Verizon IndyCar Series – Angie’s List Grand Prix of Indianapolis

Maio é um mês passado em Indianápolis na IndyCar Series. Antes das 500 Milhas realizou-se o Grande Prémio de Indianápolis no circuito convencional que usa parte da oval.

Simon Pagenaud (#22) fez a pole position pela segunda vez consecutiva. Ao seu lado, na primeira linha da grelha ficou Charlie Kimball (#83), que efetuou a sua melhor qualificação na sua carreira na IndyCar.
Na segunda linha ficaram James Hinchcliffe (#5) e Jack Hawksworth (#41), ambos com uma qualificação muito positiva, sobretudo a de Hinchcliffe, que regressou à pista onde teve o seu enorme acidente no ano passado.

Dois pilotos que participaram na última ronda de qualificação foram penalizados por terem os seus carros abaixo do peso mínimo, foram eles Graham Rahal (#15) e Josef Newgarden (#21), que inicialmente tinham completado a qualificação no 3º e 5º lugares, respetivamente. Assim, ambos os pilotos teriam que fazer uma corrida de trás para a frente, porque ficaram nos últimos lugares na grelha de partida.

Simon Pagenaud arrancou melhor do que Charlie Kimball e manteve-se na liderança. James Hinchcliffe fez um grande arranque e passou Kimball para chegar ao 2º lugar, e ainda atacou Pagenaud, mas estava no lado errado da pista para tentar a ultrapassagem.
Na travagem para a primeira curva, Tony Kanaan (#10) tentou desviar-se de Scott Dixon (#9), que também se desviava de outros carros, não viu Sébastien Bourdais (#11) que estava a tentar colocar o seu carro no lado esquerdo da pista e o brasileiro invevitávelmente tocou no francês. Ambos ficaram com os carros parados e um pouco danificados na curva 1. Era mostrada a bandeira amarela.

A corrida recomeçou na volta 5. Pagenaud deixou-se surpreender um pouco no recomeço mas protegeu a trajetória interior e manteve a liderança, com Hinchcliffe em 2º e Kimball em 3º.

Will Power (#12), que se qualificou apenas no 10º lugar, estava a ser muito pressionado por Alexander Rossi (#98) e, na volta 8, cometeu um erro na curva 7, saindo e pista e fazendo um pião, e caiu para o 23º e último lugar. As coisas não corriam bem para o campeão de 2014.

Ao fim de 10 voltas, Pagenaud tinha uma vantagem relativamente curta, de 1.5 segundos sobre Hinchcliffe. Kimball era 3º e Jack Hawksworth, em 4º, mantinha Scott Dixon nos seus retrovisores, apesar de ter perdido o contacto com os líderes.
A pressão de Dixon finalmente deu resultado na volta 14, ao entrar na reta da meta colado a Hawksworth. O britânico forçou o campeão em título a ir para perto do muro das boxes mas a ultrapassagem foi inevitável, e Dixon subia ao 4º lugar.

Charlie Kimball aproximou-se de Hinchcliffe, viu uma oportunidade para o ultrapassar e conseguiu mesmo subir ao 2º lugar na volta 17, passando Hinchcliffe por fora na travagem para a curva 7.

Após as primeiras 20 voltas, vários carros começaram a entrar na via das boxes para efetuarem as suas primeiras paragens.
O líder, Simon Pagenaud, entrou nas boxes no final da volta 22, e colocou pneus duros. Na volta seguinte, Kimball e Hinchcliffe também pararam, e não mudaram as posições nas boxes.
Na curva 1, Pagenaud deu o seu melhor mas Kimball, que fez uma grande volta de entrada, conseguiu à justa ficar na liderança… mas como não tinha os pneus na temperatura correta, foi passado na travagem para a curva 7 por Pagenaud, que voltou à posição de líder.
Nesta altura, Ryan Hunter-Reay (#28), que foi um dos primeiros a parar, estava já no 5º lugar, depois de arrancar de 15º, e a recuperação de Graham Rahal estava a correr muito bem. O piloto da Rahal Letterman Lanigan Racing foi o último a parar e saiu das boxes no 8º lugar, tendo recuperado 16 posições.

A luta pelos lugares do pódio estava a aquecer, com Scott Dixon a ser rápido nesta fase, e a aproximar-se cada vez mais de James Hinchcliffe, que por sua vez não deixava Charlie Kimball escapar à sua frente.

