MotoGP – Gran Premio d’Italia TIM: Resumo

Mugello em Itália recebeu mais um fim de semana de corridas no MotoGP.

Era esperado que Andrea Iannone (#29), que foi o piloto mais forte nos treinos livres, assinasse a pole, mas Valentino Rossi (#46) conseguiu uma última volta brilhante e fez a pole position, a primeira do italiano em Mugello desde 2008. Ao lado do italiano ficou Maverick Viñales (#25), que no próximo ano estará na Yamaha, e o seu lugar na Suzuki será ocupado por Andrea Iannone, que acabou por fechar a primeira linha. Na segunda linha ficaram Marc Márquez (#93), Jorge Lorenzo (#99) e Aleix Espargaró (#41).

No arranque, Lorenzo foi brilhante e saltou imediatamente de 5º para 1º. Em sentido inverso estavam Iannone e Viñales, este último a cair de 2º para 11º. Logo na curva 1 houve uma queda que envolveu Loris Baz (#76), Álvaro Bautista (#19) e Jack Miller (#43), com os três a ficarem fora de prova.

Lorenzo ficava na frente de Rossi, que estava mais rápido, e logo na volta 2 tentou passar o espanhol na curva 1, só que travou demasiado tarde e Lorenzo aproveitou para recuperar a posição.

Rossi pressionava, espreitava uma oportunidade, sobretudo na curva 1, manteve-se colado a Lorenzo até que na volta 8 começou a sair fumo da Yamaha, indicando uma falha no motor. O italiano saiu da pista e abandonou a corrida. É importante dizer que Lorenzo, no “warm-up”, teve um problema semelhante. Assim, Lorenzo liderava com sete décimas de segundo sobre Márquez, que tinha passado por Espargaró, e Andrea Dovizioso (#4) vinha no 3º lugar, depois de ter arrancado do 13º lugar. Até agora era uma belíssima recuperação.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FMotoGP%2Fvideos%2F10154479576015769%2F&show_text=0&width=560

Na volta 10, Márquez conseguiu ficar suficientemente perto de Lorenzo para começar a pensar num ataque, mas o campeão do mundo continuava a marcar voltas extremamente consistentes, e impedia para já um possível ataque do piloto da Honda.

Mais atrás, Iannone recuperava do seu mau arranque e vinha no 4º lugar, mas estava determinado a passar o seu companheiro de equipa, Dovizioso, e foi o que tentou fazer a sete voltas do fim, na curva 1. Iannone passava Dovizioso mas, na volta seguinte, este respondia e voltava ao 3º posto.
Iannone não desistia de chegar ao pódio e voltou a passar Dovizioso na curva 12, e a luta viria a acabar a cinco voltas do fim, quando Dovizioso travou demasiado tarde para a curva 1 e teve uma breve saída para a escapatória de asfalto, perdendo uma posição para Dani Pedrosa (#26).

As coisas na frente da corrida estavam a aquecer, e Márquez subiu a temperatura a quatro voltas do fim, ao tentar uma manobra quase impossível na curva 10. A manobra falhou porque Márquez travou para além dos limites, e Lorenzo voltava a superiorizar-se.
Márquez não se desmotivou com esta tentativa falhada e colou-se a Lorenzo a duas voltas do fim, tentando uma nova ultrapassagem, agora na curva 1. Tal como anteriormente, voltou a travar tarde demais. Lorenzo continuava teimosamente na frente!

Esta luta de dois grandes gladiadores resolveu-se na última volta. Depois de se tocarem ligeiramente na reta da meta, Márquez surpreendeu Lorenzo por completo na curva 4, atirando a sua Honda para o interior da curva, e a sua manobra deu resultado, passando para a frente.
A luta não se ficou por aqui, porque Lorenzo tentou uma manobra quase impossível no “S” na curva 13, tentando passar por dentro, mas Márquez fez a tesoura, e ambos ficavam lado a lado até à última curva. Aí, Lorenzo tenta colocar-se por dentro mas comete um ligeiro erro e dá uma ligeira vantagem a Márquez, que entrou na reta da meta na frente.
Este ano, com a eletrónica unficada, as Honda perderam alguma aceleração em comparação às Yamaha, e apesar de ter algum atraso, Lorenzo ficou no cone de ar de Márquez e, incrivelmente, conseguiu passar a Honda sobre a linha de meta!

13267969_10153520841245811_546025178098360527_n

Depois de um final fantástico, Jorge Lorenzo conquistou a terceira vitória da temporada. Foi mais uma prestação sólida e impressionante do campeão do mundo, que bateu Marc Márquez, um bravo 2º classificado, por apenas 0.019 segundos!

Andrea Iannone terminou a sua corrida caseira num excelente 3º lugar, e voltou a bater o recorde de velocidade, levando a sua Ducati aos 354.9 km/h.

Dani Pedrosa foi 4º, Andrea Dovizioso veio de 13º para 5º, Maverick Viñales recuperou posições depois do seu mau arranque mas não foi além do 6º lugar, com Bradley Smith (#38) em 7º, Danilo Petrucci (#9), num bom 8º posto, Aleix Espargaró caiu para 9º e Michele Pirro (#51), numa terceira Ducati oficial, fechou o Top 10.

Em Moto2, depois de uma corrida que teve uma bandeira vermelha, por uma queda de Xavier Vierge (#97) (Tech 3), a corrida teve uma segunda partida, para apenas 10 voltas. Aí foi Johann Zarco (#5) (Kalex) o vencedor, com Miguel Oliveira (#44) (Kalex) a terminar nos pontos, em 13º.
Em Moto3 foi Brad Binder (#41) que venceu uma boa corrida, pela terceira vez consecutiva.

O campeonato segue para Barcelona, na Catalunha, em Espanha.

Resultado final

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.