F1 – Conclusões dos testes

Nunca é demais repetir que qualquer tipo de conclusão nesta fase da época pode ser precipitada e que tudo pode mudar no primeiro fim de semana a doer de 2017. No entanto os dados disponíveis mostram que já há uma ordem definida no grid.

 

#1 – Mercedes: Trono ameaçado mas ainda na frente

A Mercedes teve mais uma pré-época dominante. Foram aqueles que mais rodaram e foram aqueles que menos problemas técnicos apresentaram… aparentemente. Se na primeira semana de testes foram a maior força em pista, na segunda, tiveram de dividir o protagonismo. Na primeira semana soube-se que o motor ainda não tinha mostrado o potencial todo e na segunda soube-se que algumas partes não funcionaram como o previsto. Quer isto dizer que a Mercedes tem o 1º lugar em risco? Para já não é dramático pois a quantidade de dados recolhidos e os recursos disponíveis permitirão à Mercedes responder a estes desafios à altura. Mas uma coisa é certa… embora ainda sejam os alvos a abater, têm a concorrência à perna e a Ferrari está mais próxima do que nunca e pode surpreender.

Os pilotos parecem em boa forma e destaca-se Bottas que ainda em fase de adaptação, foi o responsável pelas voltas mais rápidas do W08. Uma prova para aqueles que duvidavam de que o finlandês tem o que é preciso para singrar numa equipa de top. Hamilton já se sabe que prefere guardar o melhor para as corridas e que raramente nos testes se vê algo digno de registo por parte do britânico.

 

#2 – Ferrari:  SF70H é sinónimo de esperança

A Scuderia penou em 2016 mas em 2017 vem determinada a vencer. Se a equipa começou discreta, acabou a época de testes em grande com o melhor tempo e com um nº considerável de voltas feitas. O novo monolugar da Ferrari parece ter o que é preciso para fazer frente aos Mercedes e colocar a Scuderia na rota das vitórias. Vettel e Raikkonen estão em forma e recomendam-se e o espírito da equipa é de que há ainda muito trabalho para fazer. Claramente a Ferrari vestiu o fato de macaco e uma postura discreta mas trabalhadora o que está a dar resultado. Estamos confiantes de que veremos os carros de vermelho bem próximos dos prateados. Em pista o SF70H pareceu mais estável que o adversário Mercedes e parece ser uma base mais “amiga dos pilotos”, com o carro a não exagerar nas surpresas de mau gosto (embora Kimi tenha provado esse veneno). Para já parece que vamos ter um início em grande.

 

#3 – Red Bull: Esperar para ver

A Red Bull não espantou ninguém em Barcelona. Não apresentou um ritmo ao nível dos homens da frente nem uma fiabilidade à prova de bala. Mas o potencial dos Bull´s é maior do que aparenta à primeira vista. O carro tem mais para dar e a nova unidade motriz tem ainda de amadurecer. O optimismo que se sentiu nestes dias, mesmo quando as falhas técnicas aconteceram, são um sinal pois a Red Bull não costuma demorar em mostrar o descontentamento quando as coisas não correm bem e para já parece que o novo “moinho” dá garantias. Espera-se que a equipa dê um salto qualitativo em Melbourne e que mostre mais (Newey guarda sempre algumas surpresas para o início da época). Parece-nos para já que são 3º na geral mas esperamos que subam a parada quando a F1 voltar à Europa, depois das primeiras provas. Quanto aos pilotos nada a dizer… são a dupla mais excitante do grid e estão em forma.

 

#4 – Williams: Massa vai dar que falar

Diz quem sabe que a Williams está no 4º lugar neste momento e somos obrigado a concordar. Se na primeira semana achamos que a Williams estava a caminhar para um ano de desilusão, esta segunda semana mostrou mais e melhor. Mantemos que será um ano difícil até porque o rookie Stroll não vai ter vida facilitada e poderá perder muitos pontos, mas o que vimos de Massa estes dias surpreendeu-nos pela positiva. O brasileiro subiu um degrau no seu nível com estas novas máquinas e parece estar mais confortável do que estava anteriormente. A Williams tem neste momento dois ritmos… com Stroll não chegam ao 4º mas com Massa chegam. E se o brasileiro estiver em forma durante o ano todo, poderá dar que falar. Afinal o “velhote” ainda tem um ou dois truques.

