MotoGP – Destaques

Fazemos os nossos destaques do GP da Argentina que coroou Marc Marquéz como vencedor da prova. Escolhemos os melhores e os piores.

Top3 (+)

 

marc_marquez-41 – Marc Márquez

O espanhol dominou quase por completo o fim-de-semana do MotoGP na Argentina. Nas sessões de treinos livres Márquez, aos comandos da Honda Repsol, foi o piloto mais rápido, transferindo essa eficácia para a conquista da pole position. Em relação à corrida e depois de um arranque algo tremido e de luta intensa com o seu rival Valentino Rossi, eis que surge uma mudança de moto inédita no MotoGP(devido aos pneus Michelin). Diga-se que foi uma mudança perfeita, pois o jovem espanhol saiu para a pista na frente e tomou conta do resto da corrida até final, aumentando a distância para o italiano e depois controlando aos operações. Marc Márquez, com este resultado, mostra que têm que contar com ele para a luta do ceptro mundial e que a Honda trabalhou arduamente para apresentar uma moto sólida e consistente.

“Sabia que ia ser difícil e não me senti bem na primeira moto, sabia que a segunda moto era a chave. Dei tudo aumentei a distância e geri a vantagem.”

 

motogp-argentinian-gp-2016-valentino-rossi-yamaha-factory-racing2 – Valentino Rossi

O segundo lugar sorriu ao italiano! Largada algo atribulada, mas, rapidamente compensada com lugares ganhos e com consequência, uma luta intensa com Márquez pela liderança da prova. Tudo isto aconteceu ao piloto da Yamaha na primeira metade da corrida. Na segunda metade, desde logo uma “péssima” troca de moto no pit stop, que fez Rossi perder tempo para Márquez, e mais fez o italiano cair para perto dos dois homens da Ducati e o jovem Viñales da Suzuki. Na última curva antes de cortar a meta e dar por acabada a segunda corrida, eis que acontece um “milagre” para Rossi. Os homens da Ducati que seguiam em segundo e terceiro, colidiram e “Vale” aproveitou para obter pontos preciosos para a luta do titulo mundial.

A festa que ele fez no final evidencia a importância deste segundo lugar. Ainda mais importante, foi o actual campeão do mundo, Jorge Lorenzo, não ter pontuado o que terá dado um gozo especial ao italiano. Ele está na luta!

 

a99755291b2a010edd489c104edfea093 – Eugene Laverty

Podia colocar no “meu” pódio Dani Pedrosa (3º lugar na corrida), que tem tido um início de época muito atribulado e repleto de percalços com a electrónica da sua moto, mas optei por colocar um “novato”… Eugene Laverty, aos comandos de uma Ducati terminou num fantástico quarto lugar, nesta segunda prova realizada no circuito de Termas de Rio Hondo. O irlandês não tem culpa dos acidentes que aconteceram e mantendo o seu bom ritmo, conseguiu obter um excelente resultado, algo, que estaria fora dos seus pensamentos. Que continue na senda dos bons resultados.

 

Negativo (-)

Iannone-Dovizioso-620x413Podia começar por falar na queda de Jorge Lorenzo ainda na primeira metade da corrida, que o impediu de tentar lutar pelo pódio e provavelmente pela vitória, apesar de até então não estar a ser um fim-de-semana particularmente positivo para o espanhol da Yamaha. Poderia falar também de uma outra queda, desta feita de Vinales em Suzuki, quando atacou Valentino Rossi e andava com os homens da Ducati, desperdiçando possivelmente o seu melhor resultado de sempre no MotoGp, mas não são o meu destaque negativo.

Destaco o sucedido na equipa da Ducati (oficial)! Como é possível, ter dois pilotos no segundo e terceiro lugar, na última curva, e Iannone( 3º naquele momento) ter atacado o seu companheiro de equipa, atirando a ambos para fora do pódio? Será responsabilidade do Engenheiro de equipa? Será por não haver número um na equipa?

Certo é que estas coisas não são compreensíveis, para quem quer lutar por um titulo que lhe foge há alguns anos (o último foi Stoner). Haverá uma reflexão sobre o sucedido e um tentar de apaziguar um suposto mal-estar criado por esta situação. Mas…iremos ter uma melhor percepção do sucedido já na corrida das Américas.

 

“Travei demasiado tarde. Seguramente que travei no mesmo sítio, mas fiquei um pouco mais por dentro porque tinha o [Andrea Dovizioso] do lado de fora. É muito estranho, não sei.”

“Podíamos estar os dois no pódio, sim, e acabar a corrida assim é inacreditável. É uma situação muito difícil. Tínhamos muito potencial e fomos rápidos à chuva e com o piso seco. É um desastre.”

“ Perdi a frente e causei a queda de Dovizioso. Infelizmente foi assim mesmo e estou muito arrependido pela equipa, pelo Andrea e por todos na Ducati, pois um pódio com os dois pilotos Ducati seria um resultado excepcional.”

 

 

Ricardo Veiga

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.