F1 – GP da China: Mercedes, Ferrari e Red Bull em análise

Para quem tinha dúvidas que a F1 poderia dar corridas entusiasmantes, ficou a prova que este ano há muitos e bons motivos para levantar cedo e ver “os narigudos” nas pistas. A corrida teve emoção, incerteza, boas lutas e ultrapassagens, algo que todos receavam não acontecesse. A Mercedes venceu, Hamilton igualou Vettel e começamos a ter certezas em relação a 2017… vai ser durinho e até ao final.

 

Mercedes – Hamilton dominador e justo vencedor

Começa a ser óbvio que o Ferrari é um carro mais estável e amigo do piloto que o Mercedes. Na qualificação isso era claro mas o que ficou mais claro foi o talento de Hamilton. Mesmo com o carro de lado conseguiu fazer tempo suficiente para a pole. Nestas alturas é que se vê o que um piloto vale e Hamilton provou que é um dos melhores de sempre (se é que precisa de o provar). Na corrida largou bem assumiu a liderança e de lá nunca mais saiu. A Ferrari tentou meter pressão mas  os Safety Cars entraram na altura certa para que a Mercedes pudesse jogar com a estratégia. Uma vitória justa, incontestável e ainda assim suada. Já Bottas desiludiu muito. Fazer um pião quando o Safety Car está prestes a deixar a pista é feio, deixa marcas negativas e o finlandês não escondeu o desalento, assumindo por completo o erro. Foi a primeira vez que errou feio desde que chegou à Mercedes mas foi demasiado feio… espera-se isso de um rookie e não de um piloto como Bottas.

Bottas: 

Estava na curva 10. Recebi a mensagem, acho que na 7, dizendo que o Safety Car sairia no final da volta, e tinha de meter  temperatura nos pneus e à saida da curva 10  estava muito lento. Entrei  num pião, exagerei na correcção e fui parar à relva. É  um erro de que não estou orgulhoso, mas estava a fazer tudo que podia para aquecer as borrachas. Queria os pneus  mais quentes para poder atacar, mas exagerei e cometi um erro, que me fez perder muito tempo, muitos lugares e a temperatura dos pneus. Fui um pouco lento ao recomeçar depois disso,  mas depois acho que o carro estava bom e o meu ritmo também.”

Hamilton: 

“A minha volta da pole colocou-me numa óptima posição e o arranque foi fantástico.Estou realmente feliz com a minha largada e quero manter isso. Durante a corrida, precisava manter a compostura em algumas condições realmente difíceis. Depois do pit stop com o Safety Car, a velocidade era baixa e os pneus estavam muito frios, e seria muito fácil cometer um erro. Naquelas últimas 20 voltas, Seb e eu estávamos a puxar e fazer o melhor que podiamos trocando os tempos de volta mais rápidos…isto sim são corridas. No futuro, haverá momentos em que não temos um Safety Car e não teremos esse espaço .Estou muito feliz. Está tudo muito renhido e houve momentos em que foi difícil fazer os tempos do Sebastian. Foi um fim de semana fantástico e estou muito grato pelo esforço que a equipa colocou para que estivéssemos onde estamos hoje. É muito fantástico quando temos um fim de semana como este, porque eu sou apenas um elo na cadeia e há centenas de pessoas que estão envolvidas para me colocar aqui no topo. Parabéns  a todos, especialmente aqueles em casa, espero que eles estejam comemorando”.

 

Lewis Hamilton : Nota 10

Vatteri Bottas: Nota 6

Mercedes: Nota 9

 

 

Ferrari – Está confirmado… a Ferrari tem o que é preciso para se bater com a Mercedes

Ficara dissipadas todas as dúvidas… a Ferrari está forte, o carro tem potencial e consegue ser mais rápido que o Mercedes em corrida e Vettel está ultra-motivado. Na qualificação foi por pouco que conseguiu o 2º mas em corrida voltou a usar a estratégia de Melbourne colocando pressão em Hamilton mas desta vez o britânico conseguiu responder. Esta luta vai animar os fãs e vamos voltar a ver o “velho” Vettel, determinado e forte. Provavelmente a Scuderia poderia ter saido da China com uma vitória mas os Safety Cars cairam no colo dos Mercedes e o gasto dos pneus não foi tão critico para Hamilton desta vez. Kimi Raikkonen passou mais tempo a queixar-se do que a pilotar, primeiro com problemas no motor e depois com os pneus. Teve muita dificuldade em gerir os pneus dianteiros e se calhar se tem ido às boxes mais cedo (como pediu) talvez pudesse ter chegados aos Red Bull… ou se tem aguentado e feito apenas uma paragem como a equipa queria talvez conseguisse melhor. Mas ficamos desiludidos com Kimi. Vimos com Vettel o que o carro é capaz e Kimi não consegue extrair o mesmo.

