F1 – Top 5 dos melhores pilotos da actualidade que ainda não venceram

Vencer uma corrida de F1 é já só por si um dos maiores elogios que se pode fazer a um piloto. Inscrever o seu nome na história do desporto, nem que seja com apenas uma vitória já é algo digno de registo, no entanto a F1 já nos deu vários casos de pilotos que mostraram qualidade para vencer que nunca tiveram carro ou sorte para tal.

Casos como os de Martin Brundle, Tom Pryce, Stefan Bellof, Chris Amon, Nick Heidfeld, que espalharam o seu grande talento pelas pistas, mas sem nunca conseguirem provar o champanhe no lugar mais alto do pódio da categoria rainha do desporto motorizado. Na actualidade há também pilotos cujo talento seria suficiente para os levar à vitória, mas outros factores ainda não o permitiram. É deste que falamos hoje.

 

#5 – Kevin Magnussen

Kev Mag foi rookie em 2014, quando o lugar ocupado por Sérgio Perez ficou vago. O jovem dinamarquês trazia consigo um currículo impressionante e era, a par de Vandoorne, um dos meninos bonitos do programa de jovens pilotos da McLaren. Campeão de Formula Ford dinamarquesa, foi vice-campeão na Formula 2.0 NEC, tendo finalizado em 3º as épocas na Formula 3 germânica e britânica. Foi na Formula Renault 3.5 que começou a ser mais falado e foi depois de vencer o título nessa categoria que subiu à F1. 2014 começou bem com um pódio, mas a partir daí tudo começou a correr mal e a McLaren teve um ano para esquecer, com um carro pouco competitivo. Foi colocado para segundo plano com a chegada de Alonso e foi obrigado a sair da equipa para ter hipóteses. O ano na Renault não correu bem e tem agora definitivamente de mostrar o que pode fazer na Haas. Mas Magnussen é um excelente piloto, um talento puro que tem tudo para ser grande…precisa de mostrar na F1 o que já mostrou nas categorias mais baixas.

Vitórias na carreira: 65 pódios dos quais 30 vitórias (de 2008 a 2016) 

 

#4 – Valtteri Bottas

O finlandês irá provavelmente resolver esta questão já este ano, agora que tem nas mãos a melhor máquina do grid, mas Bottas é claramente um piloto de top e que tem qualidade para vencer. O seu currículo é de ficar de queixo caído e foi bem sucedido em todas as categorias onde participou. Campeão na Formula 2.0 NEC, duas vezes vencedor do Masters de Formula 3, duas vezes 3º na Formula 3 Euro Series e 3º no GP de Macau, venceu o título no GP3 antes de ser chamado para a F1. O seu estilo nórdico esconde um talento que em pista é bem visível. Enquanto a Williams teve um carro competitivo em 2014 e parte de 2015, Bottas mostrou que tem o que é preciso para ser uma referência. Pode não ter o carisma de outros, tem definitivamente o kit de unhas.

Vitórias na carreira: 31 vitórias e 67 pódios (de 2007 a 2016)

 

 

#3 – Romain Grosjean

O francês que chegou à F1 com um penteado duvidoso, trazia consigo uma colecção de troféus impressionante e a sua escolha para a Renault fazia todo o sentido, depois da saída de Piquet Jr. em 2009. Tinha sido campeão na Formula Renault francesa, Formula 3 Euro Series e no GP2. Mas em 2010 perdeu o lugar para Petrov, naquele que foi o primeiro grande golpe na sua carreira. Passou pelos GT’s, assim como pelo AutoGP (onde foi campeão) tendo regressado ao GP2 para vencer novamente o título e assim, desfazer as dúvidas que havia sobre ele. A Lotus abriu-lhe as portas em 2012. Grosjean mostrou que era rápido, mas também muito dado a acidentes desnecessários. O francês nunca sabia medir quando tinha de forçar e quando tinha de levantar o pé. Então veio o acidente de Spa e uma penalização que lhe mudou a carreira. A partir daí procurou apoio psicológico e melhorou muito. Mostrou toda a rapidez que tinha sem a parte má dos acidentes. É claramente um dos pilotos mais capazes do grid e merece a nossa admiração por ter reconhecido as suas fraquezas e ter trabalhado para as eliminar.

Vitórias na carreira: 50 vitórias e 94 subidas ao pódio (de 2003 a 2016)

 

 

#2 – Sérgio Pérez

Dos 5 que escolhemos, Pérez é aquele que menos currículo tem nas categorias de acesso à F1. No entanto, é aquele que mais nos entusiasma em pista. Chegou pela porta da Sauber e no seu segundo ano na equipa, conseguiu 3 pódios que lhe valeram a ida para a McLaren. Foi precisamente aí que a sua carreira ia acabando, com um ano péssimo a juntar a uma fama pouco recomendável nas boxes. A Force India deu-lhe uma segunda oportunidade que ele não a desperdiçou. Já angariou mais 4 pódios desde 2014 e tornou-se um piloto mais maduro e pronto para uma equipa grande. Não entusiasma tanto em pista, mas garante muitos pontos preciosos. É um senhor piloto.

Vitórias na carreira: 25 vitórias e 48 pódios (de 2004 a 2016)

 

#1 – Nico Hulkenberg

É aquele que, a par de Bottas tem mais títulos  nas categorias de acesso à F1. Venceu em todo o lado e quem vir a lista de títulos não entenderá como um piloto destes ainda não subiu sequer ao pódio na F1. Para provar a sua qualidade já venceu em Le Mans, mas na F1 o azar tem dificultado sobremaneira a vida ao alemão. Foi campeão na Formula BMW, campeão no A1 GP, campeão na Formula 3 Euro Series, campeão no GP2. Enquanto não chegou à F1 era um autêntico papa-títulos e desde que chegou à F1 ainda nem um pódio. É claramente um piloto de excelência (ainda deitamos uma lágrima quando vemos o vídeo da ultrapassagem no GP do Mónaco) e apenas precisa de uma máquina que lhe permita chegar aos primeiros lugares… e de que o azar lhe dê tréguas.

Vitórias na carreira: 39 e 67 pódios ( de 2005 a 2016)

 

 

 

 

 

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.