Verizon IndyCar Series – Honda Indy Toronto

 

A IndyCar fez a única corrida fora dos EUA, no Exhibition Place em Toronto, no Canadá, num circuito ligeiramente modificado.

Scott Dixon (#9) fez a pole position pela primeira vez esta temporada, com Hélio Castroneves (#3) ao seu lado. Na segunda linha ficaram Simon Pagenaud (#22) e Will Power (#12).

Dixon fez um bom arranque e protegeu bem a trajetória interior para liderar na primeira volta.
Logo no final da primeira volta, Charlie Kimball (#83) toca em Graham Rahal (#15), fez um pião e leva um toque de Ryan Hunter-Reay (#28), provocando a primeira bandeira amarela. Rahal foi quem perdeu mais nesta situação porque, apesar de não ter ficado imobilizado, furou um pneu.

Recomeço na volta 5 com Dixon a tentar fugir imediatamente de Castroneves, com o brasileiro a ter a pressão de Pagenaud.

Juan Pablo Montoya (#2) estava em luta com Josef Newgarden (#21) na reta oposta e o piloto da Penske deu um toque no carro de Newgarden que danificou o flanco da asa traseira, deixando um detrito em pista. Esta situação originou uma bandeira amarela. Newgarden foi obrigado a passar nas boxes.

Novo recomeço na volta 9 e continuava a ser Dixon a controlar a corrida.

Dixon forçava o andamento mas não conseguia descolar muito de Castroneves, que mantinha um andamento semelhante. Pagenaud perdeu o contacto com os líderes e já estava a mais de cinco segundos.

As paragens começaram na volta 17 com Tony Kanaan (#10) a ser o primeiro a entrar. À medida que se aproximava da sua primeira paragem nas boxes, Dixon fez uma série de voltas rápidas e alargou a diferença para mais de dois segundos sobre Castroneves.

Na volta 26 Scott Dixon teve a sua vida mais facilitada quando Hélio Castroneves furou o pneu dianteiro esquerdo. Castroneves voltou às boxes em ritmo muito lento e regressou apenas no 13º lugar, e com muito para recuperar.
Dixon tinha uma vantagem superior a cinco segundos quando fez a sua paragem no final da volta 27, passando para os pneus duros. Pagenaud parou na volta seguinte e regressou no 2º lugar. Quatro voltas depois, no final desta ronda de paragens, Dixon voltava a assumir a liderança, com Pagenaud a sete segundos, Power em 3º e Sébastien Bourdais (#11) em 4º. Castroneves conseguiu minimizar bastante as perdas e rodava no 6º lugar, atrás de Montoya.

A terceira situação de bandeiras amarelas ocorreu na volta 45 por detritos na curva 3 e por causa de alguma degradação do piso nas curvas 1 e 5.
Poucos pilotos optaram por parar, entre eles o herói local, James Hinchcliffe (#5) e Tony Kanaan. Os líderes ficaram mais algum tempo em pista, fiéis à sua estratégia.

Bandeira verde na volta 51 e, com a segunda de paragens já ao virar da esquina, Dixon tinha que dar tudo por tudo para se distanciar de Pagenaud. Dixon não estava muito satisfeito por ter que abdicar da sua liderança confortável com a bandeira amarela.

A batalha pelo 4º lugar aquecia e Montoya levou a melhor sobre Bourdais por fora na curva 3 na volta 57. No final dessa volta, Castroneves fez a sua segunda paragem nas boxes.

Josef Newgarden tinha recuperado até ao 11º lugar mas a sua corrida terminou de forma abrupta, com uma ida contra a barreira de pneus na curva 5 na volta 59. Bandeira amarela.

Alguns pilotos ainda tiveram sorte e entraram nas boxes ainda em tempo útil antes de sair a bandeira amarela. Will Power foi um exemplo disso mesmo, fazendo a sua última paragem na melhor altura possível. Isto pagaria muitos dividendos.
Dixon, Pagenaud e Montoya foram um pouco surpreendidos com a temporização da bandeira amarela e já tiveram que efetuar as paragens numa altura em que estavam imediatamente atrás do Pace Car. Isto custou-lhes muitas posições, com Dixon em 13º, Pagenaud em 14º e Montoya em 16º, e para eles a corrida estava estragada.
Os pilotos que já tinham efetuado paragens antes do acidente de Newgarden passaram para os primeiros lugares mas Tony Kanaan, que era o líder, tinha parado muito antes e teria que fazer mais uma paragem. Will Power era o 2º classificado e teria tudo a ganhar se não cometesse erros. Hinchcliffe subia ao 3º lugar e Takuma Sato (#14) era 4º.

Recomeço na volta 64 e Kanaan, com pouco combustível no tanque, atacou com tudo para ganhar a maior vantagem possível antes da sua paragem. Nas voltas seguintes, Kanaan alargou a diferença para cinco segundos.

Hinchcliffe sofria pressão de Castroneves, que tinha passado Sato, e foi passado na volta 76 para o 3º lugar.
No final dessa volta, Kanaan teve que parar para colocar apenas combustível e voltou à pista no 4º lugar, atrás de Hinchcliffe. Power era o novo líder da corrida com uma vantagem de quase 10 segundos para Castroneves. Hinchcliffe estava a perder bastante para Castroneves, estando já a cinco segundos do brasileiro, apesar de manter os seus rivais controlados na sua traseira.

Na volta 82, Jack Hawksworth cometeu um erro ao defender-se de Simon Pagenaud na luta pelo 9º lugar e bateu na barreira de pneus na curva 5. Juan Pablo Montoya tentou passar entre Ryan Hunter-Reay e Charlie Kimball nas curvas 3 e 4, chegando mesmo a dar um toque, não conseguiu passar nem um, nem outro, foi para o exterior da pista e ficou sem espaço de manobra quando já tinha o carro imobilizado de Hawksworth, batendo também na barreira. A bandeira amarela voltou a ser mostrada.

Esperava-se que a bandeira amarela durasse até ao final mas o trabalho dos comissários foi rápido na remoção dos dois carros e a última volta foi feita em bandeira verde.

No recomeço, Power conseguiu surpreender Castroneves e não permitiu qualquer tentativa de ataque do brasileiro. E até ao fim nada mudou na corrida.

Will Power confirmou o seu excelente momento de forma e venceu pela terceira vez esta temporada. Nas últimas quatro corridas, Power asisnou três vitórias e está agora a colocar pressão sobre o líder do campeonato, Simon Pagenaud, com liderança do francês a ser reduzida para 47 pontos quando faltam ainda cinco corridas até ao final.

Hélio Castroneves recuperou muito bem do furo para terminar num valioso 2º lugar, continuando na luta pelo campeonato, com o herói local James Hinchcliffe a poupar muito bem combustível no seu último turno para terminar no 3º lugar.

Tony Kanaan fez o seu “splash and dash” e chegou o 4º lugar, o que acaba por ser um bom resultado tendo em conta que partiu de 12º, com Takuma Sato, também ele a aproveitar uma boa estratégia para vir de 20º para 5º.

Mikhail Aleshin (#7) andou sempre entre os primeiros e acabou em 6º, na frente de Sébastien Bourdais, com Scott Dixon ainda a ganhar posições nas últimas voltas, acabando por não ir além do 8º lugar, na frente de Simon Pagenaud que, tal como Dixon, foram prejudicados com a penúltima bandeira amarela, e Marco Andretti (#27) fechou o Top 10.

A próxima prova será no circuito clássico de Mid-Ohio.

Resultados finais: http://www.imscdn.com/indycar_media/documents/2016-07-17/Honda%20Indy%20Toronto%20Box%20Score.pdf

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.