FIA World Touring Car Championship – Race of Hungary

Corrida 1

O WTCC fez uma viagem curta da Eslováquia até à Hungria, com as corridas realizadas no circuito de Hungaroring.

José María López (#37) assinou a pole position, com Tom Coronel (#9) a qualificar-se muito bem, na segunda posição com o seu Chevrolet, e a seguir ficaram os dois Honda de Robert Huff (#12) e Tiago Monteiro (#18).
Thed Björk (#62) fez o 5º melhor tempo no Volvo mas o seu motor teve problemas e a equipa teve que efetuar uma troca de motor, colocando o sueco no final da grelha.
No MAC3, a Citroën foi a melhor, mas a diferença voltou a ser curta, apesar de os Honda terem agora 70 kg de lastro e os Lada 50 kg.

Para a corrida 1, Mehdi Bennani (#25) ficou na pole, com Fredrik Ekblom (#61) ao seu lado, e na segunda linha ficaram Yvan Muller (#68) e Nick Catsburg (#10).

Para a corrida a chuva começava a cair e isto baralhou um pouco as escolhas de pneus. Com vários pilotos a optarem por slicks, pneus de chuva ou por uma mistura dos dois, com um exemplo a ser Gabriele Tarquini, que tinha pneus slick na frente de de chuva na traseira, mas no final da volta de formação, colocou pneus de chuva na frente do seu Lada, prometia-se uma corrida muito interessante.
Na volta de formação, Norbert Michelisz (#5) teve um autêntico desastre na corrida caseira, com uma falha no turbo a impedi-lo de participar na corrida 1. Iria participar na corrida 2, partindo do final do pelotão.

Quando os semáforos vermelhos se apagaram, Bennani arrancou melhor do que Ekblom, que foi passado por Catsburg e Muller. Na curva 1, Catsburg foi largo e caiu para 4º, e Muller teve dificuldades para negociar a curva 2, perdendo duas posições.
Fredrik Ekblom conseguiu recuperar a compostura e passou Catsburg, recuperando o 2º lugar.

Muller na primeira volta ainda caiu para o 8º lugar, depois de um toque com Hugo Valente (#7) na curva 13. Mais atrás, López não conseguia subir posições e até acabou por cair para fora dos lugares pontuáveis, e Tiago Monteiro foi perdendo algumas posições nas primeiras duas voltas até que ficou fora dos pontos, graças à sua aposta em pneus slick que não resultou.
Quem aproveitou esta confusão foi Tom Chilton (#3), que tomou a iniciativa e subiu ao 4º lugar.

Nas voltas 3 e 4, Robert Huff começou a ter dificuldades com a aderência dos seus pneus e caiu de 5º para 8º, sendo passado por John Filippi (#27), que depois seria penalizado por falsa partida, Hugo Valente (#7) e Grégoire Demoustier (#11).

Na frente, Bennani tinha uma diferença de três segundos para Catsburg, que passou ao 2º lugar depois de deixar para trás Ekblom, numa boa ultrapassagem, concretizada entre a última e a primeira curva, na volta 6.

Tom Chilton estava extremamente rápido e chegou-se à traseira do Volvo de Ekblom, passando depois para o 3º lugar na volta 8.
Gabriele Tarquini estava a recuperar posições muito depressa, depois de começar das boxes. A aposta nos pneus de chuva pagou dividendos e o veterano subiu para o 5º lugar.

Os pilotos que tinham pneus para piso seco e que perderam muitas posições pararam nas voltas 8 e 9 para colocarem pneus de chuva, incluindo os dois Citroën oficiais.

Até ao final, destaque para Chilton, que passou Catsburg na penúltima volta, na travagem para a curva 12 e subiu ao 2º lugar, colocando dois Citroën da Sébastien Loeb Racing nos dois primeiros lugares.

Mehdi Bennani venceu a corrida 1 na Hungria. É a primeira vitória do piloto marroquino no WTCC desde a corrida 2 na China em 2014. Foi uma bela prova de Bennani, em condições difíceis.

Tom Chilton foi, talvez, o piloto do dia, terminando no 2º lugar depois de começar em 10º, e Nick Catsburg completou o pódio.

Fredrik Ekblom terminou em 4º, Gabriele Tarquini foi 5º, após ter começado das boxes, Hugo Valente foi 6º, numa bela corrida para os Lada, Grégoire Demoustier fez o melhor resultado de carreira, em 7º, John Filippi recuperou de uma penalização para terminar em 8º, Ferenc Ficza (#55), que fez a sua estreia, deu uma alegria aos húngaros, terminando em 9º e René Münnich (#77) passou Rob Huff para fechar em 10º.

Para as equipas oficiais da Citroën e Honda, foi uma corrida para esquecer. Huff foi 11º e o último na mesma volta do líder, Monteiro não foi além de 12º, Muller 13º e López em 14º.

