WRC – Rally de Portugal – Ogier volta às vitórias em Portugal

O francês da M-Sport conseguiu finalmente vencer no norte de Portugal, depois de ter vencido por 4 vezes quando a prova decorria no sul. Uma vitória brilhante para Ogier que consegue assim repetir o feito de Neuville, que foi o primeiro a ter 2 vitórias este ano.

Faltavam apenas 4 especiais para o final desta prova. Ogier tinha uma vantagem de pouco mais de 16 segundos sobre Neuville o que dava algumas garantias ao francês mas que rapidamente poderiam desaparecer com um erro. A primeira especial do dia foi em Fafe, na primeira de duas passagens pela catedral dos ralis em Portugal. Paddon foi o mais rápido seguido de Tanak e Neuville que ganhou 0.8 segundos a Ogier que fez o 4º tempo à frente de Latvala.

A SS17 foi favorável a Ogier que ganhou 3 segundos a Neuville, com Sordo a responder a Tanak, fazendo o 2º tempo na especial e aumentando a sua margem para o estónio que estava a tentar pressionar o espanhol da Hyundai.

A SS18 foi vencida por Paddon que mostrou novamente bom ritmo e ficou no ar que, se não fossem os problemas técnicos o neozelandês poderia ter tentado um bom resultado. Seguiram-se Meeke e Evans, com Neuville a ser 6º e Ogier 9º, com os homens da frente a poupar borracha para a Power Stage. Na geral mantinha-se tudo na mesma.

Chegava a Power Stage com a segunda passagem por  Fafe e aí foi a vez de Tanak brilhar conseguindo o primeiro lugar seguido de Neuville e Evans, Lappi e Ogier. A vitória ficava assim entregue a Ogier, com Neuville  e Sordo a completarem o pódio.   

 

Em WRC2 aconteceu o que ninguém esperava. Mikkelsen com 3 minutos de vantagem para a concorrência, foi para o último dia com a possibilidade de fazer as especiais todas com o braço à janela mas o piloto Skoda capotou na última especial  e entregou assim  a vitória a Tidemand, com Suninen e Tempestini a fechar o top 3 e com Miguel  Campos a fechar num excelente 4º lugar. Muito boa a prestação do português que ontem teve muitos problemas mas que mesmo assim conseguiu subir na classificação, aproveitando o conhecimento dos troços para assim alcançar um brilhante 4º lugar em WRC2.

 

 

Destaques:

M-Sport teve um fim de semana muito positivo com 2 carros no top 5 e Evans a ficar na 6ª posição. Os Fiesta pareceram os mais fortes nos terrenos  portugueses e isso foi visível no segundo dia em que Ogier abriu a estrada e e não perdeu muito tempo para os homens da frente. A partir daí foi aproveitar o azar de Tanak e nunca mais largar a liderança É uma vitória que vem na melhor altura. Ogier começava a ficar frustrado e já se falava em retirar-se no final da época. Com esta vitória, o francês voltou a sorrir e voltou a elogiar o carro que desta vez esteve ao seu gosto. Tanak merecia ter ficado no pódio, mas um azar ontem atirou-o para fora do lugar merecido. O estónio continua a mostrar muita velocidade e consistência. Já se sabe que quem anda nos limites erra mais mas Tanak está a confirmar-se como um dos grandes nomes do WRC. Evans em 6º lugar também esteve muito bem e deu continuidade à boa performance na Argentina. Foi um excelente fim de semana para a equipa.

A Hyundai também tem motivos para estar feliz com dois carros no pódio e muitos pontos amealhados. Neuville voltou a ser o homem forte da equipa e Sordo evitou os problemas mesmo não apresentando o ritmo do duo da frente. 2 carros no pódio é ume excelente resultado. Paddon foi novamente o azarado do grupo mas desta vez ficou a impressão que poderia ter sido a melhor exibição do piloto.

