NASCAR Sprint Cup Series – 32nd Annual NASCAR Sprint All-Star Race

Este sábado realizou-se em Charlotte a corrida do All-Star Race, uma corrida anual, muito lucrativa para os pilotos mas que não conta para o campeonato. Nesta prova estiveram 20 carros, 15 qualificaram-se automaticamente, tendo em conta algumas condicionantes, como campeões na Sprint Cup no passado, ou vencedores anteriores no All-Star, que se qualificam automaticamente.
Antes do All-Star realizou-se o Sprint Showdown, que qualificou mais três pilotos para o All-Star. Trevor Bayne (#6), vencedor do primeiro segmento da corrida, e Greg Biffle (#16), vencedor do segundo segmento da corrida e, finalmente, Kyle Larson (#42), vencedor da corrida, qualificaram-se para a final. Chase Elliott (#24) e Danica Patrick (#10) foram os dois melhores nos votos dos fãs da NASCAR e também avançaram para a grande corrida, que iria dar um milhão de dólares.

A chuva criou dificuldades nos últimos dias, e a partida da corrida também ficou um pouco atrasada para que se pudesse secar a pista. A grelha de partida foi determinada pela ordem no campeonato, e ficou Kevin Harvick (#4) na pole position, com Kyle Busch (#75) ao seu lado. Busch mudou de números, do 18 para o 75, a propósito dos 75 anos do seu patrocinador, a M&M’s. Na segunda linha ficaram Kurt Busch (#41) e Carl Edwards (#19).

foto: NASCAR

Esta corrida teve um formato um pouco diferente este ano, com dois segmentos de 50 voltas, com uma paragem obrigatória em bandeira verde e uma paragem para uma troca de, pelo menos, dois pneus nas bandeiras amarelas entre segmentos. O último segmento teve apenas 13 voltas, com um sorteio onde se ficaria a saber se os 9, 10 ou 11 primeiros no final do segundo segmento iriam parar para uma troca obrigatória de quatro pneus.

A corrida começou com Kyle Busch e Kevin Harvick a estarem lado a lado durante duas voltas. No final da volta 2, Busch passou para a frente, só que Harvick não desistiu facilmente e durante três voltas manteve-se no interior da pista até que recuperou a liderança.
Depois de se livrar de Busch, Harvick iniciou a construção de uma boa vantagem, que chegou a exceder os três segundos para Kyle Busch, que tinha Carl Edwards nos seus retrovisores.

Um ciclo de paragens em bandeira verde iniciou-se na volta 25. Kevin Harvick parou na volta 27. Kyle Busch, Joey Logano (#22) e Carl Edwards mantiveram-se mais algum tempo em pista.

Os líderes já perdiam mais de um segundo por volta para os pilotos que tinham parado, mas Joey Logano, que vinha a ganhar posições, estava mais rápido do que Kyle Busch e passou-o na volta 36. Três voltas depois, Harvick, em 6º, foi o primeiro dos pilotos que tinham parado a recuperar uma volta de atraso.

A luta pelo segundo lugar estava interessante. Kyle Busch tinha mais dificuldades com a borracha mais desgastada, e Carl Edwards e Brad Keselowski (#2) facilmente passaram para 2º e 3º, respetivamente.

A cinco voltas do final, Logano usa a estratégia de parar e de colocar pneus mas apenas para o lado esquerdo. A seguir, Jamie McMurray (#1) rebenta um pneu e faz sair a bandeira amarela.
Edwards, Keselowski e Busch tiveram alguma sorte e conseguiram parar a tempo de sair a bandeira amarela. O azarado foi Matt Kenseth (#20), que ficou na liderança mas ainda não tinha parado. Assim, não só foi obrigado a parar, como ainda foi penalizado em uma volta.
Para o jogo da estratégia, Kyle Larson, Jimmie Johnson (#48) e Denny Hamlin (#11) pararam para colocar pneus apenas no lado esquerdo, para depois fazerem a troca de pneus apenas no lado direito no final do segmento.

foto: NASCAR

No final do primeiro segmento, Carl Edwards ficou na frente de Brad Keselowski. Kyle Busch era 3º, Kevin Harvick 4º e Chase Elliott (#24) em 5º.
Nas boxes, o melhor foi Brad Keselowski, que usou bem a estratégia e poupou tempo ao trocar dois pneus, saindo na frente de Kyle Busch, que também trocou dois.

No arranque para o segundo segmento, que obrigava os pilotos a fazer uma paragem em bandeira verde até à volta 35. Kyle Busch conseguiu fazer um bom arranque, que lhe permitiu manter-se lado a lado com Keselowski até à curva 3, altura em que Keselowski o bloqueou para se manter na liderança.
Kyle Busch perdeu alguma velocidade com o bloqueio, e cedeu outra posição a Denny Hamlin. Duas voltas depois foi a vez de Kyle Larson relegar Busch para o 4º lugar.