Classificação corrida 1:
1. Mehdi Bennani Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee
2. Tom Chilton Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee +3.313s I
3. Nick Catsburg LADA Sport Vesta +6.367s
4. Fredrik Ekblom Polestar Cyan Volvo S60 +13.918s
5. Gabriele Tarquini LADA Sport Vesta +14.566s
6. Hugo Valente LADA Sport Vesta +29.575s
7. Gregoire Demoustier Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee +34.530s
8. John Filippi Campos Chevrolet Cruze +47.418s
9 Ferenc Ficza Zengo Honda Civic +52.927s
10. Rene Munnich Munnich Chevrolet Cruze +1m 48.021s

11. Rob Huff Castrol Honda Civic +1m 58.809s
12. Tiago Monteiro Castrol Honda Civic +1 lap
13. Yvan Muller Citroen Racing C-Elysee +1 lap
14. Jose Maria Lopez Citroen Racing C-Elysee +1 lap
15. Tom Coronel ROAL Chevrolet Cruze +1 lap I
16. Thed Bjork Polestar Cyan Volvo S60 +1 lap

Sem classificação
17. Norbert Michelisz JAS Honda Civic

Corrida 2

Na segunda corrida, ainda com a chuva a cair, mas agora com os pilotos com pneus de chuva, José María López começou na pole position, com Tom Coronel (#9) ao seu lado. Na segunda linha estavam Rob Huff e Tiago Monteiro.

No arranque, López partiu bem e manteve-se na liderança. Rob Huff passou Coronel, que teve depois uma saída de pista na curva 2 e caiu para o 9º lugar.
Yvan Muller, que partiu em 7º, arrancou muito bem e subia ao 3º lugar, e Bennani passou de 9º para 5º, chegando mesmo a dar um toque em Tiago Monteiro, que teve uma saída breve de pista, e cedeu o 4º lugar ao marroquino, que seria penalizado por este toque, caindo para fora dos pontos. Assim, Monteiro recuperou para o 4º lugar.

2016-wtcc-hungaroring-hungary.jpg

Grégoire Demoustier bateu na barreira de pneus na curva 1 com alguma violência e obrigou o Safety Car a entrar na pista. Segundos antes, Muller aproveitou um erro de Huff na curva 5 para subir ao 2º lugar.

O Safety Car regressou às boxes no final da volta 5 e López continuou a liderar no recomeço da corrida, mas agora com uma vantagem bem mais curta do que anteriormente.

Gabriele Tarquini tentava passar por Monteiro, na luta pelo 4º lugar, mas cometeu um erro na curva 11 e ficou com Thed Björk (#62) ao seu lado. Ambos tocaram-se e Tarquini ficou com a suspensão danificada. Fim de corrida para o italiano.

As coisas na frente estavam a aquecer. Muller estava mais rápido do que López mas o argentino defendia-se muito bem.
Na volta 10, Muller ficou colado a López mas quando não conseguiu passar o argentino, Huff aproveitou na curva 2, deu um ligeiro toque que desestabilizou o Citroën e que permitiu ao britânico subir ao 2º posto.

Huff tentava reduzir a diferença para López mas também ele teve uma penalização pelo toque com Muller. Assim, Muller era 2º e Monteiro subia ao pódio.

Thed Björk, que teve direito a partir do 5º lugar (a sua penalização foi válida apenas para a corrida 1), pressionava bastante Monteiro, até que um erro na última curva na volta 13 aliviou um pouco a pressão para o português.

Norbert Michelisz estava em destaque e, partindo do final da grelha, já estava no 7º lugar, mas o azar voltou a bater à porta do húngaro que teve uma falha na suspensão na última volta, e ainda deu um toque em Coronel. Huff aproveitou e subiu duas posições.

José María López conseguiu a terceira vitória esta temporada e o argentino tem uma liderança mais sólida no campeonato nesta fase. Foi uma boa reviravolta depois de uma corrida 1 que foi péssima.

Yvan Muller contentou-se com o 2º lugar, e Tiago Monteiro fechou a corrida 2 no 3º lugar, batendo Thed Björk, que fez o melhor resultado da carreira, no 4º posto.

Tom Chilton voltou a recuperar posições e veio do 10º para o 5º lugar, vencendo nos Independentes, Robert Huff regressou à pista depois de ser penalizado mas ainda foi a tempo de segurar o 6º posto, Tom Coronel teve dificuldades, acabando em 7º, Mehdi Bennani, também penalizado, foi 8º, Hugo Valente foi 9º e Norbert Michelisz, com um carro quase incontrolável, conseguiu chegar à meta no 10º posto.

A próxima corrida será em Marrakech, Marrocos.

Classificação corrida 2:
1. Jose Maria Lopez Citroen Racing C-Elysee 
2. Yvan Muller Citroen Racing C-Elysee +2.821s
3. Tiago Monteiro Castrol Honda Civic +14.981
4. Thed Bjork Polestar Cyan Volvo S60 +18.026
5. Tom Chilton Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee +19.834s
6. Rob Huff Castrol Honda Civic +24.535.809s
7. Tom Coronel ROAL Chevrolet Cruze +26.979
8. Mehdi Bennani Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee +27.898
9. Hugo Valente LADA Sport Vesta +36.557s
10. Norbert Michelisz HUN JAS Honda Civic +36.867s

11. Fredrik Ekblom Polestar Cyan Volvo S60 +42.681s
12. John Filippi Campos Chevrolet Cruze +50.959s
13. Nick Catsburg LADA Sport Vesta +58.529s
14 Ferenc Ficza Zengo Honda Civic +1m 13.924s

Sem classificação
15. Rene Munnich Munnich Chevrolet Cruze
16. Gabriele Tarquini LADA Sport Vesta
17. Gregoire Demoustier Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.