A Citroen pode agradecer a Breen o 5º lugar na geral pois o resto correu muito mal. Meeke voltou a errar tal como Lefebvre e a pressão começa a acumular-se em Meeke, depois de uma exibição pobre na Argentina. Venceu no ano passado em Portugal mas desta vez ficou longe dos lugares da frente. Breen merece destaque pela consistência e pelo acerto demonstrado.

Para a Toyota foi também um fim de semana duro com problemas em todos os carros. Latvala errou e perdeu a liderança, Lappi e Hanninen tiveram problemas técnicos. Hanninen foi o melhor com o 7º lugar mas Lappi foi evoluindo ao longo do fim de semana e merece estar presente mais vezes no WRC e temos a sensação que se estivesse no lugar de Hanninen a equipa teria mais pontos.

Foi um excelente rali, com uma moldura humana impressionante, como é habitual, e acima de tudo respeito pelas regras estabelecidas pela organização. Mais uma vez Portugal e os fãs de ralis lusos deram o exemplo de como estar num rally. Nos troços os pilotos deram tudo e ofereceram um espectáculo emocionante. 

 

Próxima prova marcada de 8 a 11 de Junho na Itália para o rali da Sardenha.

 

Fábio Mendes

Um pensamento sobre “WRC – Rally de Portugal – Ogier volta às vitórias em Portugal

  1. No final do Rally de Portugal, cheguei a algumas conclusões que gostaria de partilhar:

    1º – Ao contrário do que se previa, que os novos WRC 2017 fossem andar a espalhar fibra de carbono por todo o lado, o que se nota é que o que sofre mais são os splitters que inteligentemente têm um lábio de um material flexível, quanto ao resto temos visto bastantes toques que quase não afectam a aerodinâmica (com excepção óbvia para os capotanços que destroem de igual forma um WRC, R5, R2 ou R3). Aliás viu-se que os splitters dos R5 sofreram bem mais.

    2º Os WRC2017 estão muito mais equilibrados, a nível de performance, do que se poderia pensar, e até o Toyota que é o mais lento, está muito próximo por uma margem mínima.

    3º Assim, os pilotos é que têm feito grande diferença. Sendo esta, não tanto pela velocidade, mas sim pela regularidade com que conseguem andar no limite sem cometer erros. Aí a M-Sport está a colher os frutos de ser a grande escola de pilotos do WRC, ao conseguir aliar o melhor piloto aos dois melhores valores emergentes. Tem e equipa de pilotos mais homogénea, a que neste momento erra menos e com menores consequências que a concorrência. Já a Citroën só tem dado tiros nos pés, que pode muito bem ser exemplificado com o Craig Breen que é, neste momento, o piloto mais completo, mas ainda lento, fruto da inexperiência de ter andado a ter oportunidades partilhadas com o Lefebvre que, até ao momento, é um flop e talvez necessite de uma ida até ao R5 como aconteceu ao Evans.

    4º para mim o Top de pilotos do WRC, neste momento, é o seguinte: 1º Ogier, 2º Neuville (muito próximo) 3º Latvala e Tanak, 5º Evans, 6º Sordo, 7º Breen, 8º Østberg, Meeke e Paddon 11º Lappi, 12ºHanninen, 13º Lefebvre, (o Mikkelsen caso estivesse no WRC facilmente estaria no 2º ou 3º lugar)

    5º A Hyundai fez um bom trabalho, mas face ao investimento ainda está um pouco aquém nos resultados. Tem o que, provavelmente, é o piloto mais rápido, mas que que errou 2 vezes e isso nota-se na classificação. já o Sordo é a garantia de pontos que é imprescindível para uma equipa de topo, mas que não tem a velocidade dos melhores.

    6º A certeza que vamos ter o melhor WRC desde há muitos anos. A fazer lembrar os anos 80 e 90 em que havia regularmente 5 ou 6 pilotos e 2 ou 3 marcas capazes de ganhar em cada evento.

    Venha a Sardenha.

    fb.com/ARABIAR/

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.