DTM – As equipas e as mudanças para 2016

foto: DTM
foto: DTM

O DTM está quase a começar. Com início marcado para Maio, o mais espectacular campeonato de turismos do mundo regressa às pistas para mais um ano que, tal como é habitual, será com certeza recheado de grandes corridas e muita emoção.

Infelizmente, o DTM sofreu um ligeiro revés. A ideia de tornar o DTM uma competição global ficou adiada para depois de 2019. Estava agendado para 2017 uma mudança nos regulamentos que pretendia deixar os V8 atmosféricos para adoptar motores V4, 2.0L turbinados com a potência de 650Cv, mais 200 que os V8 da actualidade. Mas as marcas foram unânimes em apontar o custo dos novos motores como um dos maiores problemas. Assim, adiando dois anos, espera-se que os custos de produção sejam mais aceitáveis.

Isto vem de encontro ao volte face que aconteceu na América, onde era esperada uma mudança de regulamentos no IMSA, também para os motores 2L V4 turbinados e que também foi adiada. Os Super GT japoneses também estariam na calha para uma mudança para os novos motores criando assim uma “Class one” à escala mundial, mas com estes adiamentos parece altamente improvável que aconteça em 2017 a primeira prova conjunta entre o DTM e os Super GT como inicialmente previsto. Há até rumores que apontam que os Super GT se estão a virar para os regulamentos do GT3. Assim a ideia de um DTM à escala global fica, infelizmente, adiada até 2019.

 

Motorsports / DTM 6. race Red Bull Ring SpielbergMas o Meistershaft é só por si um campeonato de top e que merece ser visto. No ano passado as decisões do título foram sendo adiadas até a última prova, que coroou Wehrlein no campeonato de Pilotos e a BMW no campeonato de Marcas. Para este ano, temos apenas uma novidade em relação aos pilotos… Esteban Ocon é o único rookie que irá substituir Wehrlein. Em relação às máquinas teremos um novo bólide da Mercedes que se for tão rápido quanto é belo, dará muitas dores de cabeça à concorrência.

 

Para 2016 há mudanças significativas nos regulamentos. A primeira é relativa ao lastro que é colocado nos carros. Se em 2015 esse peso adicional era atribuído segundo os resultados das corridas, este ano a decisão será feita mediante os resultados nas qualificações, evitando o que aconteceu no ano passado em que víamos uma marca dominante num fim de semana e noutro longe dos lugares cimeiros. O uso do DRS será também modificado, com a limitação do seu uso por volta, ou seja, cada carro so poderá usar o DRS um determinado numero de vezes por volta e não indiscriminadamente como no ano passado, o que não beneficiava as ultrapassagens. Por fim e se calhar a mais relevante, a BMW terá como peso mínimo menos 7.5kg em relação às adversárias. Foi provado que o M4, por força das restrições dos regulamentos técnicos, apresenta um défice de performance que não pode ser ultrapassado devido às restrições de homologação até 2017. Assim o M4 terá de peso mínimo 1112.5 kg e os R5 DTM e C63 DTM terão 1120kg. Mais uma vez o DTM dá uma lição de como lidar com as diferenças de performance beneficiando o espectáculo e os fãs em vez de interesses individuais.

 

Audi – Retomar o domínio é a prioridade

Start of the race, Jamie Green (GBR) Audi Sport Team Rosberg Audi RS 5 DTM 18.10.2015, DTM Round 9, Hockenheimring, Germany, Sunday, Race 2. - www.xpbimages.com, EMail: requests@xpbimages.com - copy of publication required for printed pictures. Every used picture is fee-liable. © Copyright: Schaber / XPB Images
Foto: Schaber / XPB Images

A Audi ficou em branco em 2015 o que não é nada habitual. O título de construtores escapou por pouco para a BMW e o de pilotos foi para Wehrlein, embora a Audi tenha colocado 3 pilotos no top5 final. Foi um ano frustrante para a marca de Ingolstadt, que não está habituada a perder. Assim, para 2016 não se espera nada mais que uma Audi revigorada e com vontade de “limpar” tudo. Em relação aos pilotos, serão os mesmos de 2015 apenas com duas mexidas. “Edu” Mortara trocou com Miguel Molina e o piloto italiano será agora companheiro de equipa de Ekstrom na Abt Sportsline, formando um dos pares mais fortes do grid, enquanto Molina fará dupla com o jovem Nico Müller na Abt.

A Audi mantém um line up de luxo e terá muito provavelmente o melhor grupo de pilotos do DTM. Nomes como Ekstrom, Rockenfeller e Scheider já constam da lista de campeões e são seguidos de perto por Green e Mortara que não venceram ainda o campeonato mas têm talento para isso. Green é um dos mais experientes e dispensa apresentações e Mortara começa finalmente a mostrar que o seu talento também se pode aliar aos resultados. Tambay e Molina são também bons pilotos mas ficam abaixo do quinteto acima referido e Müller procura ainda justificar a escolha da equipa. Mas não será certamente pelos pilotos que as aspirações da marca ficaram prejudicada e este grupo dá garantias mais que suficientes para lutar pelo titulo.

 

BeFunky Collage1Line Up Audi

 

Team Abt:

#17 Miguel Molina

#51 Nico Müller

 

Team Abt Sportsline:

#5 Mattias Ekström

#48 Edoardo Mortara

 

Team Phoenix:

#99 Mike Rockenfeller

#10 Timo Scheider

 

Team Rosberg:

#53 Jamie Green

#27 Adrien Tambay

 

 

BMW – A força da Baviera com um português aos comandos

Foto: BMW
Foto: BMW

A BMW teve em 2015 uma luta muito renhida com a Audi pelo título de campeã de construtores. Mas os homens da “BM” conseguiram atingir o objectivo que mais interessa às marcas e o novo M4, que foi introduzido em 2014, já rendeu um título de pilotos e outro de construtores. No ano passado sentiu-se que a BMW não tinha um carro tão competitivo e que dependia muito dos lastros para conseguir bons resultados e este ano com a mudança nos regulamentos acima referida, poderemos ter os M4 a rodar ainda mais na frente.

