre ambos desestabilizou a harmonia da Mercedes. Mas sem dúvida que é uma das duplas mais fortes do grid e aquela que estará pela luta do titulo desde a primeira prova.

Favorito? Este ano não apostamos as fichas todas em Hamilton. Parece-nos que Rosberg poderá ser um oponente mais forte. Mas se tivermos que escolher um… Lewis.

Lewis Hamilton: 167 GP, 43 vitórias, 87 pódios, 49 poles

Nico Rosberg: 185 GP, 14 vitórias, 41 pódios, 22 poles

 

Ferrari

Sebastian Vettel / Kimi Raikkonen

f1-bahrain-gp-2015-kimi-raikkonen-and-sebastian-vettel-ferrariUma dupla consolidada, que garante bons resultados e que ao contrário da Mercedes vive dias de harmonia e paz. Vettel chegou e revolucionou a Ferrari, e a equipa que antes era de Alonso passou a ser sua. Pode não ter o talento do espanhol mas tem ética de trabalho, vontade de vencer e acima de tudo inteligência para fazer bem as coisas dentro e acima de tudo fora de pista. E como parece ser o único que consegue arrancar um sorriso a Kimi, a dupla funciona às mil maravilhas. Se a Ferrari apresentar um carro capaz de fazer frente ao Mercedes, pode estar descansada que do lado dos pilotos está muito bem servida. É claro que nesta altura Kimi já está na fase descendente da carreira e já não tem os mesmo argumentos do passado que fizeram dele o Iceman, mas ainda terá um ou dois truques na manga que serão muito úteis à Scuderia e a Vettel que será claramente o nº1 e o ponta de lança para o ataque ao titulo.

Sebastian Vettel: 158 GP, 42 vitórias, 79 pódios, 46 poles

Kimi Raikkonen: 231 GP, 20 vitórias, 80 pódios, 16 poles

 

Williams

Valtteri Bottas / Felipe Massa

felipe-massa-valtteri-bottas-williams-austrian-gp_3161743Outra boa dupla e que sem dúvida estará em destaque este ano. A Williams apresenta-se optimista (mais uma vez) neste inicio de ano e os rumores que se ouvem são os melhores. No entanto, se quanto à forma do carro é melhor esperar pelos testes e tirar as primeiras ilações, em relação aos pilotos as conclusões são positivas. Este já é o 3º ano em que trabalham juntos e até agora tem sido uma parceria que deu bons frutos. Bottas é um dos melhores do grid e tem estaleca de campeão e Massa tem experiência para dar e vender. Não há como fugir à realidade que Bottas é neste momento melhor que Massa, mas o contributo do brasileiro tem sido fundamental no crescimento da equipa. E a opção de manter ambos por mais um ano foi claramente a mais correcta.  Esta dupla não deverá ficar por muito mais tempo na equipa pois Massa já não vai para novo e Bottas não tardará a mudar-se para uma equipa superior. Assim resta à Williams aproveitar ao máximo o material humano que tem e fornecer-lhes um bom carro. Bottas é o favorito mas não caíamos do sofá de espanto se Felipe mostrasse uma forma ainda superior à de 2015.

Valtteri Bottas: 56 GP, 8 pódios, 

Felipe Massa: 229 GP, 11 vitórias, 41 pódios, 16 poles

 

Red Bull

Daniel Ricciardo / Daniil Kvyat

_84497498_redbullTal como a grande maioria do grid, a Red Bull não mexeu no seu Line Up. Por falta de opções disponíveis e porque 2016 também não deverá ser um ano em que se veja os Bull a lutar pelo titulo. O motor pode ter o nome Tag Heuer mas o material é o mesmo do ano passado e é da Renault. O défice de potência e de fiabilidade terá ainda de ser minimizado. Além disso a equipa optou por um desenho radical no seu carro que poderá demorar a dar fruto. Assim a Red Bull manteve uma dupla barata, competitiva e que pode incomodar os homens da frente. Ricciardo, para além de excelente piloto é extrovertido e começa a ter cada vez mais fãs. Tem o espírito que caracterizava a equipa nos primeiros tempos na F1. Já Kvyat …Não outra forma de dizer isto: é bom mas não nos convence. O russo é um típico piloto do norte, que não é exuberante mas que também não falha na hora de facturar. Ambos têm o lugar em risco pois há um tal de Verstappen que deverá subir para a Red Bull mais cedo ou mais tarde (caso nenhuma outra equipa faça um golpe de teatro) e assim, será o tudo ou nada. Ricciardo tem de voltar a mostrar aquelas ultrapassagens deliciosas que fez em 2014 e Kvyat tem de apresentar mais argumentos e que tem capacidade para ser nº1 (não nos parece).  Ricciardo é o nosso favorito deste par e deverá ser melhor que o russo.