A segunda bandeira amarela apareceu na volta 38. Sébastien Bourdais, que tinha regressado à pista, ficou parado fora da pista segundos depois de ter saído das boxes. Para remover o carro do francês e para reparar um placar na reta da meta a direção de corrida optou por fazer sair a bandeira amarela.
Nesta bandeira amarela, o carro de J. R. Hildebrand (#6), que fez o seu regresso ao campeonato, também ficou parado em pista e foi rebocado até às boxes.
Quase todos os pilotos pararam nas boxes. A paragem de Hinchcliffe foi muito boa e ganhou duas posições, a Pagenaud e a Kimball, mas o canadiano não ficou na liderança. Hélio Castroneves (#3) tinha feito a segunda paragem antes do Pace Car entrar em pista e ficou na frente da corrida, depois de começar em 13º.

Assim, a ordem no recomeço era: Castroneves na frente, Conor Daly (#18) em 2º, ele que também tinha parado antes da bandeira amarela, Hinchcliffe em 3º, Pagenaud caiu para 4º e Kimball em 5º.

Após algumas voltas em bandeira amarela, a corrida recomeçou na volta 46. Castroneves não conseguiu o arranque que precisava e foi passado por Daly na travagem para a curva 1. Daly era o novo líder. Poucos diriam que o “rookie” conseguiria chegar a esta posição, até porque tinha arrancado do 22º lugar!
Pagenaud também arrancou bem e passou na curva 1 Hinchcliffe, que viria a perder mais uma posição na curva 4 para Kimball, caindo para 5º.

Kimball e Hinchcliffe tinham a sua luta privada e, na volta 47, o canadiano devolveu a ultrapassagem, mas não sem levar um toque. Kimball ficou com danos ligeiros na asa dianteira e perdeu uma posição para Graham Rahal, que tinha arrancado bem e já vinha no 5º lugar.

Conor Daly, claramente inspirado pelo facto de estar na liderança, somava voltas rápidas e tinha uma vantagem de mais de dois segundos para Castroneves.

No final da volta 60, Daly fez a sua última paragem, juntamente com Hinchcliffe. Castroneves ficou em pista e parou duas voltas depois, e passou para a frente de Daly.
Pagenaud parou no final da volta 63, depois de realizar uma série de voltas rápidas, e o francês voltou à pista com uma grande vantagem sobre Castroneves.
Depois de todos os pilotos terem feito as paragens, na volta 65 de 82, Pagenaud voltava à liderança da corrida, tendo uma vantagem de 3.7 segundos para Castroneves, Daly era 3º, a 5.3 segundos, Hinchcliffe era 4º, a 6.2 e Rahal era 5º, a 8.9.

Pagenaud distanciava-se de Castroneves, que tinha Hinchcliffe a aproximar-se da sua traseira. Mais atrás, na luta pelo 4º lugar, Graham Rahal usou um “push to pass” para passar Conor Daly à entrada da curva 1, na volta 76 e, segundos depois, foi a vez de Charlie Kimball ganhar uma posição, relegando Daly para o 6º lugar.

Até ao final a situação da corrida não se alterou e Simon Pagenaud assinou a terceira vitória consecutiva no campeonato, voltando a vencer no Grande Prémio de Indianápolis. O francês está até agora imparável e voltou a ter uma vitória bem merecida, que o vai deixar como um sério candidato à vitória para as 500 Milhas no final do mês.

Hélio Castroneves recuperou bem do 13º lugar, para terminar no 2º lugar, e James Hinchcliffe fez o melhor resultado da temporada, com um excelente 3º posto.

Vindo do 24º lugar, Graham Rahal fez uma corrida sensacional e terminou na 4ª posição, com Charlie Kimball em 5º, Conor Daly em 6º, também a recuperar muito bem do 22º lugar à partida.
Scott Dixon, que teve problemas na asa dianteira a meio da corrida, não foi além do 7º lugar, e está agora a uns distantes 76 pontos de Pagenaud, pelo que tem agora muito para recuperar.
Juan Pablo Montoya não teve uma corrida muito consistente, terminando em 8º, com Ryan Hunter-Reay a cair para 9º nas últimas voltas e Alexander Rossi (#98) a terminar em 10º lugar, que foi um bom resultado tendo em conta que teve uma penalização e que ainda fez um pião que lhe fez perder mais tempo.

Pela negativa, Will Power, depois do pião, ficou com a sua corrida completamente arruinada, não indo além de um desapontante 19º lugar.

Daqui a duas semanas teremos a grande corrida americana, uma das jóias da coroa do desporto motorizado a nível mundial: as 500 Milhas de Indianápolis, que este ano celebra a 100ª edição. Uma semana antes será a qualificação para a corrida.

 

Resultados: http://www.imscdn.com/indycar_media/documents/2016-05-14/ALGPI%20Box%20Score.pdf

 

Jorge Covas

Um pensamento sobre “Verizon IndyCar Series – Angie’s List Grand Prix of Indianapolis

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.