NASCAR Sprint Cup Series – AAA 400 Drive for Autism: Resumo

A NASCAR Sprint Cup Series foi até Dover, a oval curta conhecida por “The Monster Mile”, devido a sua natureza demolidora para carros e pilotos.

A chuva apareceu na qualificação e a ordem de partida foi definida pelos tempos da primeira sessão de treinos livres. Assim, Kevin Harvick (#4) ficou na pole, com Dale Earnhardt, Jr. (#88) ao seu lado, com Kyle Busch (#18), que nesta corrida não contou com o seu chefe de equipa, Adam Stevens, suspenso por uma corrida por uma violação das regras das porcas nos pneus, e Carl Edwards (#19) na segunda linha.
Em posições mais recuadas estavam Jimmie Johnson (#48), que partiu de 21º, numa pista onde já venceu por 10 vezes, e Joey Logano (#22) em 22º.

Kevin Harvick fez um bom arranque e passou imediatamente para a frente da corrida, porque Dale Earnhardt, Jr. teve alguma derrapagem e perdeu uma posição para Carl Edwards.

Nas primeiras voltas, a situação da corrida não se alterou muito, exceto o facto de Joey Logano e Jimmie Johnson estarem a recuperar posições no meio do pelotão, e Kyle Busch a perder alguns segundos com um detrito na grelha. Kevin Harvick estava numa classe à parte e liderava com cinco segundos de vantagem para Carl Edwards.

Muitos pilotos estavam a andar de forma tranquila, à espera da bandeira amarela de competição, que surgiu na volta 40. Todos pararam para que as equipas analisassem os pneus.
Carl Edwards fez uma grande paragem nas boxes e passou a ser o novo líder da corrida, relegando Harvick para 2º, ele que teve uma paragem lenta.

No recomeço, na volta 46, Edwards tentou colocar-se no lado interior da pista e conseguiu bloquear o avanço de Harvick, mas este não se encolheu e saiu muito bem da curva 4 para recuperar a liderança.

foto: NASCAR

Harvick, na frente da corrida, voltou a impor um ritmo que os seus rivais não estavam a conseguir acompanhar, e alargou a sua vantagem para três segundos sobre Edwards e quatro para Matt Kenseth (#20), que já vinha no 3º lugar.
De repente, Harvick começava a ter dificuldades para dobrar carros mais lentos, a partir da volta 80, e Edwards reduziu a diferença para meio segundo, até que teve que esperar que Brian Scott (#44) e Danica Patrick (#10) resolvessem a sua luta por posição, e isto custou-lhe dois segundos.

A bandeira amarela apareceu na volta 118. Matt DiBenedetto (#83) rebentou um pneu na curva 2 e o carro saiu disparado contra a barreira.
Todos os pilotos pararam e, novamente, Harvick teve uma paragem lenta, perdendo duas posições. Edwards voltou a parar de forma rápida e saiu na frente de Kenseth e Harvick.
O azarado nas paragens foi Denny Hamlin (#11), que parou nas boxes quando a bandeira amarela saiu, e perdeu uma volta, recuperando-a a meio da corrida.

Recomeço na volta 125. Edwards fez um bom arranque, com Kenseth a estar mais preocupado em defender-se dos carros mais atrás. Entretanto, Harvick foi passado por Brad Keselowski (#2), que subia ao 3º lugar durante uma volta.

Edwards distanciou-se de Kenseth até que a bandeira amarela voltou a aparecer, na volta 143, quando Regan Smith (#7) fez um pião e bateu no muro.
Os líderes pararam e colocaram apenas dois pneus, com Edwards, Kenseth e Harvick a manterem esta formação. Martin Truex, Jr. (#78) foi o único que não parou e ficou na liderança.

foto: FOX Sports

Recomeço na volta 152. Edwards estava a fazer uma boa fase de arranque mas um empurrão de Kenseth desestabilizou o seu carro e permitiu a Truex, Jr. manter a posição.

