DTM – Ponto da situação na preparação para a época 2017

2017 começa a ganhar forma em várias categorias e o DTM também está a ultimar os pormenores para a nova época. As equipas já colocaram as máquinas em pista e a primeira vez este ano foi no espectacular Autódromo Internacional de Portimão, antes da data limite para a homologação dos chassis, a 1 de Março.

Entretanto já decorreram mais testes na pista de Vallelunga, onde as 3 marcas presentes no campeonato puderam testar as suas novas soluções face à alteração nos regulamentos. 2017 é um ano de mudança também no DTM, com os promotores a quererem mais espectáculo, enquanto a indefinição Class One não termina.

A Class One era uma ideia brilhante que pretendia fazer uma espécie de DTM à escala mundial, agregando o DTM, os Super GT japoneses e incluindo marcas americanas, para assim tentar entrar no mercado dos States. Enquanto os responsáveis germânicos esperavam pela resposta dos americanos, marcas como Ford, Crysler e Cadillac começaram a apostar no endurance e nos GT´s. A Ford apostou em Le Mans e no WEC, a Cadillac no WeatherTech SportsCar Championship. Sem marcas americanas interessadas, a Class One corre risco de não avançar até porque o DTM tarda em apostar em motores turbo como os Super GT japoneses (que já se mostraram inclinados em apostar nos GT3) e na América há vontade de apostar nos TCR como classe de entrada para categorias mais altas como o endurance, colocando de parte a entrada de uma caterogria mais exigente financieramente. Tudo parado portanto.

Assim os germânicos resolveram mudar os regulamentos já, para tornar as corridas mais interessantes. A primeira medida foi reduzir o grid para 18 carro, ao contrário dos 24 de 2016. De seguida, foram na moda do aumento da potência e aumentaram os cavalos dos V8 naturalmente aspirados (agora debitam mais de 500cv) e, para dificultar a vida aos pilotos, reduziram na carga aerodinâmica. Para equilibrar a balança, a Hankook terá de fornecer pneus mais macios, mas que em contrapartida se degradam com mais facilidade. Além disso, as suspensões agora são iguais para todos, de forma a diminuir os gastos das equipas. 

Se no primeiro teste em Portimão as máquinas ainda não eram as definitivas, em Vallelunga já se puderam ver máquinas mais próximas do resultado final, com a Audi a estrear o seu novo RS5 DTM. Ao volante da nova máquina tivemos Mattias Ekström e Jamie Green.

“Tentamos muitas coisas diferentes: stints curtos, simulações de corrida, simulações de qualificação e muitas variantes diferentes. Os novos carros DTM são definitivamente mais exigentes em termos de capacidade de condução. Além disso, encontrar um perfeito set-up  para os pneus mais suaves e a mudança na aerodinâmica é um grande desafio. “ disse Ekström.

“Foi importante para nós testar a versão final do carro neste último teste de pré-temporada e fazer o melhor uso dos poucos dias de testes disponíveis para nós. É por isso que estamos muito felizes em ter encontrado condições perfeitas em Vallelunga e sermos capazes de testar por três dias sem nenhum problemas “ afirmou um Dieter Gass satisfeito com os 2,121km que a equipa percorreu nos 3 dias de testes.

Mas a equipa que mais Km percorreu foi a Mercedes, com 518 voltas dadas ao traçado italiano. Robert Wickens, Edoardo Mortara e Gary Paffett estiveram de serviço e colocaram a máquina da Mercedes à prova.
“O trabalho duro da equipa valeu a pena até agora, com muitos quilómetros postados e dados recolhidos durante duas semanas bem sucedidas de testes. Ainda assim, nosso trabalho está longe de estar concluído. Agora temos de avaliar todas as informações, especialmente com relação à nova geração de pneus, e tirar as conclusões corretas antes do teste final em Hockenheim. “ disse Ulrich Fritz, director da Mercedes.

O novo recruta da equipa, Edu Mortara mostrava-se optimista: “Rodamos muito e tentamos muitas coisas. Precisamos agora analisar os dados de Portimão e Vallelunga para estarmos bem preparados para a ronda final de testes em Hockenheim. Os testes aqui foram muito informativos e eu acho que demos um passo na direcção certa. “

A BMW também testou as novas soluções, face aos novos regulamentos e o feedback de Farfus que foi o primeiro a pegar no M4 DTM foi positivo:

“Senti-me bem no carro e tem um grande potencial, mas ainda temos muito trabalho de set-up pela frente até o início da temporada.”

O campeão em título, Marco Wittmann também já pilotou o novo carro e acha que esta nova fórmula será mais excitante para pilotos e fãs:

“Os nossos resultados são muito importantes para o trabalho de desenvolvimento que temos pela frente. É sempre divertido pilotar um carro pela primeira vez na fase de desenvolvimento e descobrir o efeito que qualquer inovação pode ter na pista. Acho que a maior potência dos motores  e os pneus novos trarão mais acção e corridas emocionantes. “

 

Pode ver o line up de cada marca e o calendário neste link.

 

 

 

Fontes: touringcartime.com; touringcars.net
Fotos: touringcartime.com; touringcars.net, autosport.pt

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.