 

#5 – Force India: Cuidado com a Renault!

A Force India parece estar longe do tal objectivo do top 3, o que não surpreende mas para já mantêm o top5. A equipa rodou bem na última semana e embora não tenha apresentado voltas canhão, não estiveram muito mal neste capitulo… e têm um trunfo de peso com o motor Mercedes. E será por aí que a vantagem da Force se materializa para já, com o melhor motor do grid mas a Renault parece estar muito forte e com vontade de assumir a posição da equipa de Vijay Mallya. Está será outra das boas lutas que poderemos ver este ano. Pérez já se sabe é um dos melhores e Ocon não acusou muito a diferença de máquinas e fez tempos semelhantes ao colega de equipa. Pelos vistos ambos os pilotos estão demasiado pesados e terão de emagrecer 2kg (na verdade é o carro que está 10kg acima do limite mínimo e a equipa está a tentar arranjar todas as formas de mudar isso)  mas dietas à parte a equipa tem uma dupla capaz de atingir os objectivos… o top 5 e não o top3.

 

#6 – Renault: Um regresso à boa forma

Ainda não é a forma que se pretende mas é para já um passo muito bom. A equipa apresentou um carro muito interessante e pelos vistos com potencial. Em pista rodaram sempre perto do top5, o que pode ser um excelente sinal. No entanto a unidade motriz terá ainda de evoluir para que o top 5 seja de facto uma realidade (problemas no ERS foram constantes mas parece haver já solução) mas os franceses podem estar orgulhosos do trabalho realizado. Hulkenberg foi uma excelente adição (como seria de esperar), sendo o responsável pelas melhores voltas e Palmer teve um ou dois azares e nem sempre rodou ao nível do colega (mais fustigado por falhas técnicas a bem da verdade). Não podemos esquecer que a fiabilidade ainda não está a 100%, mas admitimos que a meio do ano a Renault possa até ultrapassar a Force India.

 

#7 – Toro Rosso: Uma máquina linda e rápida na luta pelo top5

Só não colocamos a Toro Rosso mais acima para já porque as duas semanas de testes tiveram bastantes percalços técnicos. Na primeira semana foram mais visíveis e na segunda semana já foi possível ver um pouco mais do que este monolugar é capaz. Achamos que ainda há a possibilidade de alguns problemas técnicos afectarem a equipa nas primeiras rondas, o que poderá prejudicar o rendimento das máquinas mas não temos dúvida que este chassis será capaz de fazer coisas muito boas em pista. Sainz e Kvyat estão num ano de afirmação e ambos têm pressão para mostrar resultados. Para já parece que o espanhol está ligeiramente acima.

 

#8 – Haas: Uma pré-época tranquila… menos nas travagens

Parece ser, para já, o elo mais fraco da luta do meio da tabela, mas seria insensato não colocar a equipa americana neste grupo pois os apontamentos da equipa foram positivos. Beneficiam de uma unidade motriz Ferrari que dá garantias, do agrado das chefias e um chassis capaz, embora mantenha os problemas de travagem do ano passado, o que não é positivo e por isso colocamos a Haas em 8º. Deu-nos a sensação que Magnussen se adaptou melhor a este monolugar e foi capaz de tirar melhor rendimento da máquina ao contrário de Grosjean.

 

#9 – Sauber: Pouco ritmo mas mais fiabilidade

A Sauber manteve o tom ao longo das duas semanas de testes. Nunca impressionaram muito ao nível do ritmo mas tentaram resolver os problemas técnicos e no final apresentaram um nº bem interessante de voltas feitas. Sabe-se que para conseguir bons resultados primeiro é necessário acabar as corridas e terá sido essa a vontade da equipa… garantir que o carro termina corrida e depois sim pensar no ritmo. É normal que caiam para o ultimo lugar do grid pois o motor do ano passado da Ferrari depressa ficará ultrapassado e parece que não conseguirão repetir o truque da Toro Rosso do ano passado. Wehrlein chegou tarde mas não se deu mal e até conseguiu tempos interessantes para quem teve menos dias com o carro.