Apesar de ter pneus mais desgastados, Truex, Jr. conseguia manter Edwards à distância. Truex, Jr. estava a pilotar bem nesta fase.
A bandeira amarela voltou na volta 173, por detritos. Nas boxes, Truex, Jr. apostou numa estratégia muito interessante de trocar apenas dois pneus e foi o primeiro a sair. Os seus rivais tinham colocado quatro pneus e, deles, o melhor foi Carl Edwards, em 6º.
Na frente da corrida ficou Greg Biffle (#16), que não tinha parado. Atrás de Truex, Jr. e à frente de Edwards, trocando apenas dois pneus ficaram Joey Logano, Kyle Larson (#42), que tinha arrancado em 23º e Jamie McMurray (#1).

Recomeço na volta 179. Biffle arrancou bem e Truex, Jr. foi surpreendido por Larson, que não pediu licença para subir ao 2º lugar.
Duas voltas depois, Larson encostou-se a Biffle e passou-o na saída da curva 4, e passou a ser o líder em Dover.

A bandeira amarela não demorou a surgir, na volta 183. Rebentamento de pneu ou falha na suspensão enviou o carro de Austin Dillon (#3) contra o muro na curva 3.

Novo recomeço na volta 191. Por fora, Larson não deu hipótese a Biffle, que depois foi passado por Logano. Nos 10 primeiros, a luta pelo 6º lugar aquecia com Truex, Jr. a aguentar a pressão de Keselowski, Edwards, Harvick, Johnson e Kurt Busch (#41).

Reed Sorenson (#55) partiu o motor e espalhou muito óleo em pista. Jimmie Johnson, que tinha passado Kevin Harvick, fez um pião e ainda deu um ligeiro toque noutro carro, felizmente sem causar danos no seu Chevrolet. Bandeira amarela, que Kyle Larson certamente não terá gostado, uma vez que liderava com dois segundos de vantagem.
Todos pararam e Keselowski trocou apenas dois pneus, sendo o primeiro a sair, com Earnhardt, Jr. em 3º, também a trocar dois pneus. Denny Hamlin não parou e, depois de estar com uma volta de atraso, chegava à liderança.

Recomeço na volta 220. Hamlin fez um bom arranque e Kyle Busch passou de 4º para 2º por breves instantes, voltando ao 4º lugar depois de ser passado por Keselowski e Larson.

Bandeiras amarelas geram bandeiras amarelas e, na volta 226, Michael Annett (#46) foi tocado por Jamie McMurray na reta da meta, fez um pião e bateu no muro das boxes.
Apesar de ser um turno muito curto, alguns pilotos fora do Top 10 pararam nas boxes.

Mais um recomeço na volta 231, com Hamlin a ser incapaz de se defender de Keselowski, que passou para a frente no final da volta. Kyle Larson não queria deixar escapar Keselowski e imediatamente saltou para o 2º posto.

Depois de se afastarem de Hamlin, Keselowski e Larson estavam a ter uma batalha com uma distância de meio segundo. A luta intensificou-se quando começaram a dobrar carros mais lentos. Aí, Larson pressionou e encostou-se a Keselowski, mas este mantinha-se na trajetória superior e defendia-se bem na saída das curvas.

À medida que se aproximavam as paragens nas boxes, o desgaste dos pneus dava dores de cabeça a vários pilotos, sobretudo a Denny Hamlin, que caiu para fora dos 10 primeiros, e a Kyle Busch, que caiu para 20º.
Antes disso, Larson aproveitou um erro de Keselowski a dobrar um carro mais lento e, na volta 281 finalmente passou para a frente.

Na volta 284, Brad Keselowski teve um grande problema a dobrar Austin Dillon, que vinha bastante lento na reta oposta. Keselowski tentou desviar-se mas acertou na traseira, criando um buraco na carroçaria. Isto deu-lhe enormes problemas aerodinâmicos.
Joey Logano estava cada vez mais perto de Larson mas a bandeira amarela saiu na volta 288, por detritos que possivelmente eram provenientes dos carros de Dillon e Keselowski. Foi uma boa notícia para Keselowski, que assim podia reparar o seu carro.
Nas boxes, Larson saiu na frente de Logano, Truex, Jr. e Edwards. Keselowski, esse, saiu das boxes atrasado e com uma penalização por ter demasiados mecânicos a trabalhar no carro, fora dos 20 primeiros.

Recomeço a 107 voltas do fim. Larson arrancou bem e distanciou-se de Logano, que agora estava mais preocupado com a aproximação de Edwards, que estava ansioso para chegar à frente.

