Verizon IndyCar Series – The Honda Indy 200 at Mid-Ohio (Resumo da prova)

A IndyCar passou por um circuito clássico dos Estados Unidos da América, o circuito de Mid-Ohio.

Simon Pagenaud (#22) fez pela sexta vez a pole position. O francês partia da melhor posição para tentar voltar a alargar a sua liderança no campeonato. Will Power (#12) tentava uma vez mais a vitória para se aproximar de Pagenaud na luta pelo campeonato e partiu do 2º lugar, com Josef Newgarden (#21) em 3º, a realizar novamente uma boa qualificação, com Ryan Hunter-Reay (#28) na 4ª posição e como melhor dos motores Honda.
Com más qualificações ficaram os dois pilotos de Chip Ganassi. Scott Dixon (#9) não foi além do 11º lugar quando teve andamento nos treinos livres para atacar a pole, e Tony Kanaan (#10) em 14º.

Na partida, Pagenaud surpreendeu Power, que quase era passado por Newgarden e Hunter-Reay. O australiano conseguiu travar tarde para a curva 4 e manteve-se em 2º.

Inicialmente, Pagenaud e Power partiram juntos, separados por um segundo e distanciaram-se rapidamene de Newgarden, que estava debaixo de muita pressão de Hunter-Reay. Pagenaud acabou por descolar e alargou a liderança para três segundos.

Scott Dixon estava com dificuldades e rodava em 11º, atrás de Tony Kanaan, quando parou na volta 13, tentando uma estratégia diferente.
Hélio Castroneves (#3) parou uma volta depois e voltou à pista na frente de Dixon, mas duas voltas depois o campeão em título apanhou o brasileiro. A caminho da curva 2, Castroneves inicialmente foi para o interior da pista mas acabou por dar espaço para que Dixon se colocasse lado a lado por dentro, mas por alguma razão Castroneves virou para a direita na zona de travagem e foi contra Dixon, que nada pôde fazer para evitar o toque, que lhe partiu a suspensão dianteira esquerda. Para Dixon era o fim da corrida e as suas hipóteses de revalidar o título estão em farrapos. Era a primeira bandeira amarela da corrida.

Metade do pelotão parou nas boxes e Pagenaud voltou à pista na frente de Power, Newgarden e Hunter-Reay. Pagenaud regressou em 12º

Muitos pilotos ficaram em pista e Juan Pablo Montoya (#2) era o novo líder, seguido por Marco Andretti (#27), Max Chilton (#8), Mikhail Aleshin (#7) e Hélio Castroneves, que era 5º e ainda tinha alguns danos aerodinâmicos em resultado do toque com Dixon.

Recomeço na volta 20 e Andretti pressionou imediatamente Montoya, mas não conseguiu passar pelo colombiano.
A tarde de Castroneves não estava a correr muito bem, e quando tentou passar Chilton na curva 2, travou demasiado tarde e os danos aerodinâmicos não o ajudaram a manter-se na pista. A sua incursão na relva fê-lo cair para 20º.
Mais atrás, Josef Newgarden tinha passado Will Power no recomeço mas ficou com danos na asa traseira e perdeu uma volta a fazer a troca, comprometendo a sua corrida.

A missão de Montoya, juntamente com os pilotos que não tinham parado, era simples: tentar construir a maior vantagem possível para fazer a primeira paragem nas boxes e sair em boa posição. O piloto da Penske parou na volta 27, juntamente com Andretti que vinha perto dele, e ambos não conseguiram ficar numa posição ideal, regressando em 17º e 18º, respetivamente.

Mikhail Aleshin era o novo líder da corrida e tinha seis segundos de vantagem para Carlos Muñoz (#26) em 2º. O russo viu em Josef Newgarden uma distração desnecessária nos seus retrovisores e deixou-o desdobrar-se para regressar à volta do líder.

A partir da volta 37 vários pilotos do grupo que não tinha parado nas boxes começaram a fazer as paragens. Aleshin ficou muito tempo em pista e parou na volta 40, passando logo para os pneus duros, e regressou em boa posição, em 6º, Muñoz também tinha parado nessa volta, regressando em 9º, atrás de Montoya, e o líder voltava a ser Simon Pagenaud, com quatro segundos de vantagem sobre Will Power, com Hunter-Reay em 3º e Tony Kanaan em 4º.

