MotoGP – NeroGiardini Motorrad Grand Prix von Österreich (Resumo da prova)

As férias de Verão terminaram e os pilotos e equipas da caravana do MotoGP regressaram ao trabalho no Red Bull Ring, na Áustria, marcando o regresso do Grande Prémio da Áustria de motociclismo ao fim de 19 anos.

Andrea Iannone (#29) fez uma última volta excecional e colocou a sua Ducati oficial na pole position, batendo Valentino Rossi (#46) que estava esfomeado por uma vitória, e Andrea Dovizioso (#4) ficou com o terceiro melhor tempo.
Jorge Lorenzo (#99), que teve péssimas prestações nos últimos tempos, apareceu em 4º, com Marc Márquez (#93), o líder do campeonato, em 5º, ele que sofreu uma queda nos treinos que deixou o seu ombro magoado, e Maverick Viñales (#25) fechou a segunda linha.

No arranque, Iannone partiu bem e Dovizioso passou Rossi para ascender ao 2º lugar. Na curva 1, Márquez passou Rossi mas saiu largo e perdeu a posição para o italiano e para Lorenzo, que também foi forçado a sair da pista.
Rossi manteve as Ducati na sua mira e passou Dovizioso na curva Rauch ainda na primeira volta, e na saída da última curva atacou Iannone, saiu melhor e passou para a frente, enquanto que Lorenzo passou Dovizioso na reta da meta.
Iannone respondeu a Rossi e a caminho da curva 3 conseguiu travar mais tarde para passar de novo para a frente. Dovizioso atacou Lorenzo por dentro e não só passou o espanhol como ainda conseguiu passar o italiano de uma assentada, mas alargou bastante a trajetória e Lorenzo foi quem levou a melhor de uma vez por todas, fazendo a tesoura a ambos os pilotos para subir ao 2º posto.

Rossi voltava ao ataque e passou Dovizioso na reta da meta no início da terceira volta, mas “Dovi” tinha uma Ducati muito forte em reta e devolveu a ultrapassagem a caminho da curva 3. Aí, Dovizioso falhou o seu ponto de travagem e foi largo. Rossi passou-o mas mais uma vez foi passado na reta pelo italiano.
Márquez passou Rossi por breves instantes mas o “Doutor” voltou a atacar, deixou Márquez para trás e conseguiu manter-se com Dovizioso até à curva 3, tentando de novo passar o seu compatriota. Rossi falhou o ponto de travagem e caiu para 5º. Na mesma altura, Lorenzo colocou-se no interior de Iannone para recuperar a liderança, mas a sua saída da curva 3 não foi eficaz e Iannone tinha mais potência na sua Ducati para recuperar imediatamente a posição.

Na volta 6, Márquez alargou a entrada na curva 3 e foi passado por Rossi, e Dovizioso colocou a sua Ducati no interior da curva 4 e passou por Lorenzo. Agora era a formação oficial da Ducati no primeiro e segundo lugares.

Um grupo de seis pilotos destacou-se na frente nesta fase, com Iannone, Dovizioso, Lorenzo, Rossi, Márquez e Viñales. Todos eles ganharam uma enorme vantagem face à concorrência.

Entretanto, Iannone era pressionado por Dovizioso e este colocou-se no interior da penúltima curva na volta 9 para ascender à liderança da corrida.

Márquez e Viñales perdiam o contacto e as duas Ducati aumentaram o ritmo de tal forma que as Yamaha não foram capazes de seguir.
Com um pneu dianteiro macio e o traseiro médio, Iannone tinha mais aderência que Dovizioso, com um dianteiro médio e um traseiro duro. Com a questão da durabilidade dos pneus em cima da mesa, Iannone optou por recuperar a liderança assim que possível e estabelecer um ritmo mais confortável para os seus pneus, e foi isso que aconteceu a oito voltas do fim, quando passou Dovizioso na penúiltima curva do circuito para recuperar a liderança.

Até ao final da corrida Dovizioso pressionou Iannone, mas não havia espaço de manobra para tentar uma ultrapassagem.

Andrea Iannone conseguiu finalmente a sua primeira vitória na classe de MotoGP. O italiano estava nas nuvens com este sucesso, que deu à Ducati a primeira vitória no MotoGP desde o Grande Prémio da Austrália de 2010, na altura com o atual piloto de testes da equipa, Casey Stoner, a levar os louros.

Andrea Dovizioso terminou em 2º para dar à marca italiana uma dobradinha.

Jorge Lorenzo ficou aliviado por finalmente conseguiu um pódio, no 3º posto, Valentino Rossi foi 4º e Marc Márquez limitou as perdas e ficou no 5º lugar depois de uma corrida difícil.

Maverick Viñales foi 6º, Dani Pedrosa (#26) foi apenas 7º, Scott Redding (#45) foi 8º, Bradley Smith (#38) foi 9º e Pol Espargaró (#44) fechou os 10 primeiros.

Johann Zarco (#5) (Kalex) venceu na classe de Moto2, numa corrida em que Miguel Oliveira (#44) (Kalex) terminou em 14º.
Em Moto3 o vencedor do dia foi Joan Mir (#36) (KTM), a vencer na classe pela primeira vez.

A próxima prova será o Grande Prémio da República Checa em Brno.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.