Daniel Ricciardo : 88 GP, 3 vitórias, 10 pódios, 

Daniil Kvyat: 37 GP, 1 pódio

Force India

Sergio Pérez / Nico Hulkenberg

f1-sergio-perez-thinks-teammate-top3-4Mais uma excelente dupla de pilotos. Daquelas que tem qualidade para dar e vender. Pérez foi sem dúvida um dos melhores de 2015. Juntou a sua velocidade e capacidade de gestão de pneus com uma condução inteligente e ponderada. As tentativas de ultrapassagens “Kamikaze” fazem parte do passado e temos agora um piloto maduro e a chegar ao auge das suas capacidades. Já Hulkenberg é sinónimo de regularidade e bons resultados. É verdade que em 2015 esteve abaixo do seu nível mas claramente era um problema de motivação pois, após a vitória em Le Mans, o germânico subiu o nível.  A Force India paga bem pelos pilotos mas é um investimento que vale a pena pois se um não consegue bons resultados o outro compensa. A única grande dúvida que temos é se a Force será capaz de dar um carro bom desde inicio. E se o fizer, se será capaz de o evoluir. Não temos dúvidas que com um orçamento superior, a Force era capaz de lutar por mais do que o 5º lugar. E a dupla de pilotos é claramente de uma equipa de topo. O melhor para 2016? Apostamos em Pérez. Hulkenberg é muito bom mas Pérez tem aquele extra que diferencia um bom piloto de um piloto de top.

Sérgio Pérez: 93 GP, 5 pódios

Nico Hulkenberg: 94 GP, 1 pole

 

Toro Rosso

Max Verstappen / Carlos Sainz

carlos-sainz-max-verstappen-toro-rosso_3352890A Toro Rosso manteve os miúdos e muito bem. Foram as surpresas de 2015 e quando se suspeitava que iam ter problemas ao longo do ano, afinal deram se muito bem com os ares da F1 e o único problema mesmo foi a falta de fiabilidade do motor. Verstappen deixou todos de boca aberta. Ainda sem idade para ter a carta, chegou e maravilhou o grande circo com uma condução vistosa, agressiva e com a capacidade de travar mais tarde que não se vislumbra em mais nenhum piloto do grid. Já Sainz chegou com o fardo de ter um nome importante e de ser colocado de lado, com o hype que o seu colega de equipa provocou. Não se atemorizou e fez uma época positiva (mais positiva que os números indicam). Era óbvio que a Toro Rosso iria ficar com eles mais um ano e para eles é também a melhor solução. Crescer na STR para depois ambicionar outros voos. Uma escolha acertada por parte de todos os intervenientes e a possibilidade de uma época mais positiva do que em 2015. Verstappen é o nosso favorito desta dupla. Tem um dom, será inevitavelmente campeão do mundo e por muito que Sainz seja bom piloto, não chega para o talento nato do jovem Max.

Max Verstappen: 19 GP,melhor resultado – 4º

Carlos Sainz: 19 GP, melhor resultado – 7º

Sauber

Felipe Nasr / Marcus Ericsson

2AC6F16B00000578-3172003-image-m-57_1437652625856Uma dupla que deixou a desejar em 2015. Mais Nasr do que Ericsson. Nunca fomos fãs do sueco e achamos que não tem muito mais qualidade do que a que apresentou no ano passado. Mas de Nasr esperávamos mais. É claramente melhor que Ericsson mas houve alturas que se eclipsou e ficou na sombra do colega de equipa. Para 2016 precisa de mostrar mais. Depois de um ano de adaptação, tem agora a obrigação de mostrar o seu talento, sabendo das limitações que o Sauber vai apresentar mais uma vez. Mas pelo menos tem de ficar regularmente na frente do seu colega de equipa. Gostávamos de ver outro colega para Nasr, para seu bem e bem da equipa. Será mais um ano de luta e de sacrifico para uma Sauber com poucos meios. Nasr tem mais talento que Ericsson e é claramente o nosso favorito.

