NASCAR Sprint Cup Series – Pure Michigan 400

A fase regular está a chegar ao fim e a pressão está cada vez maior para os pilotos que querem entrar na Chase for the Sprint Cup. Este domingo a NASCAR foi até à oval rápida do Michigan.

Para esta corrida voltou a ser usado o pacote aerodinâmico que foi testado nesta pista em junho e na oval do Kentucky em julho, e que visa reduzir ainda mais a carga aerodinâmica.

Joey Logano (#22) conseguiu a pole position e tinha ao seu lado Jimmie Johnson (#48). Denny Hamlin (#11) e Kevin Harvick (#4) ficaram na segunda linha, Chase Elliott (#24) e Alex Bowman (#88) ficaram na terceira. Foi uma grande qualificação para Alex Bowman, que substituiu Dale Earnhardt, Jr., que fica de fora mais duas semanas. De facto, a Hendrick Motorsports regressou aos bons resultados em qualificação.
Com más qualificações ficaram Matt Kenseth (#20), em 13º, Martin Truex, Jr. (#78) em 14º, Kyle Busch (#18) em 16º, Brad Keselowski (#2) em 18º e Kurt Busch (#41) em 19º.

A bandeira verde foi agitada e Joey Logano, por fora, segurou a liderança na frente de Jimmie Johnson. Kevin Harvick fez um bom arranque e passou Johnson nas curvas 1 e 2 na segunda volta.

Logano controlou a corrida nas primeiras voltas mas tinha a companhia de Harvick, que até parecia não ter muita pressa em chegar à liderança. A diferença andava à volta de um segundo.

A bandeira amarela de competição chegou na volta 20. Todos entraram nas boxes e o primeiro a sair foi Logano, seguido por Harvick, Johnson e Hamlin. A maior parte dos pilotos trocaram apenas os pneus do lado direito.

Recomeço na volta 26. Logano foi pressionado por Harvick, que fez “side draft” e o piloto da Stewart-Haas assumiu a liderança.
Kyle Busch estava a tentar entrar nos 10 primeiros mas acabou por fazer um pião na saída da curva 4. Felizmente não danificou o carro na relva, mas ficou com os pneus do lado direito furados e teve que fazer uma volta em ritmo lento, caindo para o 39º lugar.

Novo recomeço na volta 30. Harvick foi muito forte por fora e segurou a liderança, e Denny Hamlin também atacou por fora e passou para 2º. Johnson atacou Logano, mas Martin Truex, Jr. intrometeu-se nesta luta e chegou ao 3º lugar na volta 31. Uma boa recuperação de Truex, Jr. depois de começar a corrida em 14º.

Alex Bowman estava a fazer uma corrida bastante boa, chegando a rodar em 4º a certa altura, mas o seu motor teve problemas pouco depois do recomeço da corrida e o piloto da Hendrick Motorsports caiu para fora dos 30 primeiros.

Na frente, Harvick distanciava-se dos rivais e Hamlin era atacado e ultrapassado por Truex, Jr., que subiu ao 2º lugar. Na volta 53, Johnson passou de novo para o 3º lugar, começando a ganhar ritmo com o desgaste dos pneus.
Truex, Jr. continuou a sua cavalgada impressionante e reduziu depressa a diferença para Harvick. Na volta 54, o piloto da Furniture Row Racing apanhou Harvick desprevenido à entrada da curva 1 e passou-o por dentro. Tinhamos um novo comandante da corrida.
Harvick pareceu perder alguma compostura e consistência, o tráfego não o ajudou e Johnson não levou muito tempo para chegar ao 2º lugar, e este aproximava-se depressa de Truex, Jr.

Ryan Blaney (#21), que estava dentro dos 10 primeiros e precisava de um bom resultado para manter vivas as suas esperanças de entrar na Chase por pontos, foi o primeiro a parar na volta 62, e aos poucos o resto do pelotão entrou nas boxes.
Martin Truex, Jr. parou na volta 65, juntamente com Jimmie Johnson, mas a sua paragem foi um desastre porque a equipa não conseguiu apertar a roda traseira esquerda, fazendo com que Truex, Jr. perdesse mais de cinco segundos nas boxes. Esta paragem deixou-o no 8º lugar.
Harvick parou na volta 67 e regressou à pista no 2º lugar, atrás de Jimmie Johnson, que passou a ser o novo líder da corrida. Chase Elliott (#24) subiu ao 3º lugar.

Chase Elliott estava a ter um bom dia e fez uma bela ultrapassagem a Kevin Harvick à entrada da curva 3, aproveitando o carro atrasado de Regan Smith (#7). Elliott era 2º e estava com dois segundos de atraso para Johnson.
Kyle Larson (#42), que tinha arrancado do 12º lugar, estava a subir na classificação com muita paciência. Larson estava à entrada desta corrida com um atraso de 39 pontos para o 16º classificado no campeonato e estava pressionado para ter um bom resultado nesta corrida. Larson era 4º nesta fase da corrida e estava a rodar depressa.

