NASCAR Sprint Cup Series – Toyota Owners 400 (resumo)

A NASCAR não dá descanso e este domingo realizou-se mais uma corrida, agora na oval técnica de Richmond.

Esta corrida ficou marcada pelo regresso de Tony Stewart (#14), agora recuperado das suas lesões, e finalmente iniciou em Richmond aquela que será a sua última temporada no campeonato.

A chuva criou dificuldades e obrigou ao cancelamento da qualificação, com a grelha a ser decidida pelos tempos da primeira sessão de treinos livres. Assim, Kevin Harvick (#4) fez a sua primeira pole esta temporada, tendo ao seu lado Joey Logano (#22), com Jimmie Johnson (#48) e Carl Edwards (#19) na segunda linha.

Para o dia da corrida o sol apareceu e a chuva já era uma imagem do passado na mente dos pilotos. Seriam 400 voltas difíceis para os pilotos.

Na largada, Kevin Harvick arrancou bem e Joey Logano não tão bem. Jimmie Johnson aproveitou e subiu ao 2º lugar.

Johnson começou a andar mais na parte superior da pista e chegou-se rapidamente a Harvick, que optou por largar Johnson e o piloto da Hendrick passou para a liderança em Richmond na volta 21.
Carl Edwards (#19) teve um bom início de corrida e não demorou muito tempo a chegar ao 2º lugar, aproveitando o tráfego para passar Harvick.

Após as primeiras 50 voltas, Edwards começou a estudar uma forma de passar Johnson. Após alguns ataques, no meio de carros mais lentos, e depois de estar durante algumas voltas lado a lado, Edwards finalmente passou para a liderança na volta 65 quando Johnson cometeu um ligeiro erro na saída da curva 2.

Com o passar das voltas, Kyle Busch (#18) subiu ao 2º lugar, Johnson e Harvick sofriam um pouco mais com o desgaste dos pneus e Joey Logano não conseguia andar para a frente e foi dobrado por Edwards.
Se na semana passada os carros da Joe Gibbs abusaram dos pneus, nesta corrida estavam a tratá-los muito bem, e Denny Hamlin (#11) subiu ao 3º lugar.

As paragens começaram para a maior parte do pelotão na volta 90, em bandeira verde. Brad Keselowski (#2) parou mais cedo e ficou no 3º lugar, e conseguiu estabilizar-se no 4º lugar durante algum tempo, atrás de Hamlin, até que lentamente caiu para 10º.

Edwards somou voltas e mais voltas na liderança e quando Kyle Busch já se encostava perigosamente, a bandeira amarela saiu na volta 157, por detritos.
Todos pararam e Kyle Busch passou Edwards para liderar na saída das boxes.
A paragem de Hamlin correu muito mal. Por duas vezes os mecânicos não conseguiram segurar as rodas desgovernadas. Hamlin foi penalizado e partiu do final do pelotão.

Recomeço na volta 165. Kyle Busch parecia um foguete no arranque e ganhou logo uma boa vantagem para Edwards, mas este voltou à carga, foi mais agressivo e voltou para o 1º lugar na volta 169.

A bandeira amarela voltou a aparecer na volta 196, novamente por detritos.
Os pilotos voltaram às boxes e Edwards saiu na frente, batendo por pouco Harvick, que subiu ao 2º lugar. Johnson era 3º, Kyle Busch teve uma paragem não tão eficaz, mas que não foi propriamente lenta e caiu para 4º.

Recomeço na volta 203. Edwards não teve problemas e fez um bom arranque, ficando confortavelmente na frente de Harvick e de Kyle Busch.

Desta vez Edwards não se afastou como desejaria de Harvick. Este manteve-se sempre perto do Toyota e passou à primeira oportunidade que teve, na volta 230. Harvick de volta à liderança da corrida.
Edwards não estava muito satisfeito com o comportamento do seu carro e pouco depois cedeu o 2º lugar para Kyle Busch, que também não conseguia estar no mesmo ritmo de Harvick, com uma desvantagem de dois segundos e meio.

A bandeira amarela voltou na volta 251, novamente por detritos.
Nas paragens, Harvick teve uma paragem supersónica e não facilitou as coisas a Busch, com os pilotos a manterem posições, e Jimmie Johnson teve uma paragem mais lenta que o fez cair para 8º.

Bandeira verde na volta 258. Harvick e Kyle não impressionaram a arrancar e quase que perdiam posição para Kurt Busch (#41), agora no 4º lugar, a fazer uma corrida paciente.
Kyle Busch pressionou Harvick desde a volta 260, tentando sempre meter o seu carro no interior das curvas, mas não foi capaz de se superiorizar.

Nova bandeira amarela na volta 269. Um toque entre Joey Logano e Tony Stewart deixou o pneu a roçar na carroçaria do Chevrolet #14 e acabou por furar ao fim de algumas voltas. Azar para Stewart no seu regresso à competição… e sorte para Logano, porque isto permitiu-lhe voltar à volta do líder!
Keselowski foi o único dos pilotos na volta do líder que optaram por não parar nas boxes. O primeiro a sair das paragens foi Carl Edwards, que fez uma paragem fantástica e saiu na frente de Harvick.