As únicas mudanças nos pilotos serão internas, com 3 pilotos a trocarem de equipas, algo que é habitual na BMW (e no DTM em geral), de forma a puxar pelos pilotos e ter o melhor das equipas. Os 3 pilotos que irão mudar de “poiso” serão Augusto Farfus, Timo Glock e Maxime Martin. Mas continua a ser um line up muito forte por parte da BMW, que mistura juventude com experiência nas doses certas e muito talento.

De todas as equipas a MTEK fica com o par mais forte com Spengler e Farfus que, embora não tenham rendido o que se esperava deles nos últimos tempos, são sem dúvidas dois grandes pilotos. Timo Glock é conhecido pelo seu pavio curto em pista que dá origem a lutas espectaculares que acabam invariavelmente com muita chapa batida, terá como companhia o campeão de 2014, Marco Wittmann. A RBM ficou com o par mais inexperiente, com Blomqvist e Martin. Ambos já mostraram talento e têm uma vitória no seu currículo. Martin foi rookie em 2014 e conseguiu nesse mesmo ano a vitória na Rússia e desde aí ganhou o respeito de todos e Blomqvist repetiu a mesma façanha em Oschersleben. A única equipa que se manteve inalterada foi a Schnitzer com Félix da Costa e Tomczyk.

Félix da Costa não tem nada a provar em 2016. Já mostrou que é competitivo e rápido mas precisa de colocar de lado o azar e começar a vencer mais. Tem o potencial necessário para ser peça chave da equipa e lutar pelo título. Basta que a BMW lhe dê um carro competitivo (o que será  o mais certo) e que  o português mostre ao mundo o porque de ser um dos melhores. Não esquecer que este ano AFC não correrá com as cores da Red Bull mas sim com as da Puma.

 

BeFunky Collage3Line Up BMW

 

Team RMG:

#11 Marco Wittmann

#16 Timo Glock

 

Team MTEK:

#7 Bruno Spengler

#18 Augusto Farfus

 

Team RBM:

#31 Tom Blomqvist

#36 Maxime Martin

 

Team Schnitzer:

#13 António Félix da Costa

#77 Martin Tomczyk

 

Mercedes – Orfã do campeão, a equipa de Estugarda estreia o seu novo C63 DTM

12512731_10154122116571151_5944776305216562557_nA conquista do campeonato de Wehrlein é a prova de que o DTM é uma das series mais competitivas do mundo, onde tudo pode acontecer. Em 2015 tivemos um campeão que não tinha a melhor máquina do grid, mas que fez da regularidade o seu trunfo para levar a melhor sobre a concorrência. Eramos fãs de Pascal no DTM e não duvidávamos do talento do jovem alemão, mas a F1 chamou e ele foi em busca do sonho, por mérito próprio.

Portanto em 2016 a Mercedes tem uma baixa de peso no seu line up. O piloto escolhido para substituir Wehrlein foi Esteban Ocon, o francês piloto de reserva da Mercedes que irá agora ganhar “músculo” no DTM, uma série que é uma boa escola para a F1. Basta ver que Di Resta é piloto de reserva da Williams e Gary Paffet foi escolhido para testar nos simuladores da equipa de Sir Frank Williams, mantendo no entanto os seus lugares no DTM.  Os restantes pilotos da Mercedes são os mesmos de 2015 mas houve mudanças nas equipas com várias trocas.

 

A ART vai manter Paffet, que servirá de cicerone a Ocon nesta estreia no DTM. A Team Mücke Motorsport vai ter um par completamente novo, com Lucas Auer e Christian Vietoris a ingressarem na equipa para substituir Daniel Juncadella e Maximilian Götz, que passaram para a HWA AG,  onde já estavam Di Resta e Gotz.  Mantemos a mesma opinião do passado… O line up da Mercedes é aquele que parece menos forte. Não é um line up mau, muito pelo contrário, mas se compararmos com as outras marcas não nos parece do mesmo calibre, mais ainda agora com a partida de Wehrlein. Ocon é novo e com muito talento mas terá de se adaptar, Paffet e Vietoris tem muita qualidade mas falta-lhes regularidade, Juncadella não nos convence, Auer e Gotz têm ainda de se afirmar (embora Gotz tenha experiência em outras categorias) e deste leque apenas Di Resta nos parece um piloto que pode garantir títulos, se bem que não encontrou a melhor forma em 2015, fruto do carro não ser tão competitivo quanto os adversários. O C63 DTM é a grande novidade para 2016 e com ele se espera que as aspirações da Mercedes ao título de construtores sejam mais sustentadas. A equipa evoluiu muito em 2015 mas não foi ainda o suficiente para se aproximar verdadeiramente da regularidade do R5 DTM e do M4 DTM.

BeFunky Collage4Line Up Mercedes

 

Team ART:

#2 Gary Paffett

#34 Esteban Ocon

 

Team HWA I:

#12 Dani Juncadella

#6 Robert Wickens

 

Team HWA II:

#3 Paul Di Resta

#84 Maximilian Gotz

 

Team Mücke:

#22 Lucas Auer

#8 Christian Vietoris

 

 

 

3221

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.