ELMS: 4h de Silverstone – Albuquerque arrasta até a United à vitória!

Hoje, dia 15 de Abril de 2017, pelas 14h30 da tarde, começava a primeira ronda do campeonato European Le Mans Series, na fabulosa pista de Silverstone, na Inglaterra. Com o piloto português, Filipe Albuquerque, a competir na categoria LMP2 pela a equipa United Autosports, todos desejávamos que  houvesse vitória com sabor português.

Da Pole Position na categoria LMP2 saía a equipa DragonSpeed com o seu Oreca nº21, seguido do Ligier nº32 da equipa United Autosports, onde Filipe Albuquerque corre e na terceira posição saía a equipa Graff também com um Oreca. Também nesta categoria, a equipa portuguesa Algarve Pro Racing com um carro Ligier saía da 5ª posição.

Na categoria LMP3 saía em primeiro lugar o Ligier da AT Racing, seguido dos dois, também Ligier, da United Autosports, em 2º e 3º lugares respetivamente.

Na categoria GTE do primeiro lugar saía o Aston Martin Vantage V8 da equipa TF Sport, seguido de outro Aston Martin da equipa Beechdean AMR no 2º lugar e por fim no 3º lugar, o Ferrari 488 GTE da equipa Spirit of Race.

Com  com algum sol e a pista seca, iniciou-se a prova com as voltas de formação para a largada, com os pilotos a aquecerem os pneus e o Ligier nº17 da equipa Ultimate a fazer logo um pião, mas felizmente não afectou ninguém. Depois do semáforo verde, os carros arrancaram todos de forma compacta, mas todos couberam nas primeiras curvas, que costumam ser ricas em toques, saídas de pista e alguns acidentes. Nesta corrida, além de uns toques ligeiros e de uma ou outra saída fora de pista para evitar acidentes, não houve nada de grave.

Com um grande arranque e distanciando-se de todos, o Oreca da DragonSpeed seguia na 1º posição, seguindo-se mais atrás o Ligier nº32 de Filipe Albuquerque mas que no início da corrida, foi pilotado pelo o seu colega de equipa H. de Sadeleer. Logo atrás a fazer pressão, seguia o carro nº 39 da equipa Graff. À 6ª volta, o carro nº21 da DragonSpeed já levava 6,115 seg de vantagem, mas com o inicio das primeiras ultrapassagens aos carros das outras categorias, esse tempo baixou para os 3,811 seg. Num ataque mais ousado à volta 13, o Dallara nº49 da equipa High Class Racing, passa o nº32 da United, pelo 3º lugar.

O primeiro pit stop da corrida foi do carro nº5 da equipa By Speed Factory, que mudou os quatro pneus. À volta 21 o Oreca nº21 da Dragon vai a box e muda o piloto, os pneus e faz um abastecimento, voltando a pista ainda a frente do Ligier nº32 da United.

No fim da primeira hora de corrida o Ligier nº32 estava no 4º lugar a 27 seg do primeiro lugar, o carro nº25 da equipa portuguesa Algarve Pro Racing era 5º. Na categoria LMP3 o carro nº2 da United liderava já destacado e sem oposição, e na classe GTE o Ferrari nº 55 da Spirit of Race era 1º. Foi uma hora de muitas mudanças de lugares, mas sem acidentes, tirando só alguns piões mas sem consequências.

Quando ainda faltavam 2:35:32 de corrida, o carro nº32 para nas boxes para um abastecimento completo e para mudar de piloto, entrando o W. Owen e voltando à pista no 2º lugar, ficando o Filipe Albuquerque para atacar a parte final da corrida. Logo a seguir à paragem, o carro nº32 é castigado com uma passagem pelas boxes, devido a não ter respeitado as bandeiras amarelas, numas voltas antes. Devido ao castigo, o Ligier nº32 cai para o 5º lugar na grelha geral.

