Moto2 – Miguel Oliveira abre o livro

Miguel Oliveira, que por estes dias inaugura a sua loja, “Miguel Oliveira-Fan Club”, vive momentos muito positivos, momentos esses embalados pelas excelentes prestações por ele realizadas nos testes da categoria de Moto2. Oliveira trocou a Leopard Racing pela Red Bull KTM Ajo no final de 2016, voltando a uma equipa que bem conhece, visto ter pertencido aos quadros da KTM, aquando da sua passagem pelo Moto3.

Oliveira, Jerez Moto2 test 8-10 March 2017
Oliveira, Jerez Moto2 test 8-10 March 2017

Relembrando um pouco os últimos testes, o jovem de Almada, foi o terceiro mais rápido na semana passada em Jerez, dando sequência a sua excelente prestação desde que assinou pela nova equipa. As expectativas estão bem elevadas, o seus fãs já sonham com um português campeão, e Oliveira sente isso, mas revela-se consciente e com os pés bem assentes no chão. “É verdade que tudo correu melhor do que estava à espera. Em novembro estávamos muito preocupados com aquilo que seria o início dos testes. A equipa fez um excelente trabalho e adaptou a moto à minha pilotagem. Acabou tudo por encaixar bem. Porém, não quero criar expectativas falsas e tenho a certeza de que neste caminho vão surgir muitos obstáculos”.

“No Qatar vamos já encontrar alguns problemas. Teremos menos tempo de pista para afinar a moto e vamos rodar com pneus diferentes daqueles que foram utilizados em Jerez. Para além disso as condições da própria pista são também muito diferentes, pois esta apresenta menos aderência”.

unnamed

Abordando um pouco o que o fez mudar de equipa em 2017, o recruta da KTM revela que o fez com a intenção de se afirmar na categoria de Moto2  e dar o salto para a classe rainha de MotoGP. “Quando aceitei este projecto foi para ter atrás de mim uma equipa e uma moto em que me pudesse afirmar nesta categoria. Um piloto em regra geral quando é rápido em Moto2 é um bom indicador daquilo que poderá ser no MotoGP. Quero aprender o máximo possível durante o ano e trazer para casa bons resultados, que é isso que a KTM espera”

17192484_1374636322593608_7754840927235407221_o.jpg

Para finalizar, o jovem português fez uma pequena comparação entre a Leopard Racing e a Red Bull KTM Ajo, e as diferenças que encontrou são enormes.“A mentalidade de uma equipa para a outra é totalmente diferente. A Leopard era uma equipa alemã, enquanto a formação onde estou agora inserida tem elementos de diversas nacionalidades. Não existem dúvidas de que as duas estruturas em termos de profissionalismo são muito boas, no entanto na Red Bull KTM Ajo o ‘know-how’ técnico que existe é muito mais aprofundado. Estava numa estrutura que era estreante em Moto2 para representar uma estrutura que é bicampeã em título nesta categoria”.

De 17-19 de Março realizam-se os últimos testes oficias de Moto2 e realiza-se no circuito de Losail, Qatar.

(Fonte: Motosport)

Ricardo Fontelas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.