NASCAR Sprint Cup Series – Toyota/Save Mart 350

 

Depois de uma pausa de duas semanas, a Sprint Cup Series voltou e passou por Sonoma, naquele que foi o primeiro de dois circuitos convencionais que estão no calendário este ano, com o outro a ser Watkins Glen.

Vencedor em Sonoma em 2014, Carl Edwards (#19) fez uma bela volta de qualificação e assinou a pole position, tendo ao seu lado um dos especialistas de circuitos convencionais, A. J. Allmendinger (#47), que iria tentar uma vitória que o colocasse dentro da Chase Grid. Martin Truex, Jr. (#78), outro que se dá bem nestas pistas e Kurt Busch (#41) ficaram na segunda linha.

Logo desde o arranque, Carl Edwards tentava resistir à pressão constante de Allmendinger, que queria chegar rapidamente ao comando da corrida. Apesar desta luta, o arranque não causou problemas na pista.
Allmendinger deixou se pressionar Edwards e optou por seguir o seu próprio ritmo, e Kurt Busch passou Truex, Jr. no final da volta 1 de 110 para subir ao 3º lugar.

A bandeira amarela apareceu na volta 7 quando o carro de Clint Bowyer (#15) teve um princípio de incêndio. Desilusão para Bowyer que poderia fazer aqui um bom resultado.
Poucos pilotos pararam nas boxes e foram aqueles que estavam mais atrasados mas o foco estava em Jimmie Johnson (#48). Depois de uma qualificação abaixo do esperado, Johnson iria recomeçar do 30º lugar com pneus novos.

Recomeço na volta 9 com Allmendinger, que fez um arranque mau, a recuperar muito bem na curva 1 e entrou muito forte na curva 2 por fora, conseguindo uma brilhante ultrapassagem a Edwards para chegar à liderança.
Kyle Busch (#18) fez um bom recomeço e passou de 5º para 3º.

Edwards inicialmente tentava manter o contacto com Allmendinger mas o ritmo do piloto da JTG Daugherty Racing era demasiado forte para o Toyota nesta fase da corrida e Edwards optou apenas por seguir num ritmo ligeiramente inferior, sem tentar um esboço de uma ultrapassagem.

A estratégia de pneus de Jimmie Johnson deu resultado e o seis vezes campeão chegou rapidamente ao 15º lugar.

As paragens começaram na volta 22 com Kurt Busch, Kyle Busch e Denny Hamlin a pararem.

Os três primeiros, Allmendinger, Edwards e Truex, Jr. ficaram mais algum tempo em pista e pararam no final da volta 25. A paragem de Edwards foi muito boa e conseguiu sair nas boxes na frente de Allmendinger.
Kevin Harvick (#4) e Paul Menard (#27) ficaram mais tempo em pista, com Menard a parar na volta 30 e Harvick a parar na volta 31, ambos a tentarem fazer apenas duas paragens na corrida. No início da volta 32 a situação de corrida voltava ao normal, com Edwards na frente de Allmendinger com uma vantagem de um segundo.

Allmendinger não conseguia acompanhar o ritmo forte de Edwards e ficou com Truex, Jr. a pressioná-lo, sendo passado na volta 37.

Já com a segunda ronda de paragens em andamento, com Kyle Busch e Denny Hamlin a fazerem paragens, a bandeira amarela apareceu por detritos na volta 46.
Nas boxes, Carl Edwards saiu na frente de A. J. Allmendinger, mas em 7º e 8º, respetivamente. Seis pilotos já tinham feito as paragens e no recomeço a ordem era: Kyle Busch, Denny Hamlin, Kyle Larson (#42), Greg Biffle (#16), Matt Kenseth (#20) e Ryan Blaney (#21).

Recomeço na volta 49 com Hamlin a intensificar a pressão a Kyle Busch, pressão essa que deu frutos ao ser incrivelmente agressivo no limitador interior na curva 7a, passando para a frente.
O próximo foi Kyle Larson, que foi também muito agressivo e passou por Busch na zona da meta para chegar ao 2º lugar.