No fim das primeiras duas horas de corrida, na classe LMP2 o Oreca nº 22 da G-Drive Racing era  líder da prova, separado por 5,8 seg do nº 25 da Algarve em 2º e do nº 32 da United em terceiro lugar. Nos LMP3 o nº2 da United continuava a liderar sem oposição e geria o ritmo a vontade. Nos GTE o Porsche 911 nº77 da Proton Competition liderava a sua classe. Foi mais uma hora de corrida sem acidentes e apenas com alguns piões.

Na volta 65, o nº21 da DragonSpeed fez mais uma paragem nas boxes para abastecer mas a caixa de velocidades encravou e com isso a equipa perdeu mais de 15min a reparar a avaria e com isso, acabaram as hipóteses de a equipa vencer ou lutar por um lugar no pódio. Na volta 71, depois de duas horas de uma excelente prova, sempre nos lugares de pódio e a rodar bem, o Ligier nº25 da Algarve Pro Racing, parou de repente em pista, quase no acesso de entrada à box e teve de ser empurrado até lá. Acabou por desistir com uma caixa de velocidades partida.

Quando faltavam 1:15:02 para o fim da prova em Silverstone, o momento alto para todos os fãs portugueses, o carro nº 32 vai as boxes e entra o Filipe Albuquerque para fazer a parte final e decisiva da corrida.

No fim da terceira hora de prova, o líder nos LMP2 era o Oreca nº22 da G-Drive e o nº 32 guiado por Filipe Albuquerque era 2º a 31 seg. Nos LMP3 continuava o autêntico “passeio” do carro nº2 da United Autosports, com mais de 1 min de avanço já sobre o segundo, nº6 da equipa 360 Racing. Nos GTE liderava o Aston Martin nº 90 da equipa TF Sport. Sem incidentes, apenas um furo do nº7 da equipa Duqueine Engineering, mas conseguiu vir até as boxes para mudar os pneus.

Na entrada para a última meia hora de prova, o Ligier nº2 faz um grande pião mas com mais de 1,50 min de avanço sobre o segundo, volta a pista sem perder a liderança.

A partir daí, Filipe Albuquerque, começa ao ataque e a andar a fundo e nos últimos 10 min de prova, já recuperava 5 seg por volta ao carro nº 22 que seguia em 1º lugar. A 7 min do fim começou-se a assistir a uma perda de “gás” do Oreca da G-Drive, quer pelo o tráfego que encontrava a sua frente, quer pelos os pneus a darem as últimas também. A 3 min do fim da prova, o carro nº 21 da DragonSpeed conduzido por N. Lapierre, afastado dos lugares de pódio, dificultava a ultrapassagem de Filipe Albuquerque.

Até que a apenas 1 min da última volta, o carro nº32 com Albuquerque ao volante, passa o Oreca nº 22 conduzido por R. Hirakawa, assume a liderança desta primeira prova da ELMS e ganha a corrida ao fim de 126 voltas e com 6,3 seg de avanço.

No fim desta belíssima corrida, tivemos o piloto Filipe Albuquerque no lugar mais alto do pódio, com uma grande vitória mais do que merecida. Deu tudo o que tinha e anulou uma desvantagem de 22 seg, para ganhar com 6,3 seg de avanço sobre o segundo classificado.

Foi uma excelente corrida do inicio ao fim, com muitas batalhas em todas as classes, sem acidentes, sem safety car em pista e com bandeiras amarelas só por breves momentos. Foi uma grande prestação do piloto Filipe Albuquerque, dos seus colegas de equipa e da United Autosports, que consegue uma dobradinha, ganhando na categoria LMP2 e dizimando por completo os rivais na categoria LMP3. De menos bom na corrida, tivemos só a desistência da equipa portuguesa de LMP2 a Algarve Pro Racing por avaria na caixa de velocidades, mas que mostrou andamento para lutar por vitórias ou lugares no pódio.

 

Class. Final Provisória

 

 

Flat Out. Boas Curvas

Fábio Guedes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.