Felipe Nasr: 18 GP, melhor resultado – 5º

Marcus Ericsson: 35 GP, melhor resultado 8º

 

McLaren

Jenson Button / Fernando Alonso

mclaren-alonso-button_3340506A dupla mais experiente do grid e sem dúvida uma das melhores. Button e Alonso são pilotos muito diferentes mas apresentam como característica comum uma enorme qualidade. Alonso é quanto a nós o melhor do grid. Tem a capacidade de colocar um carro a rodar sempre no limite mas infelizmente não tem a capacidade de motivar a equipa e de dar um bom ambiente na box, algo que Button faz para, além de ser um dos últimos “gentleman drivers”, daqueles que pode estar uma corrida toda numa luta roda com roda, mas que não toca no adversário. São ambos rápidos, são ambos excelentes e estão ambos à espera de um carro digno desse nome. O McLaren de 2015 ficará na história pelos piores motivos e todos anseiam que a Honda seja  capaz de fornecer um motor que permita a equipa pelo menos lutar por pódios. Para já, os rumores dizem que o motor é mais potente mas menos fiável  Não será um ano fácil, mais uma vez, mas poderá ser mais positivo que 2015 (também não era difícil). Mas não há dúvidas que com um carro decente, esta dupla era capaz de lutar por títulos. Dos dois, Alonso leva vantagem sobre Button mas mais uma vez, Jenson conseguiu fazer frente a um colega de equipa mais cotado e não foi “engolido” como se dizia por aí. Provavelmente um dos pilotos mais subvalorizados do grid.

Fernando Alonso: 253 GP, 32 vitórias, 97 pódios, 22 poles

Jenson Button: 284 GP, 15 vitórias, 50 pódios, 8 poles

Manor

Pascal Wehrlein / Rio Haryanto

Untitled design (1)Dois rookies para a renovada Manor. Wehrlein vem do DTM e é um excelente piloto. Mostrou isso em 2015, arrecadando o Meisterschaft com a Mercedes, que tinha um carro inferior aos Audi e BMW, mas fez da regularidade o seu ponto forte e venceu. É uma boa aposta da equipa (provavelmente imposta pela Mercedes, mas a equipa em nada fica a perder) que fica com um piloto com grande potencial e que até pode garantir bons resultados. Já Haryanto é um daqueles casos em que o dinheiro falou mais alto. Tanto Stevens como Rossi são melhores que o indonésio mas a Manor precisa de dinheiro e o governo da Indonésia ajudou o piloto nesse aspecto. Não é uma aposta que nos agrade, até vendo pelos resultados do piloto ao longo dos anos. 2015 até foi o seu melhor ano no GP2 mas não é o suficiente para nos convencer. Favorito? Wehrlein, de longe!

 

Pascal Wehrlein: rookie, campeão DTM

Rio Haryanto: rookie, 4º no GP2 em 2015

 

Renault

Joylon Palmer / Kevin Magnussen

magnussen-palmer-7154A Renault começa a sua nova aventura na F1 com uma dupla muito boa e com grande potencial. Palmer foi campeão de GP2 em 2014 e Magnussen foi campeão de WSR3.5 em 2013. Uma dupla jovem, cheia de potencial, um pouco à imagem do que a Toro Rosso fez. Mas neste caso ambos com mais experiência competitiva e provas dadas. Para Palmer será a estreia enquanto que Magnussen regressa à F1 para o lugar que era de Maldonado . Estamos com grandes expectativas em relação a esta dupla, sabendo de antemão que a Renault terá dificuldades neste primeiro ano. Os franceses já avisaram que esperam lutar pelo titulo só daqui por 3 anos. Até lá, o caminho faz-se caminhando, mas é bom ter quem saiba caminhar. Nesta fase um piloto mais experiente talvez tivesse sido mais indicado para que o feedback com os engenheiros fosse melhor, mas a F1 precisa de sangue novo e esta opção agrada-nos muito. Favoritos? Magnussen, pela experiência e pelo talento que já mostrou.

 

Kevin Magnussen: 19 GP, 1 pódio, 

Joylon Palmer: rookie, campeão GP2 em 2014

Haas

Romain Grosjean / Esteban Gutierrez

Untitled designEm estreia absoluta na F1, a equipa apostou em Grosjean para chefe de fila. O francês era o nº1 da Lotus, mas quis assumir um novo desafio e a equipa americana abriu-lhe as portas. Excelente opção por parte da Haas que fica assim com um piloto rápido, experiente e com provas dadas. Gutierrez é um brinde da Ferrari. O mexicano tem dinheiro no bolso e a Ferrari tinha lá o rapaz num canto. Assim todos ficam contentes: a Ferrari porque coloca um activo em pista (e pode dar jeito em certas ocasiões), a Haas porque recebe os conhecimentos da Ferrari e se calhar algum financiamento dos patrocinadores do mexicano e Gutierrez porque tem a hipótese de voltar a tentar mostrar o que vale. Na Sauber desiludiu, mas o material era fraco. Será capaz de mostrar que tem estofo para se manter na F1? Duvidamos mas…

Favorito? Grosjean claro e sem sombra de dúvida.

Romain Grosjean: 83 GP,10 pódios, 

Esteban Gutierrez: 38 GP, melhor resultado – 7º

 

 

Fábio Mendes

Um pensamento sobre “F1 – Os Line Up´s para 2016

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.