Verizon IndyCar Series – GoPro Grand Prix of Sonoman (Resumo da prova)

Chegou a hora de conhecermos o novo campeão da IndyCar. A última corrida da temporada disputou-se no circuito permanente de Sonoma Raceway.

Simon Pagenaud (#22) liderava o campeonato à chegada a Sonoma, tendo 43 pontos de vantagem sobre Will Power (#12). Isto significava que Pagenaud precisava de terminar, no mínimo, no 5º lugar para garantir o seu primeiro título na categoria.

O francês começou o fim de semana da melhor maneira e assinou a pole position, que lhe deu mais um ponto no campeonato, passando assim a ter 44 pontos de vantagem, numa corrida que dava pontos a dobrar. Pagenaud tinha ao seu lado na primeira linha Hélio Castroneves (#3), com Juan Pablo Montoya (#2) em 3º e Will Power a não ir além do 4º lugar. As duas primeiras linhas tinham carros da equipa de Roger Penske.

Na partida para a última corrida da temporada, Pagenaud bloqueou rapidamente Castroneves e manteve a liderança. Por fora, Will Power livrou-se de Montoya e subiu ao 3º lugar.
Na curva 7 houve problemas, com Sébastien Bourdais (#11) a tocar em Mikhail Aleshin (#7), forçando-o a fazer um pião. O russo tocou em Tony Kanaan (#10) e este fez um pião e ficou parado em pista alguns segundos. A corrida manteve-se em bandeira verde.

Pagenaud controlou o ritmo de corrida e afastou-se um pouco de Castroneves. A diferença estava em quatro segundos, com Power a sete do líder.

Will Power entrou para as boxes na volta 16, juntamente com Montoya e Graham Rahal (#15), que era 5º, e eles passaram para o composto de pneus mais duro.
Pagenaud parou na volta 16, juntamente com Castroneves, também colocaram pneus duros e enquanto que o francês saiu das boxes e continuou na liderança, Power foi capaz de fazer uma volta de saída brilhante e passou o brasileiro à saída das boxes.
Assim, Pagenaud estava na frente de Power. Os dois pilotos a lutarem pelo título no 1º e 2º lugares, separados por cinco segundos.

Tal como no primeiro turno de condução, Pagenaud voltou a esticar a diferença e construiu uma vantagem de sete segundos sobre Power, que tinha alguma pressão por parte de Castroneves.

Hélio Castroneves foi o primeiro dos líderes a fazer a segunda paragem nas boxes, na volta 30, mantendo pneus duros.

Na volta 36 acontece o momento decisivo na luta pelo campeonato. Pagenaud faz a sua segunda paragem e Will Power abrandou em pista. O Dallara Chevrolet do piloto australiano teve um problema na embraiagem à saída da curva 7. Power tentou tudo por tudo para levar o carro às boxes mas acabou por ficar parado em pista antes da última curva. A bandeira amarela foi mostrada. Pagenaud quase podia celebrar o título de campeão.
Will Power foi rebocado até às boxes mas já tinha perdido três voltas. A equipa fez os possíveis para colocar o australiano de volta à corrida e acabaram por conseguir, mas Power tinha oito voltas de atraso.
Quem também estava com problemas era Scott Dixon (#9). Um problema no rádio custou-lhe posições na primeira paragem nas boxes e depois acabou por trocar o capacete para resolver o problema, regressando no 18º lugar.

A corrida recomeçou na volta 42. Pagenaud não teve problemas com Castroneves, que protegeu bem a sua posição sobre Charlie Kimball (#83). O piloto da Ganassi vinha numa excelente recuperação e era 3º, até ser passado na curva 7 por Graham Rahal.

Pagenaud conseguiu afastar-se de Castroneves mas não tanto como gostaria. Desta vez o brasileiro passou a atacar mais e conseguiu manter o contacto com o seu colega de equipa, e Graham Rahal não estava muito afastado.

Castroneves fez a sua terceira paragem na volta 51, um pouco mais cedo do que o previsto, e manteve os pneus duros, tentando assim fazer uma boa volta de saída para pressionar e tentar passar Pagenaud quando este parasse nas boxes.
Pagenaud decidiu ficar mais algum tempo em pista e parou na volta 61, tendo quatro segundos de vantagem para Rahal. Pagenaud regressou à pista mesmo atrás de Castroneves, que estava a lutar com Mikhail Aleshin por posição.
Rahal entrou na volta 63 e regressou atrás de Pagenaud e Castroneves. O brasileiro passou a ser o líder da corrida no final das paragens mas tinha uma liderança de apenas um segundo e já tinha os seus pneus duros com 10 voltas, e era certo que teria que parar mais uma vez até ao fim.

Pagenaud não conseguia acompanhar o ritmo de Castroneves, que passou a ter uma vantagem de quatro segundos, e o francês tinha agora a pressão de Rahal, que estava com vontade de passar para o 2º lugar.

Castroneves fez a sua última paragem na volta 69 e caiu para o 8º lugar, e foi por um triz que evitou um acidente com Marco Andretti (#27) na saída das boxes.
A paragem de Castroneves deixou Pagenaud de novo na liderança mas a luta pela vitória estava acesa porque Rahal não largava o francês.

A diferença entre os dois primeiros chegou a estar em sete décimas de segundo mas, nas últimas cinco voltas, Pagenaud começou a rodar em ritmo de qualificação e deixou Rahal sem argumentos.

Simon Pagenaud conquistou a sua quinta vitória nesta temporada, e ao assiná-la, garantiu pela primeira vez na carreira o título de campeão de 2016 da IndyCar Series. Um título inteiramente merecido para o piloto francês, que está de parabéns por uma época de sucesso.

Graham Rahal terminou a temporada com um bom resultado, no 2º lugar, Juan Pablo Montoya regressou aos bons resultados, em 3º, no seu melhor resultado desde a corrida 1 em Detroit.

Ryan Hunter-Reay (#28) terminou em 4º, Alexander Rossi (#98) foi um excelente 5º classificado e garantiu o título de “rookie” do ano, Josef Newgarden (#21) foi 6º, Hélio Castroneves terminou no 7º lugar e não conseguiu bater Will Power para o vice-campeonato, Marco Andretti foi 8º, Charlie Kimball foi 9º e Sébastien Bourdais (#11) terminou em 10º.

Uma nota para Will Power, que chegou ao fim no 20º lugar e falhou o seu objetivo de chegar ao segundo título de campeão, e outra nota para a Chip Ganassi Racing. A despedida da Target, que patrocinou a equipa na IndyCar durante 27 anos, não correu como planeado. Scott Dixon terminou num desapontante 17º lugar, e para além do 9º lugar de Kimball, do 13º lugar de Tony Kanaan e do 16º lugar de Max Chilton (#8), a última corrida da equipa com os motores e pacote aerodinâmico da Chevrolet acabou de uma forma desapontante. A equipa poderá mudar para a Honda no próximo ano.

Resultados finais, aqui.

Com Simon Pagenaud a ser o novo campeão e a Chevrolet a conquistar o título de construtores, fechou-se a porta na temporada de 2016 da IndyCar. O campeonato regressa em 2017. A primeira corrida da temporada de 2017 está marcada para as ruas de St. Petersburg no dia 12 de março.

Jorge Covas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.