Elliott aproximou-se de Johnson e reduziu a liderança para menos de um segundo. Ambos estavam numa classe à parte, ganhando 10 segundos de vantagem a Kyle Larson, que entretanto tinha passado Kevin Harvick para o 3º lugar.

As paragens voltaram a partir da volta 107. Jimmie Johnson entrou na volta 108, mas o mecânico com a mangueira do combustível teve problemas e a paragem custou-lhe 10 segundos.
Elliott parou nas boxes uma volta depois e a equipa fez um bom trabalho para colocar esta jovem promessa da NASCAR na liderança da corrida no final das paragens. Johnson conseguiu sair na frente de Kyle Larson e Kevin Harvick na via das boxes e era o 2º classificado, com um atraso de seis segundos.

Brad Keselowski (#2) estava a fazer turnos longos e tentava chegar ao fim com menos uma paragem nas boxes. Keselowski parou na volta 117. Até aqui, a estratégia estava a resultar.

Larson começou a apertar com Johnson e passou para o 2º lugar, na volta 119, e foi nessa volta que apareceu a bandeira amarela, por detritos em pista.
Entre os líderes, apenas Johnson parou porque sentiu um pneu a perder pressão, e ele foi seguido por pilotos que estavam fora dos 10 primeiros, como Kenseth. Elliott liderava na frente de Larson, Ryan Blaney (#21) subia ao 3º lugar, Harvick era 4º.

Bandeira verde na volta 126. Elliott tentou segurar Larson, só que este arrancou muito bem e passou imediatamente a ser o novo líder da corrida, com Harvick a passar Blaney no 3º lugar.

Larson decidiu atacar e tentou afastar-se de Elliott. O piloto da Hendrick conseguiu responder e mantinha-se dentro de um segundo de diferença. Larson estava neste momento numa bela posição para chegar à vitória que podia resolver de vez as suas contas na Chase.
Harvick estava no 3º lugar mas não conseguia igualar os tempos por volta dos dois primeiros, Keselowski rodava no 4º lugar.

Mais uma ronda de paragens a partir da volta 153. Larson e Elliott pararam juntos na volta 157 e Elliott bateu Larson na saída das boxes.
Keselowski parou uma volta depois e optou por uma estratégia arriscada de trocar apenas dois pneus, apostando na chegada da chuva que se previa para as últimas voltas, mas que acabou por não chegar. No final das paragens, Elliott regressou à liderança. Harvick passou para o 2º lugar, Keselowski era 3º e Larson caiu para 4º, mas o jovem piloto da Chip Ganassi voltou ao ataque.

Apesar de ter dois pneus mais desgastados, Keselowski rodava num ritmo impressionante e livrou-se se Harvick na volta 162. Larson também fez o mesmo, deixando Harvick para trás.
Larson continuou a sua perseguição a Elliott e chegou-se à traseira de Keselowski e passou-o na volta 168. Elliott estava a 2.6 segundos de distância. Mais atrás, Jimmie Johnson, que tinha recomeçado a corrida no 10º lugar na volta 126 já estava no 5º posto.

A diferença estava a reduzir-se entre os dois primeiros para 1.7 segundos mas depois disparou para 2.6 quando Larson foi à parte suja da pista nas curvas 1 e 2 ao efetuar uma dobragem a carros mais lentos. Isto não o desmotivou e ele voltou a reduzir a diferença, mas parecia que apenas uma bandeira amarela o poderia ajudar.

A verdade é que a bandeira amarela apareceu a 15 voltas do fim, quando Michael Annett (#46) rebentou um pneu na reta da meta.
Os três primeiros, Elliott, Larson e Keselowski decidiram não parar nas boxes e a eles juntaram-se Ryan Blaney e Carl Edwards (#19), enquanto que o resto do pelotão parou para dois pneus. Harvick saiu das boxes na frente de Hamlin, Johnson e Matt Kenseth, isto apesar de ter acertado em cheio numa pistola de Joey Logano.

A bandeira verde foi mostrada a nove voltas do fim. Elliott e Larson tiveram dificuldades no arranque mas Larson recompôs-se, não deixou passar Keselowski atrás de si e saltou para a liderança, com Keselowski a passar Elliott para o 2º lugar.
Elliott ficou furioso por ter feito um recomeço pouco eficaz, tal como aconteceu na corrida nesta oval em junho e que lhe custou a vitória. Elliott passou Keselowski a oito voltas do fim mas tinha que recuperar um segundo de diferença. Estaria Elliott a ter a repetição do que lhe aconteceu há dois meses atrás?

Até ao fim, Larson limitou-se a controlar o segundo de vantagem para Elliott.