Pagenaud decidiu parar no final da volta 42 para igualar a estratégia dos seus adversários, mantendo pneus macios, e regressou em 7º, mas com pneus frios foi batido na curva 2 com alguma agressividade por Carlos Moñoz.
Hunter-Reay e Kanaan pararam na volta 45, regressando em 9º e 12º, respetivamente, e Power, que era o líder, entrou nas boxes na volta 45, regressando com pneus duros e no 2º lugar, aproveitando a enorme perda de tempo do francês atrás de Muñoz, que só foi finalmente destronado na volta 45.
Com todos estes acontecimentos, a estratégia de Aleshin estava certa e o russo voltava à liderança da corrida e tinha condições para a vencer. Aleshin tinha uma vantagem de nove segundos sobre Power, em 2º, que era fortemente pressionado por Pagenaud. Muñoz ainda se tentou manter com o duo da Penske mas acabou por perder o contacto.

Na volta 61, Jack Hawksworth (#41) bateu forte na barreira na travagem para a curva 1 e provocou uma bandeira amarela. Nesta altura dava para todos os pilotos pararem nas boxes e chegarem até ao fim.
Todos pararam nas boxes mas para Aleshin tudo iria correr mal. Aleshin teve ordem para sair das boxes quando Josef Newgarden estava a entrar para a sua caixa e houve um contacto. Um dos mecânicos de Juan Pablo Montoya ainda levou um toque que, felizmente, não causou lesões. Aleshin danificou a sua asa e depois de uma paragem adicional caiu para 18º, curiosamente atrás de Newgarden. Uma possivel vitória foi atirada borda fora.
Power fez uma boa paragem e saiu na frente do pelotão, seguido por Pagenaud, Muñoz e Kimball. Conor Daly (#18) tinha parado algum tempo antes de sair a bandeira amarela e ficou na frente da corrida, mas era certo que teria que parar perto do fim da corrida.

A corrida recomeçou na volta 66. Pagenaud tentou passar imediatamente por Power na curva 4 mas o australiano defendeu-se bem, praticamente a tocar rodas com o francês. Pagenaud não desistiu, foi para dentro na curva 11, ficou por fora a meio do carrossel mas fez a tesoura a meio das curvas 12 e 13 quando Power abriu demasiado a trajetória, ainda levou um toque e chegou ao 2º lugar de forma sensacional.
Ainda no recomeço, Kimball travou demasiado tarde na travagem para a curva 4 quando tentava passar Muñoz e foi para a relva, caindo para 12º.

Conor Daly alargava a diferença para Pagenaud para seis segundos e poderia aspirar a um bom resultado se não cometesse erros. Entretanto, Pagenaud ganhava três segundos de vantagem sobre Power.

Daly parou na volta 84, a apenas seis do final, tendo uma vantagem de quase nove segundos. A paragem foi muito rápida porque o combustível necessário era pouco e Daly regressou à pista em 8º. Isto deixou a porta aberta para Pagenaud chegar à vitória, sobretudo porque a sua vantagem de quatro segundos para Power parecia segura.

Até ao final, a quatro voltas do fim ainda houve um toque que envolveu Takuma Sato (#14) e Sébastien Bourdais (#11) na curva 4 quando lutavam pelo 4º lugar. Bourdais travou tarde demais e embateu na traseira de Sato, com ambos a irem para a gravilha. A direção de corrida não fez sair a bandeira amarela. Sato caiu para 9º, Bourdais abandonou ali.

Foi uma batalha interessante com Will Power mas a manobra fantástica na volta 66 no carrossel permitiu a Simon Pagenaud regressar às vitórias. O francês conquistou uma vitória muito importante na luta pelo campeonato, que parece ser a dois com Power.

O australiano terminou em 2º e tem ainda 58 pontos de atraso para Pagenaud, mas neste momento parece ser o único capaz de destronar o francês.
Carlos Muñoz fez uma grande corrida e recuperou de 15º para fechar em 3º.

O vencedor em Mid-Ohio no ano passado, Graham Rahal (#15), terminou em 4º, James Hinchcliffe (#5) foi 5º, Conor Daly ainda foi a tempo de terminar em 6º, naquele que foi um grande resultado, seguiram-se Spencer Pigot (#20), a fazer o melhor resultado da carreira, Charlie Kimball recuperou da sua ida para fora da pista no recomeço e terminou em 8º, Takuma Sato não foi além de um infeliz 9º lugar depois de estar em 4º e Josef Newgarden ainda recuperou para o 10º lugar.

Dia menos bom para Juan Pablo Montoya, que continua em crise de resultados, terminando apenas em 11º, Tony Kanaan, que ainda tem hipóteses de lutar pelo campeonato, não foi além do 12º lugar, Hélio Castroneves teve um péssimo dia e perdeu pontos importantes para o campeonato com o 15º lugar e Scott Dixon ficou classificado em 22º.

Faltam quatro corridas para o final do campeonato e a próxima será na tri-oval de Pocono.

Resultados da prova, aqui.

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.