The Grand Tour – Foi “Grand” como se esperava

18 de Novembro era um dia muito esperado pelos fãs da serie Top Gear. A estreia do The Grand Tour fez correr muita tinta e todos estavam ansiosos para ver o resultado final. O sonho de ter Clrackson, Hammond e May com um orçamento faraónico e sem as rédeas da BBC finalmente tornou-se realidade. E o hype que se criou na net teve repercussão nos números finais, com a Amazon a afirmar que o programa bateu os recordes de visualização na plataforma destronando a série The Man In The High Castle. Os números? Pois a Amazon não disse e tendo em conta o investimento feito, não seria espectável que o fizessem a não ser que fossem números gigantescos mas como o programa nem sequer teve estreia a nível mundial,  não se esperava que tal acontecesse. As criticas sim já têm números e são… o que se esperava: óptimas. 4.8 de média na Amazon e 9.6 no IMDB. 

 

Para quem quiser ver o episódio pode ver neste link, grátis ou então tentar por meios menos lícitos… cada um sabe de si.

O programa foi o que se esperava…grandioso. Os 4.6 milhões gastos em cada episódio (num total de 250 milhões gastos pela Amazon) foram bem visíveis pela entrada apoteótica. A primeira cena tem tantos carros, aviões e pessoas que só aí metade do orçamento deve ter voado. 

E depois tivemos finalmente o confronto entre o McLaren P1, o Porsche 918 e o Ferrari LaFerrari. Os 3 monstros da industria automóvel juntos na mesma pista… e que pista senhores! Autódromo Internacional de Portimão. Podemos parecer facciosos quando dizemos que deve ser um dos melhores traçados do mundo (e somos um bocadinho vá) mas a pista é realmente uma maravilha e nas imagens que a equipa do Grand Tour captou ainda melhor ficou. E é motivo de orgulho ver o primeiro segmento de um programa desta envergadura ser filmado no nosso país. Quanto ao ensaio em si… deixou a desejar. Ficamos sem entender qual era o melhor, o que é costume neste tipo de ensaios com estes 3 cromos. As marcas colocam tanto em jogo que no final o veredicto acaba por ser um compromisso que não prejudica nenhuma das partes envolvidas.  Se querem um ensaio mais elaborado há o de Chris Harris. São 45 minutos bem gastos.

Ficamos também a conhecer a nova pista de testes… a Eboladrome. E porque este nome?  Porque o traçado se parece com a Ébola! Comparada com a antiga pista Top Gear… é mais interessante tecnicamente e muito mais exigente nos carros e no piloto, mas visualmente é muito fechada e pouco ampla comparada com pista TG. Talvez por isso as voltas das celebridades deixarão de existir pois o mais provável era alguém se magoar. A primeira impressão não é a melhor mas havemos de nos habituar. Quanto ao piloto escolhido para fazer as voltas… Não resultou. O “The American” tinha como objectivo ter um sujeito mal disposto a disparar

 

De resto o programa tem muitas semelhanças com o antigo Top Gear. Terá uma secção onde se falará das novidades do mundo dos carros (uma das melhores partes para mim) e os convidados terão de enfrentar um teste de reflexos e atenção. Ainda não se sabe como funcionará mas estamos curiosos.

O que achamos? Bom mas podia ser melhor. As imagens são fantásticas mas a banda sonora deixou a desejar. Houve partes brilhantes mas também partes que foram algo exageradas. No geral se tivéssemos de dar uma nota seria um 8. Notou-se claramente que muitas partes soaram a falso e que a química entre os 3 tem de voltar ao que era… e isso só com o tempo.

Nota-se mais liberdade tanto ao nível da linguagem (Hammond e Clarkson puxaram o lustro ao vernáculo) como da mensagem. Li um texto que falava que uma das partes que fazia do TG único eram os 3 cromos a dizerem coisas que não deviam e a aborrecerem os patrões e invariavelmente saírem vencedores dos problemas que arranjavam. É como ver uns miúdos traquinas arranjarem problema com os pais. É sempre engraçado de ver só que agora não há pais. Os miúdos cresceram e foram viver sozinhos sem regras.. e se calhar aquele sentimento de pisar o risco vai ser perder pois aqui tudo é permitido.

Equipa nova, métodos novos, objectivos novos. É normal que ainda haja muito para melhorar…mas o potencial está lá e estamos a espera de algo bombástico… E uma coisa é certa… na luta Top Gear vs Grand Tour, o GT vence por KO técnico. Esperamos pela nova série do remodelado TG para voltar a tirar ilações.

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.