Keselowski alargou a liderança sobre Hamlin para dois segundos mas a bandeira amarela surgiu ao fim de 15 voltas. Kyle Larson passou sobre alguma água na pista que veio das barreiras e quase perdia o controlo do seu Chevrolet. Por motivos de segurança, a pista foi limpa.
Vários carros aproveitaram a oportunidade para parar, embora esta paragem não fosse a que era obrigatória, uma vez que estávamos em bandeira amarela. Keselowski, Hamlin, Kurt Busch, Joey Logano e Chase Elliott ficaram em pista, e os mecânicos de Kevin Harvick estiveram algum tempo a ver o motor do Chevrolet, perdendo tempo e posições.

Recomeço na volta 22. Hamlin fez um mau arranque e bloqueou os carros que estavam atrás. Keselowski ficou facilmente na liderança, com Kyle Busch a subir ao 2º lugar, aproveitando bem os pneus novos.
No final da volta surge um acidente. Tudo começa quando Kurt Busch fica solto na curva 3. Depois, Kyle Larson tenta passar no meio de Hamlin e Elliott. Este último perde alguma velocidade e é tocado por Greg Biffle. Matt Kenseth sentiu que poderia haver um acidente e levantou um pouco o pé, mas foi na altura errada, porque Trevor Bayne vinha logo atrás e não pôde evitar um toque na traseira de Kenseth, que perdeu o controlo e bateu contra o carro de Tony Stewart (#14), que por sua vez vai bater com violência no carro de Kasey Kahne (#5). Kevin Harvick conseguiu fazer um milagre e evitou um embate nos carros de Kenseth e Stewart. Três carros ficaram imediatamente fora de prova, e voltávamos à bandeira amarela.

O recomeço foi dado na volta 32. Keselowski fez um mau arranque e Kyle Busch passou para a liderança. Logo no final dessa volta, vários carros fizeram a paragem obrigatória em bandeira verde. Os líderes entraram na volta seguinte, e quando as paragens foram concluidas, Kyle Busch continuava na liderança, seguido pr Keselowski e Larson.
As coisas para Busch complicaram-se porque foi penalizado por exceder a velocidade limite nas boxes. Keselowski voltava à frente.

Até ao final deste segmento, Larson ganhou terreno a Keselowski e houve nova troca de comandante na volta 43, com Larson a meter-se no interior da curva 3 e a obrigar Keselowski a um erro.

No final do segundo segmento, Larson estava na frente de Keselowski. Dale Earnhardt, Jr. (#88) era agora 3º, Logano em 4º, e seguiram-se Kurt Busch, Trevor Bayne, Carl Edwards, Kevin Harvick, Denny Hamlin, Chase Elliott e Greg Biffle.
No sorteio do número de carros a parar, saiu o número 11, que significava que os 11 primeiros, ou seja, todos os pilotos referidos anteriormente na classificação final do segundo segmento, teriam que fazer uma paragem obrigatória para uma troca de quatro pneus. Isto deixou Jimmie Johnson, que deixou deliberadamente Greg Biffle passá-lo, na liderança, seguido por Kyle Busch. Ambos não pararam.
Nas boxes, Kyle Larson foi o primeiro a sair, seguido por Dale Earnhardt, Jr.

O último segmento teve 13 voltas. No arranque, Kyle Busch teve dificuldades e Larson colocou-se imediatamente por dentro e subiu de 3º para 1º. Por fora, Dale Earnhardt, Jr. veio para o 2º lugar e, na reta oposta, Joey Logano aproveitava a confusão, fez quatro lado a lado e meteu-se por dentro para ascender ao 3º lugar, e acabou por ganhar tanto balanço que passou imediatamente Dale Earnhardt, Jr.

Na volta seguinte, Kyle Busch continuava a perder posições e Denny Hamlin, numa tentativa de recuperar tempo perdido, roçou no muro e perdeu posições.

Larson parecia estar em condições de levar a mala com um milhão de dólares mas Logano vinha com muita velocidade e apanhou o piloto da Chip Ganassi a quatro voltas do fim. Uma volta depois, Logano mete-se no interior da curva 2, fica lado a lado com Larson durante uma volta, este foi demasiado agressivo na curva 2 e roçou o muro, danificando o seu carro. Larson viria a terminar em 16º.

Joey Logano cruzou a linha de meta no 1º lugar e ganhou assim um milhão de dólares, vencendo o All-Star pela primeira vez. Brad Keselowski foi o 2º classificado e Dale Earnhardt, Jr. foi 3º.
Seguiram-se Carl Edwards, em 4º, Kurt Busch em 5º, Chase Elliott em 6, Trevor Bayne em 7º, Greg Biffle em 8º, Denny Hamlin em 9º e Kyle Busch em 10º.

Máquinas e pilotos vão ficar em Charlotte mais uma semana. No próximo domingo realiza-se a corrida mais longa do campeonato, nesta oval, a Coca-Cola 600.

Resultados finais:

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.