WRC: Rali da Sardenha – Paddon é líder e Meeke acabou mais cedo

Segundo dia de prova no Rali da Sardenha e o equilíbrio é a nota dominante nesta prova. Paddon terminou o dia líder, mas os homens da frente do campeonato começarão amanhã a galgar terreno, com as posições de saída para os troços a inverterem-se. Meeke foi novamente notícia pelos piores motivos e Neuville é para já o mais forte candidato.

 

Depois da vitória de Neuville na PE1, o segundo dia de prova começava com um Kris Meeke cheio de vontade, vencendo a primeira especial do dia e arrecadando a liderança da prova ficando a curta distância de Hanninen, que respondeu na PE3 sendo o mais rápido, conseguindo assim passar para a frente da classificação geral. Havia queixas de muito pó mas a posição de saída era fundamental para um bom resultado, com os homens da frente do campeonato a pagarem caro o facto de “limparem” os troços. Lappi queixou-se de uma “caixa de velocidades demasiado grande”, tendo perdido a segunda velocidade, o que lhe complicou a vida mas não foi o único com queixas pois Breen teve de parar no final do troço, com problemas no motor do seu  C3 (fuga de óleo).

A PE4, Sordo esteve em destaque, colocando o tempo mais rápido na tabela, mas era Meeke que voltava à liderança da prova, com Hanninen a acusar a pressão de liderar, perdendo 11 segundos neste troço. Quem continuava discreto mas regular era Paddon, que ocupava agora o 2º posto da geral à frente de Hanninen.

A PE5 trouxe uma surpresa… que já não surpreende muito. Meeke voltou a capotar e continua bem colocado para receber o prémio “Máquina de lavar 2017”. O britânico estava bem e com um ritmo forte mas mais um vez acabou de cabeça para baixo, perdendo 8 minutos. Pior, o roll bar partiu e a FIA não permitiu o seu regresso em Rally2 amanhã. O britânico acaba assim mais cedo e de forma inglória. Lappi, que se tinha desencontrado com a segunda marcha do seu Yaris nos troços anteriores, foi o mais rápido mas quem assumiu a liderança da prova foi Paddon, com o top 5 a caber em apenas 20 segundos.

Lappi apanhou o gosto às vitórias nas especiais e colocou novamente o seu nome no lugar do mais rápido na PE6, mas Paddon tratou de alargar ligeiramente a vantagem para Hanninen, que continuava em 2º, seguido de Ostberg (muito regular), Tanak e Neuville. Sordo tinha problemas de motor e caía para fora do top 10.

Lappi continuava com um andamento muito forte e voltava a vencer, desta feita na PE7. Na geral as posições mantinham-se mas Neuville surgia no final do troço com 2 pneus prontos para a recauchutagem, sem explicação para o sucedido e sem perder muito tempo.

Na penúltima do dia, Sordo voltou a aparecer com o tempo mais rápido da PE8 e o problema do seu motor resolvido (um tubo do turbo mal apertado) mas Paddon mantinha-se líder e continuava a aumentar aos poucos a sua vantagem. Latvala estava em forma na secção da tarde e conseguia subir ao 4º posto da geral.

O último troço do dia teve Sordo como vencedor (o espanhol estava com vontade de vingar o azar da falha do motor) mas o destaque era a perda do segundo lugar de Hanninen que caiu para 6º na geral. Paddon acabava o dia líder, com 8 segundos de vantagem para Neuville, seguido de Tanak, Latvala e Ostberg.

Os destaques do dia vão obviamente para Paddon que de forma regular e sem cometer erros continua na frente embora não tenha alargado muito a sua vantagem, assim como Lappi  (uma secção vespertina muito bem conseguida). Mas os olhos estão postos agora em Neuville que dos homens da frente do campeonato (que hoje tiveram de limpar a estrada, sendo os primeiros a sair o que lhes custou muito tempo) foi o que perdeu menos terreno para os homens da frente. O belga está numa excelente posição para assumir amanhã a liderança da prova uma vez que Ogier está a 41 segundos  do primeiro posto. Tanak também está bem e poderá ser o homem a seguir na M-Sport.

Pela negativa teremos de referir de novo Meeke. Já são demasiados erros e demasiados C3 em modo de centrifugação. O britânico não está a corresponder as expectativas e tem agora Mikkelsen  a pressionar e que está a fazer um rali discreto mas seguro, não arriscando nada enquanto não domina a sua nova máquina. Se Mikkelsen fizer o que fez na VW, Meeke pode ter o lugar em risco uma vez que Breen tem correspondido e Lefebvre deverá ser aposta a médio prazo da marca.

 

Amanhã teremos mais 6 especiais cronometradas e um rali emocionante em perspectiva. As distâncias são curtas e tudo pode acontecer.

Classificação da ultima especial e geral

 

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.