Hamlin estabeleceu o controlo da corrida com facilidade a partir daqui. Larson tentava seguir no seu ritmo mas não conseguia sacudir Kyle Busch. Edwards já vinha no 4º lugar e Allmendinger era 5º.

Jimmie Johnson fez uma paragem a 45 voltas do fim, no limite da janela de combustível. A partir daqui Johnson ganhou algum tempo aos seus rivais com pneus novos, conseguindo entrar no Top 10.

As paragens de forma geral começaram a 42 voltas do fim. Na volta seguinte Kyle Busch parou nas boxes. Larson parou a 40 voltas do fim mas deixou o seu carro desligar-se e seria depois penalizado por exceder a velocidade limite nas boxes, que arruinou a sua corrida.
Denny Hamlin parou na volta 71, a 39 do fim, e o tempo que ficou em pista com pneus usados foi suficiente para que Kyle Busch o passasse.
Allmendinger passava por Edwards em pista e ambos pararam na volta 72, não ganhando muito tempo aos líderes. Entretanto, Hamlin devolvia a ultrapassagem a Kyle Busch e regressou à frente da corrida quando as paragens ficaram concluidas.

Depois das paragens, Hamlin voltava a controlar a corrida e ganhava vantagem sobre Kyle Busch, mas em recuperação vinha Martin Truex, Jr., que voltava a parecer mais forte. Truex, Jr. apanhou o campeão em título e deixou-o para trás na volta 78.

A diferença entre Hamlin e Truex, Jr. reduzia-se rapidamente mas ainda surgiu mais uma bandeira amarela a 23 voltas do fim por detritos na pista. Assim, a situação de corrida ficava mais interessante.
Esta bandeira amarela foi perfeita para Tony Stewart (#14), que tinha parado momentos antes da bandeira amarela, colocando quatro pneus e combustível, e iria arrancar na liderança.
Nas boxes, Denny Hamlin saiu na frente de Kyle Busch, que passou Martin Truex, Jr., mas para A. J. Allmendinger a corrida iria ficar arruinada porque um pneu escapou de um dos mecânicos, e Allmendinger foi penalizado.

Recomeço a 20 voltas do fim. Stewart tinha uma oportunidade de ouro para vencer a corrida, logo na sua última aparição em Sonoma, e veio logo para bloquear Hamlin. Truex, Jr. passou por Kyle Busch para o 3º lugar.
Na última curva, ainda a 20 voltas do fim, Truex, Jr. tentou passar Hamlin, que ao mesmo tempo tentava passar Stewart, mas as posições mantinham-se.

Michael McDowell (#95) ficou parado em pista e fez sair a bandeira amarela pela quarta vez.

Stewart estava a sentir a pressão de vencer em Sonoma. Uma vitória aqui poderia ajudá-lo a chegar à Chase, bastando apenas chegar aos 30 primeiros no campeonato em termos pontuais, e isso não é uma tarefa difícil.
No recomeço, a 14 voltas do fim, Stewart voltou a arrancar bem e chegou às curvas 1 e 2 seguro na frente, com Truex, Jr. a passar Hamlin por dentro.
Mais atrás, na curva 7, Dale Earnhardt, Jr. (#88) estragou uma bela corrida depois de ser violentamente tocado por Carl Edwards, que por sua vez se desviava de Joey Logano (#22). Earnhardt, Jr. ficou com um pneu a roçar na carroçaria e caiu para 12º.

A batalha pela vitória estava intensa, com Truex, Jr. a atacar Stewart, com Hamlin colado a Truex, Jr. mas ainda a defender-se de Kyle Busch.
Truex, Jr. atacou na curva 7a por dentro, deu um ligeiro toque em Stewart, Hamlin tentou aproveitar na curva seguinte mas foi obrigado a ir à relva.

Stewart, Truex, Jr. e Hamlin ficaram um pouco isolados quando Joey Logano se chegou à traseira de Kyle Busch e fez uma ultrapassagem musculada a nove voltas do fim na curva 2 para passar para o 4º lugar.