Mais uma vez, a bandeira amarela foi mostrada por detritos a 102 voltas do fim, e o recomeço foi dado a 98 voltas do fim. Larson teve uma fase inicial de arranque que não foi eficaz, mas compensou ao ser agressivo por fora nas curvas 1 e 2, batendo Logano.
Truex, Jr. arrancou bem e passou Edwards no arranque, e duas voltas depois colocou Logano no 3º lugar. Agora o piloto da equipa de Barney Visser tentava aproximar-se de Larson que, no ar limpo, estava imperial.

Martin Truex, Jr. chegou-se muito rapidamente à traseira de Kyle Larson, e estava determinado a passá-lo o mais depressa possível, mas Larson usou uma estratégia defensiva semelhante à de Keselowski, colocando-se a meio da pista e a sair bem das curvas, e não deixou Truex, Jr. passar.
Um pouco mais atrás, Joey Logano rodava mais lento do que os rivais e foi passado por Carl Edwards na volta 324. Com ar limpo, Edwards começava a reduzir a diferença para os líderes, que continuavam a sua luta a ferro e fogo, com Truex, Jr. incapaz de passar Larson.

Truex, Jr. insistia, e insistia, colocando o seu carro no limite, e a ultrapassagem foi finalmente concretizada na volta 331, quando obrigou Larson a ir para cima e a ficar atrás de um carro mais lento. Truex, Jr. de novo na frente.

Mais uma bandeira amarela, desta vez a 53 voltas do fim. Tony Stewart (#14) teve uma falha na barra estabilizadora, deitou óleo na pista e Chris Buescher (#34) fez um pião. Martin Truex, Jr. teve muita sorte em não parar no muro ao passar sobre o óleo.
Todos pararam nas boxes, naquela que foi a última paragem programada da corrida. Jimmie Johnson e Matt Kenseth arriscaram tudo e trocaram dois pneus, ficando no 1º e 2º lugar. Truex, Jr. deixou Edwards passar para 3º, tentando usar tética no recomeço, com Larson em 5º e Harvick em 6º. Depois de uma corrida em que lutou para estar nos 10 primeiros, o recordista de Dover estava finalmente na frente.
Esta bandeira amarela foi um pouco prolongada, porque Tony Stewart espalhou óleo em metada da pista e nas boxes.

Quando a corrida recomeçou, a 45 voltas do fim, deu-se logo um acidente, um “Big One”.
Johnson simplesmente não arrancou, porque ao passar de 2ª para 3ª velocidade, o seu carro ficou praticamente em ponto-morto, e todos os que vinham atrás não conseguiram evitar um toque.
Truex, Jr. vinha atrás e bateu em Johnson, estragando a frente do seu carro. Harvick bateu em Truex, Jr. o carro de Johnson ficou atravessado na pista. Kyle Busch, A. J. Allmendinger (#47), Ricky Stenhouse, Jr. (#17), Logano, Ryan Newman (#31), Dale Earnhardt, Jr., Aric Almirola (#43), Greg Biffle (#16), Danica Patrick (#10), David Ragan (#23), Jamie McMurray (#1), Casey Mears (#13), entre outros, ficaram envolvidos e, em alguns casos, como Newman e Earnhardt, Jr., que bateu violentamente no carro de Mears, ficaram com grandes estragos, já para não falar em Harvick, Truex, Jr. e Johnson. No total foram 18 carros envolvidos neste acidente. A bandeira vermelha foi mostrada. Earnhardt, Jr. e Almirola ainda se magoaram nas mãos com este múltiplo acidente.

Depois da bandeira vermelha, a corrida tinha uma ordem completamente diferente. Matt Kenseth liderava, Carl Edwards era 2º, Kurt Busch 3º e Kyle Larson em 4º.

Recomeço a 41 voltas do fim. Kenseth bateu Edwards e, na reta oposta, Larson colocou-se por dentro de Edwards, que estava a meio da pista por dentro de Kurt Busch, que tinha subido demasiado na oval. Edwards atravessou-se, Larson tocou-lhe e Edwards atravessou-se, batendo com estrondo na barreira interior. Bandeira amarela.