Na sua quarta temporada na Sprint Cup Series, e depois de várias tentativas falhadas de vitória, Kyle Larson conseguiu finalmente vencer pela primeira vez na sua carreira. Foi uma vitória que já era merecida há muito tempo para o jovem piloto da Chip Ganassi Racing, que é considerado um futuro campeão nesta disciplina.
Larson estava com poucas esperanças de entrar na Chase antes desta corrida, e esta vitória conseguiu resolver de vez esse problema. Larson está qualificado para a Chase for the Sprint Cup.
Esta vitória foi a primeira da Chip Ganassi Racing desde a corrida em Talladega de outubro de 2013 (Jamie McMurray).

Chase Elliott teve a repetição da corrida do Michigan deste ano e não foi além do 2º lugar. A vitória anda perto das suas mãos. Apesar de ainda não estar qualificado para a Chase, Elliott é, neste momento, o melhor classificado do campeonato dentro dos pilotos que não têm vitórias, e tem a sua posição na Chase um pouco mais segura.

Brad Keselowski foi 3º, Ryan Blaney fez um excelente 4º lugar mas está cada vez mais longe da Chase, e só mesmo uma vitória o qualifica. Ainda assim foi uma bela prestação.
Kevin Harvick foi 5º, Jimmie Johnson foi 6º, Carl Edwards foi 7º, Jamie McMurray (#1) somou um importante 8º lugar e ocupa neste momento o último lugar disponível na Chase, Denny Hamlin foi 9º e Joey Logano foi 10º.

Outros resultados: Kurt Busch foi um discreto 12º classificado, Matt Kenseth perdeu posições na fase final e foi 13º, Kasey Kahne (#5) está mais longe da Chase, terminando em 14º, Austin Dillon (#3) poderia ter feito melhor do que o 16º lugar, mas ainda está dentro da Chase pelos pontos.
Ryan Newman (#31) terminou em 17º. Com a vitória de Larson, Newman está neste momento fora da Chase e tem que recuperar 15 pontos para Jamie McMurray.
Kyle Busch perdeu uma volta depois do seu pião e não foi além do 19º lugar, na frente de Martin Truex, Jr., que teve problemas aerodinâmicos e mecânicos no final.
Tony Stewart (#14) andou muito escondido e foi 21º, Trevor Bayne (#6) precisava de um bom resultado para manter as esperanças de entrar na Chase por pontos, mas não foi além do 24º lugar.
Finalmente, Chris Buescher (#34) teve uma corrida azarada, com problemas de motor na segunda volta. Buescher acabou a corrida no 35º lugar e volta a estar pressionado para obter pontos nas próximas corridas. Apesar de ter uma vitória, Buescher só entra na Chase se terminar nos 30 primeiros no campeonato por pontos, e ele é precisamente o 30º classificado, com apenas sete pontos de vantagem para David Ragan (#23).

Situação da Chase for the Sprint Cup

Pilotos dentro da Chase for the Sprint Cup:
1º: Brad Keselowski (#2) – 4 vitórias
2º: Kyle Busch (#18) – 4 vitórias
3º: Kevin Harvick (#4) – 2 vitórias
4º: Carl Edwards (#19) – 2 vitórias
5º: Denny Hamlin (#11) – 2 vitórias
6º: Jimmie Johnson (#48) – 2 vitórias
7º: Matt Kenseth (#20) – 2 vitórias
8º: Kurt Busch (#41) – 1 vitória
9º: Joey Logano (#22) – 1 vitória
10º: Martin Truex, Jr. (#78) – 1 vitória
11º: Kyle Larson (#42) – 1 vitória
12º: Tony Stewart (#14) – 1 vitória
13º: Chris Buescher (#34) – 1 vitória
14º: Chase Elliott (#24) – 628 pontos (27 pontos acima do 17º lugar)
15º: Austin Dillon (#3) – 622 pontos (21 pontos acima do 17º lugar)
16º: Jamie McMurray (#1) – 616 pontos (15 pontos acima do 17º lugar)

Pilotos fora da Chase for the Sprint Cup:

17º: Ryan Newman (#31) – 601 pontos (15 pontos abaixo do 16º lugar)
18º: Kasey Kahne (#5) – 564 pontos (52 pontos abaixo do 16º lugar)
19º: Trevor Bayne (#6) 558 pontos (58 pontos abaixo do 16º lugar)
20º: Ryan Blaney (#21) – 545 pontos (71 pontos abaixo do 16º lugar)

Nota: Tony Stewart tem 420 pontos, 93 pontos de vantagem para o 31º no campeonato.
Chris Buescher tem 334 pontos, 7 pontos de vantagem para o 31º no campeonato.

Resultados finais: http://www.jayski.com/stats/2016/pdfs/24mis2016results.pdf

A próxima corrida será na oval de Darlington, onde teremos mais uma vez um fim de semana com muita tradição, onde se destacam as decorações clássicas nos carros.

 

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.