Tony Stewart ganhou um segundo aos seus rivais quando Hamlin atacou Truex, Jr. por dentro na curva 7a, e dando um toque na saída dessa curva, passando para o 2º lugar, mas com quase dois segundos de atraso para Stewart, que queria ver os seus adversários a perderem tempo em lutas individuais.
Hamlin ainda foi à relva na saída da curva 10 mas Truex, Jr. não foi capaz de tentar um ataque.

Agora era um autêntico contrarrelógio para Stewart, que lutava contra as voltas que ainda faltavam, e para Hamlin, o seu mais direto perseguidor, que estava a ficar sem voltas e sem tempo para atacar a vitória. Com apenas cinco voltas para o final a diferença era de nove décimas de segundo. Truex, Jr. era atacado por Logano e perdia o contacto com os líderes no 3º posto.

A duas voltas do fim, Stewart derrapa demasiado na curva 7a mas conseguiu controlar o carro a tempo de se manter na liderança. A pressão era muita para “Smoke” chegar à vitória.

Denny Hamlin arriscou tudo na última volta, travou muito tarde na curva 7a, deu um ligeiro toque a Stewart, tirando-o literalmente da frente e com este a lutar com o carro Hamlin foi para a liderança.
Stewart não desistiu e manteve-se próximo até à última curva e não teria contemplações. Hamlin travou demasiado tarde para a última curva, bloqueou rodas e deixou espaço no interior. Stewart colocou-se por dentro e respondeu da mesma moeda, atirando com Hamlin contra o muro. Ambos estragaram os carros mas já não havia problema, porque a meta era logo ali.

Depois de um final fantástico, Tony Stewart, na última temporada na NASCAR, na última corrida em Sonoma, e depois de uma temporada em que esteve algumas corridas de fora por lesão, acaba por arrancar uma grande vitória com uma estratégia inteligente e tornou-se no 11º vencedor diferente em 16 corridas nesta temporada. Stewart ainda não está na Chase Grid porque ainda não está nos 30 primeiros do campeonato mas é apenas uma questão de tempo até lá chegar, porque está a apenas nove pontos do 30º classificado. Poucos apostavam numa vitória de Stewart este ano, mas esta era uma das melhores hipóteses de Stewart vencer no seu último ano na Cup Series.
Stewart quebrou uma longa série de corridas sem vencer no campeonato, com a sua vitória a ser na primeira corrida de Dover, em 2013 e esta foi também a sua terceira vitória em Sonoma, a oitava em circuitos convencionais.

Denny Hamlin fez uma grande corrida em Sonoma e também merecia a vitória, mas mostrou-se satisfeito com o 2º lugar e foi muito desportivista no final da corrida em relação aos toques com Stewart. As corridas são mesmo assim, e não se pode dizer que os toques fossem ilegais.

Joey Logano ainda foi a tempo de, na última volta, chegar ao 3º lugar, com Carl Edwards a fazer um bom final de corrida, terminando em 4º e Martin Truex, Jr. a acabar em 5º.
Kevin Harvick foi 6º, Kyle Busch não fez melhor do que 7º, Ryan Newman (#31) foi 8º, Kasey Kahne (#5) foi 9º e Kurt Busch fechou os 10 primeiros.

Outros resultados: Dale Earnhardt, Jr., com danos no seu carro, foi 11º, na frente de Kyle Larson, infeliz com a sua penalização por excesso de velocidade nas boxes.
Jimmie Johnson não foi mais além do 13º posto, com A. J. Allmendinger a recuperar do final do pelotão para chegar em 14º, mas o seu resultado poderia ter sido outro.
Brad Keselowski (#2) foi 15º, Matt Kenseth foi 20º, ambos a terem um dia difícil.
Chase Elliott (#24) estreou-se em Sonoma na Sprint Cup e acabou em 21º, à frente de outro estreante na Cup em Sonoma, Ryan Blaney, que foi 23º, ambos a aprenderem muito nas pistas convencionais.

Na próxima semana o campeonato regressa a Daytona, para a corrida do verão de 400 milhas.

 

 
Resultados: http://www.jayski.com/stats/2016/pdfs/16son2016results.pdf

 

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.