Mais uma partida, na volta 275. Apesar de ter os pneus mais desgastados, Keselowski aguentou a pressão de Harvick, que cedeu o 2º lugar a Kurt Busch, e Edwards não teve um arranque tão bom. Kurt não estava disposto a facilitar as coisas e passou a ser o novo líder na volta 278. Na mesma volta o seu irmão, Kyle, ascendeu ao 2º lugar.

Os irmãos Busch começaram a ter a sua luta familiar pela liderança da corrida. Kyle conseguiu ficar na parte superior e mais rápida da pista e passou por fora Kurt na volta 289, estabelecendo a partir daqui o controlo da corrida, com Kurt a ser uma espécie de escudeiro.

Mais uma vez, os detritos voltavam à pista e a bandeira amarela voltou na volta 312.
Mais uma corrida às boxes e a coisas foram renhidas, com Kurt a bater Kyle por centímetros, e Harvick em 3º.

Recomeço na volta 318. Kurt Busch arrancou muito bem e ganhou imediatamente uma boa vantagem para Kyle Busch, que não foi tão bom a arrancar.
Ryan Newman (#31) sofreu um toque de Kyle Larson (#42) que imediatamente lhe furou um pneu na saída da curva 4, fazendo um pião. Bandeira amarela.

Os pilotos voltaram ao ritmo de corrida a 75 voltas do fim. Ou assim parecia, se Ryan Ellis (#93) não tivesse feito um pião, tocado por Landon Cassill (#38).

O recomeço da corrida, a 66 voltas do final não teve problemas. Kurt superiorizou-se a Kyle, com Harvick em 3º e Edwards em 4º.

Kurt distanciou-se do seu irmão, que não tinha um carro tão eficaz nesta fase e deixou-se ser passado por Edwards, que vinha a recuperar andamento e ficou no 2º lugar.

Brian Scott (#44) fez sair uma bandeira amarela a 42 voltas do final da corrida, que poderia ser decisiva no resultado final, uma vez que todos pararam.
Algumas equipas assumiram mais riscos no aperto das porcas dos pneus. Kyle Busch certamente colocou três porcas, o que justificou uma paragem extremamente rápida de 10.5 segundos, e que o deixou na frente da corrida, seguido por Carl Edwards, com Jimmie Johnson em 3º e Kevin Harvick em 4º, com Kurt Busch a dar um trambolhão, de 1º para 5º, com uma paragem lenta.

Bandeira verde a 36 voltas do final. Kyle Busch e Carl Edwards ficaram lado a lado na primeira curva mas foi o campeão em título a levar a melhor.
Kurt Busch arrancou muito mal e desatou a perder posições, ficando fora dos 10 primeiros. As coisas passaram de boas, para más, e para péssimas.

Kyle Busch alargou a diferença para 1.2-1.3 segundos sobre Edwards, mas quando os líderes voltaram a apanhar carros mais lentos, Edwards conseguia marcar voltas mais rápidas.

Edwards estava visivelmente a encurtar a distância e, ao 10 voltas do fim, Edwards estava mesmo encostado a Busch.

Apesar dos esforços de Edwards, que se mostrava por dentro e por fora, Busch fez uma bela condução defensiva… até á última volta.

Na última volta, Edwards arriscou mesmo tudo para ultrapassar Busch. Depois de atacar nas curvas 1 e 2, na curva 4 Edwards deu um grande toque na traseira de Busch, literalmente tirando-o da frente. Foi uma manobra agressiva que produziu o resultado que Edwards queria: a chegada ao primeiro lugar e à vitória.

Carl Edwards venceu assim pela segunda corrida consecutiva, garantindo assim que estará na Chase, e mantém a série vitoriosa da Joe Gibbs Racing e da Toyota, com quatro vitórias consecutivas.

Kyle Busch aparentava estar calmo depois de ter sido encostado para o 2º lugar com alguma força pelo seu companheiro de equipa.

Jimmie Johnson fez uma corrida positiva, terminando no 3º lugar.

Kasey Kahne (#5) fez a melhor corrida dos últimos tempos, estando sempre entre os 10 primeiros durante toda a corrida, e mereceu um belo 4º lugar, na frente de Kevin Harvick.
Denny Hamlin teve a sua corrida comprometida com uma penalização e com alguns problemas de bateria e lutou para chegar ao 6º lugar, na frente de Matt Kenseth (#20), que teve problemas similares.
Joey Logano pareceu ganhar outra vida quando voltou à volta do líder depois de um início frustrante, e acabou no 8º lugar, salvando o seu dia. Martin Truex, Jr. (#78) foi 9º, depois de ser forçado a fazer uma paragem extra que lhe custou posições por causa de uma roda solta, e Kurt Busch teve umas voltas finais que não correram nada bem, fechando em 10º.

Brad Keselowski foi apenas 11º, Chase Elliott (#24) recuperou bem para o 12º lugar, na frente de Dale Earnhardt, Jr. (#88), que teve uma segunda parte de corrida mais difícil.~
Tony Stewart, no seu regresso à competição, teve um dia com algumas complicações, acabando a corrida em 19º.

Na próxima semana as altas velocidades regressam com a corrida na “superspeedway” de Talladega.

Resultados da Toyota Owners 400

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.