O pelotão voltou a arrancar a 35 voltas do fim. Kenseth fez o arranque que precisava e ficou imediatamente na frente de Larson, com Kasey Kahne (#5) a subir por breves instantes ao 3º lugar, depois de uma corrida em que andou à porta do Top 10.

Na frente, Kenseth queria finalmente acertar com o pé direito nesta temporada turbulenta, e Larson ainda estava à procura de uma primeira vitória de carreira que se prometia já desde 2013.
Kurt Busch vinha a dar o máximo, no 3º lugar e a chegar depressa aos dois primeiros, apesar de ter dado um toque no muro.

Larson queria imenso a vitória e o jovem piloto da equipa de Chip Ganassi foi extremamente agressivo, dando pequenos toques e tentando tirar o ar da traseira de Kenseth. Entretanto, Kurt Busch perdia o contacto e Chase Elliottt (#24), vindo do nada, aparecia num incrível 3º lugar e rodava muito mais depressa do que os líderes.

Numa tentativa desesperada de ultrapassar Kenseth, Larson quase perdia o controlo do carro na saída da curva 2 e Elliott nem precisou de um segundo convite para chegar ao 2º lugar a 20 voltas do fim. A corrida estava extremamente renhida!
Larson, depois de vários toques, acabou por ficar na frente de Elliott, mas esta luta particular não os ajudou, porque ficaram com um segundo de atraso para Kenseth.

Apesar de tudo, os jovens não desistiram de apanhar o veterano, que continuava bastante rápido apesar de ter trocado apenas dois pneus na última paragem. Larson deu tudo o que tinha e reduziu a diferença, tendo que recuperar meio segundo a 10 voltas do fim.

Larson conseguiu no tráfego apanhar Kenseth a 5 voltas do fim, colocou-se lado a lado na curva 2 e quase que o ultrapassou. Kenseth ainda resistia, apesar de ter raspado no muro. Ambos levavam os seus carros ao limite dos limites.
Tudo se decidiu na última volta. Kenseth conseguiu uma boa saída da última curva e Larson, ligeiramente atrasado, não conseguiu colocar-se numa posição para poder atacar Kenseth.

E depois de uma grande corrida em Dover, Matt Kenseth finalmente deixou para trás um ano em que teve muito azar para assinar a sua primeira vitória da temporada, e está à condição na Chase Grid. Foi uma vitória em que a experiência pagou dividendos nas últimas voltas, resistindo a dois jovens ansiosos de vencer pela primeira vez, e a margem de vitória foi de 0.188 segundos. Mais um final apertado esta temporada.

Kyle Larson, talvez o piloto do dia, terminou no 2º lugar, com Chase Elliott a fazer uma corrida em que esteve a lutar para estar nos 10 primeiros para o 3º lugar, que é o seu melhor resultado de carreira. Os jovens fizeram bons resultados.

Kasey Kahne somou um bom 4º lugar, Kurt Busch foi 5º, Brad Keselowski, com uma frente do lado direito com remendos, foi 6º, Denny Hamlin, que ainda levou com uma peça do carro de Edwards no acidente do seu colega de equipa, foi 7º e Ryan Blaney somou um bom resultado em Dover, com um 8º lugar.
Martin Truex, Jr., com uma frente muito estragada e com muitos remendos, ainda foi a tempo de terminar no 9º lugar, e Trevor Bayne (#6) fechou o Top 10.

Dos pilotos favoritos à vitória que ficaram envolvidos no grande acidente da corrida, Kevin Harvick foi 15º, Joey Logano, que acabou sem a frente do carro, com o motor e rodas expostas, chegou ao fim em 22º, Jimmie Johnson, que ainda voltou depois de ter reparado minimamente o seu carro, foi 25º, Kyle Busch abandonou e foi 30º, Dale Earnhardt, Jr. também abandonou e foi 32º e, finalmente, Carl Edwards, que colidiu no muro mais tarde, ficou classificado em 28º.

Na próxima semana o campeonato segue para Charlotte, para fazer uma corrida que não conta para o campeonato, a All-Star Race. Uma semana depois será a Coca-Cola 600, a corrida mais longa do campeonato, também em Charlotte.

Resultado final

Jorge Covas

Um pensamento sobre “NASCAR Sprint Cup Series – AAA 400 Drive for Autism: Resumo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.