 

Raikkonen:

“Acho que deveríamos ter conseguido mais do que o que conseguimos, mas isso é fácil de dizer depois da corrida. Paramos muito tarde para meter pneus novos e depois disso a corrida acabou. Apanhei os Red Bulls no final, mas era tarde demais. Acho que o carro estava muito bem em pneus novos, mas os dianteiros “acabaram” depois de duas voltas. Com certeza temos algum trabalho a ser feito com o set-up, mas a velocidade não foi muito má, no entanto não foi um grande resultado. Obviamente tinha a sensação de que deveríamos parar. Eu senti muito tempo antes que precisávamos  parar e teria preferido fazê-lo mais cedo, para sair do trânsito que eu tinha na frente Mas isso não aconteceu. Demorou um pouco, mas as razões por trás disso agora não as conheço. Precisando entender, mas, como disse, é fácil olhar para trás e dizer que deveríamos ter feito um trabalho melhor agora. “

Vettel

“O meu arranque foi bom e percebi que os intermédios tinham muita degradação. Estava muito seco em algumas partes da pista, e sabia que eles não iriam durar. Assumimos o risco e obviamente com o Virtual Safety Car perdemos menos tempo no pit stop, mas depois o Safety Car entrou quando eu estava prestes a ganhar vantagem com os pneus e aí perdemos muitas posições. Mas a partir daí tive uma corrida emocionante. Acho que o Lewis foi mais rápido. Ele fez uma boa corrida e não vale a pena arguir muito sobre isso, mas hoje terminamos em segundo lugar, estou muito feliz com isso, levamos bons pontos, mas mais do que isso foi uma corrida muito divertida para mim. Consegui algumas ultrapassagens… foi difícil chegar perto dos carros. Na última corrida sentimos isso também, mas aqui é uma pista melhor para ultrapassar e acho que é assim  que deve. Precisamos arriscar, e não tem  graça se for só carregar num botão, abrir uma asa  passar facilmente. “

Sebastian Vettel – Nota 9

Kimi Raikkonen – Nota 7

Ferrari – Nota 9

 

 

Red Bull – Verstappen voltou a ser mágico com pista molhada

Há quem diga que os verdadeiro pilotos são os que se mostram em pista molhada… É uma teoria que precisa ser ainda confirmada pois Vergne era mais forte que Ricciardo à chuva e agora vemos onde está um e outro. Mas Verstappen teve mais um momento mágico, com uma largada fenomenal e a sorte de ter uma estratégia bem pensada e melhor executada. Max é mesmo do outro mundo e apenas a choradeira pelas bandeiras azuis com Grosjean ainda longe manchou mais uma tarde memorável para o holandês que insisite em calar os crítico. Um pódio com sabor a vitória e se Hamilton não sabe o nome do miudo vai ter de aprender depressa pois ele está aí para dar luta e vencer corridas. Ricciardo está numa fase menos boa. A Austrália foi um mau capitulo e o andamento na primeira fase da corrida foi fraco. A segunda parte já foi mais ao nível de Danny Ric mas não foi a tempo de passar o seu colega de equipa. Para a Red Bull é um excelente resultado, com um carro que ainda está a quase 1 seg. dos rivais da frente conseguir um pódio é fantástico e a prova que a Red Bull é fortíssima a responder a situações de desvantagem… Se o novo motor Renault der o que os franceses prometem… vai ser uma época em grande para os fãs

 

Verstappen:

“Na primeira volta passei nove carros, então não foi muito mau. Fiquei muito feliz com isso e depois foi uma corrida muito boa. Eu não tive muito tempo de pista para ter o melhor equilíbrio do carro  porque ontem eu não fiz a qualificação, então eu estava basicamente a tomar conta  do carro para o acabar a corrida. Estou muito feliz por estar no pódio, não esperava nada disso, especialmente a partir da posição 16. Estou muito feliz.”

Ricciardo:

“No primeiro stint perdemos, lutamos muito para preservar  os pneus. No recomeço tive dificuldades com o pneu dianteiro-esquerdo. Senti que estava a desgastar-se demasiado mas não poderia fazer muito mais do que fiz. Melhoramos depois da paragem mas já era tarde e não consegui chegar perto o suficiente. Teria adorado ter feito mais uma batalha (com Verstappen). Tentei chegar perto, senti que estava a chegar lá mas depois sofri um pouco com os pneus. Mesmo com DRS, nunca cheguei a uma posição boa para ultrapassar. Ainda pensei meter por dentro, mas ainda estava muito molhado, e teria sido muito arriscado…  não acho que teria conseguido. É frustrante não estar no pódio novamente, mas vou seguir em frente”.

Max Verstappen – Nota 10

Daniel Ricciardo – Nota 8

Red Bull – Nota 9

 

Estatística

54ª vitória para Hamilton

63ª pole para Hamilton

6 pole consecutiva para Hamilton

65ª vitória para a Mercedes

Melhor volta: Lewis Hamilton – 1:35:378

 

Parte II com Williams, Haas, Force India e Toro Rosso aqui

Parte III com Renault, Sauber e McLaren aqui

Fábio Mendes

Um pensamento sobre “F1 – GP da China: Mercedes, Ferrari e Red Bull em análise

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.