MotoGP – Motul TT Assen (Resumo da corrida)

O MotoGP foi até ao clássico circuito de Assen, na Holanda, e pela primeira vez a corrida seria realizada num domingo.

A chuva caiu na qualificação e criou alguns problemas. As Ducati pareciam fortes durante os treinos e continaram bem na qualificação, com Andrea Dovizioso (#4) a assinar a pole position, batendo Valentino Rossi (#46) e Scott Redding (#45), que colocou a Ducati da Pramac na primeira fila. Na segunda fila ficraram Marc Márquez (#93), Cal Crutchlow (#35) e Yonny Hernández (#68).
Jorge Lorenzo (#99) teve uma qualificação particularmente difícil e partiu do 10º lugar, com Andrea Iannone (#29) a começar do último lugar após uma penalização por causa do contacto com Lorenzo na Catalunha.

Para o dia da corrida a pista mantinha-se molhada e os pilotos começaram com pneus de chuva.

No arranque o mais forte foi Redding, que chegou à curva 1 na frente, mas acabou por travar demasiado tarde e caiu para 8º. Rossi passou para a liderança, com Dovizioso em 2º e Aleix Espargaró (#41) a subir temporariamente para o 3º lugar.
Jorge Lorenzo também conseguiu um bom arranque, passando para o 5º lugar mas a partir daqui o espanhol teve uma corrida muito má, perdendo posições atrás de posições.

Yonny Hernández optou por um pneu de chuva traseiro macio e isto deu-lhe uma grande vantagem. O colombiano chegou-se rapidamente à frente e na terceira volta já tinha passado Dovizioso e Rossi para chegar à liderança da corrida com a sua Ducati.

Hernández impunha um ritmo impressionante e deixou Rossi e Dovizioso com algum atraso.
Também a recuperar terreno vinha Danilo Petrucci (#9), outro piloto que se mostra bem na chuva, também ele com um pneu traseiro macio, e chegou-se ao grupo de Rossi e Dovizioso, aparecendo no 4º posto.
Redding tentava recuperar do seu mau arranque e Andrea Iannone, do final do pelotão, já estava no 6º lugar, a tentar pressionar Marc Márquez.

Quando já alguns pensavam em trocar de moto para passar para os “slick”, a chuva regressou com força na volta 9. Logo aí, Dovizioso passou Rossi para o 2º lugar, que acabaria por se tornar no primeiro posto porque Hernández perdeu o controlo e caiu na curva 13. Foi uma queda infeliz do colombiano depois de uma excelente corrida.
Iannone também acabou por cair na curva 2, mas a corrida aquecia na frente. Petrucci atacava Rossi e colocava o seu compatriota no 3º posto. Segundos depois, na volta 15, deixava para trás Dovizioso. Petrucci tinha aqui uma grande oportunidade para conquistar a sua primeira vitória no MotoGP.

Já com Scott Redding a tentar intrometer-se entre Rossi e Dovizioso, a bandeira vermelha foi mostrada. As condições da pista deterioravam-se rapidamente.

Depois de alguns minutos de espera, a corrida teve um segundo arranque, com 12 voltas, com as posições a serem decididas com a classificação da volta 14. Com isto era Dovizioso na frente de Petrucci e Rossi na primeira linha, Redding, Márquez e Daniel Pedrosa (#26) na segunda linha.

No recomeço da corrida foi Márquez a fazer um bom arranque mas ao chegar à curva 1 foi largo e caiu para 3º.
Dovizioso estava na frente de Rossi, que tinha passado Petrucci no arranque, mas na curva 12 o italiano meteu-se no interior e recuperou o comando da corrida.
Logo na primeira volta, Pedrosa e Cal Crutchlow acabaram por sofrer quedas e ficaram fora de prova.

Na volta seguinte, a 11 do final, Petrucci ficou parado com um problema técnico na sua moto e Dovizioso sofreu uma queda, terminando com as suas hipóteses de vitória, mas a 10 voltas do fim e de forma totalmente inesperada, Valentino Rossi sofre uma queda na curva 12. Mais uma reviravolta nesta corrida e foram possíveis 25 pontos atirados pela janela.

Do nada, Marc Márquez aparecia na liderança mas era agora seguido por… Jack Miller (#43), que tinha arrancado no novo recomeço no 8º lugar. O jovem australiano atacou bastante Márquez e não demorou a passar o espanhol na última chicane, a nove voltas do fim. Conseguiria Miller uma vitória bombástica?

Até ao fim, Miller afastou-se de Márquez e Pol Espargaró (#44) tentava defender o 3º lugar de Scott Redding. O britânico chegou ao pódio a duas voltas do fim.

De forma totalmente inesperada e apesar de ter arrancado do 18º lugar, Jack Miller surpreendeu tudo e todos e conquistou a sua primeira vitória no MotoGP com a Honda da Marc VDS Racing. Foi a primeira vitória de uma equipa privada desde o Grande Prémio de Portugal de 2006, quando Toni Elías venceu com uma Honda da equipa de Fausto Gresini. Uma vitória sensacional para o jovem australiano.

Marc Márquez celebrou o 2º lugar como se de uma vitória se tratasse. Foram 20 pontos muito valiosos para o campeonato.

Scott Redding fechou uma boa corrida no pódio, com Pol Espargaró em 4º, a fazer um bom resultado, Andrea Iannone, apesar da queda ainda voltou à corrida para somar um 5º posto, com Héctor Barberá (#8) em 6º, Eugene Laverty (#50) em 7º, Stefan Bradl (#6) em 8º, Maverick Viñales (#25) em 9º e Jorge Lorenzo a acabar uma corrida abaixo do esperado no 10º lugar.

Em Moto2, Takaaki Nakagami (#30) (Kalex) venceu pela primeira vez, com Miguel Oliveira (#44) (Kalex) a ter uma corrida difícil depois de fazer a melhor qualificação do ano, e a acabar em 15º.
Francesco Bagnaia (#21) (Mahindra) venceu pela primeira vez em Moto3.

A próxima prova será em Sachsenring, na Alemanha.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.