 

# 10 – Mclaren: O pesadelo parte II

O que aconteceu em Barcelona para a McLaren foi um filme já visto e que deixou poucas saudades. A equipa rodou muito pouco e teve sempre problemas. Não houve um dia que a unidade motriz da Honda não desse problemas e para já é um início catastrófico. Falta potência, falta fiabilidade, falta tudo a este motor. O chassis, por muito bom que seja, não poderá fazer milagres. Alonso e Vandoorne bem se queixam mas de nada vale… Ou a Honda opera um verdadeiro milagre ou então o mais certo e vermos os McLaren parados no meio da corrida nas primeiras rondas do ano. E se assim for somos capazes de apostar que é o fim do casamento entre a Honda e a McLaren.

 

Dados dos testes:

Melhor volta por equipa

Equipa Piloto Dia Pneus Tempo
Ferrari Kimi Raikkonen 8º dia Supersofts 1:18.634
Mercedes Valtteri Bottas 6º dia Supersofts 1:19.310
Williams Felipe Massa 6º dia Ultrasofts 1:19.420
Red Bull Max Verstappen 8º dia Supersofts 1:19.438
Toro Rosso Carlos Sainz 8º dia Ultrasofts 1:19.837
Renault Nico Hulkenberg 8º dia Ultrasofts 1:19.885
Force India Sergio Perez 8º dia Ultrasofts 1:20.116
Haas Kevin Magnussen 7º dia Supersofts 1:20.863
McLaren Stoffel Vandoorne 7º dia Ultrasofts 1:21.348
Sauber Marcus Ericsson 8º dia Supersofts 1:21.670

 

Melhor volta por pneu

Piloto Equipa Dia pneu Tempo
Kimi Raikkonen Ferrari 8º Dia Ultrasofts 1:18.911
Kimi Raikkonen Ferrari 8º Dia Supersofts 1:18.634
Kimi Raikkonen Ferrari 8º Dia Softs 1:19.267
Sebastian Vettel Ferrari 3º Dia Mediums 1:21.609

 

Nº de voltas dado por equipa

Equipa Nº de voltas
Mercedes 1,096
Ferrari 956
Williams 800
Sauber 788
Force India 785
Haas 715
Red Bull 684
Renault 597
Toro Rosso 584
McLaren 425

 

 

Melhor volta por piloto

Piloto Equipa Test Day Pneu Tempo
Kimi Raikkonen Ferrari 8º dia Supersofts 1:18.634
Sebastian Vettel Ferrari 8º dia Ultrasofts 1:19.024
Valtteri Bottas Mercedes 6º dia Supersofts 1:19.310
Lewis Hamilton Mercedes 7º dia Ultrasofts 1:19.352
Felipe Massa Williams 6º dia Ultrasofts 1:19.420
Max Verstappen Red Bull 8º dia Supersofts 1:19.438
Carlo Sainz Toro Rosso 8º dia Ultrasofts 1:19.837
Nico Hulkenberg Renault 8º dia Ultrasofts 1:19.885
Daniel Ricciardo Red Bull 5º dia Ultrasofts 1:19.900
Sergio Perez Force India 8º dia Ultrasofts 1:20.116
Esteban Ocon Force India 7º dia Ultrasofts 1:20.161
Jolyon Palmer Renault 8º dia Ultrasofts 1:20.205
Lance Stroll Williams 8º dia Softs 1:20.335
Daniil Kvyat Toro Rosso 7º dia Supersofts 1:20.416
Kevin Magnussen Haas 7º dia Supersofts 1:20.863
Romain Grosjean Haas 8º dia Ultrasofts 1:21.110
Stoffel Vandoorne McLaren 7º dia Ultrasofts 1:21.348
Fernando Alonso McLaren 8º dia Ultrasofts 1:21.389
Marcus Ericsson Sauber 8º dia Supersofts 1:21.670
Pascal Wehrlein Sauber 7º dia Ultrasofts 1:22.347
Antonio Giovinazzi Sauber 4º dia Ultrasofts 1:22.401
Alfonso Celis Force India 3º dia Ultrasofts 1:23.568

 

fotos: autosport.com
fontes:skysportsf1

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.